O Propiciatório

[Bezalel] fez uma prancha de ouro puro, medindo 1,20 m de comprimento por 0,75 m de largura. É o propiciatório, ou seja, o assento da misericórdia, pelos pecados do povo. (Êxodo 37: 6)

A cobertura ou a “tampa” da arca da aliança era denominada propiciatório, que significava lugar ou sede da reconciliação e da misericórdia de Deus. Era de puríssimo ouro e, em cada extremidade, havia um querubim, tudo formando uma só peça de ouro “batido”. Por sobre o propiciatório estava o shekinah, demonstração visível da presença de Deus entre Seu povo. Essa tampa protegia as duas tábuas de pedra da Lei de Deus no interior da arca. A Lei, dentro da arca, e o propiciatório, sobre a arca, representavam a justiça e a misericórdia, ambas unidas em favor da reconciliação do pecador com Deus.

A lei de Deus, dentro da arca, tinha voz severa; sentenciava à morte o transgressor. Entretanto, “acima da lei estava o propiciatório, sobre o qual se revelava a presença de Deus, e do qual, em virtude da obra expiatória, se concedia o perdão ao pecador arrependido” (Patriarcas e Profetas, p. 349).

Louvemos sempre a Jesus, porque Sua misericórdia pode anular a maldição que a lei pronuncia contra o pecador. O propiciatório aponta para o trono da graça no Céu, de onde Deus nos ouve, nos responde e abençoa.

A arca da aliança tinha varais por meio dos quais os sacerdotes a conduziam. Esses varais não podiam ser retirados do seu lugar porque a arca devia sempre estar preparada para marchar. Ela era o centro constante das atenções do povo peregrino e ia sempre à frente do grande cortejo, transportada pelos sacerdotes, rumo à Canaã, que era a Terra Prometida.

Não deixemos a arca falar em vão ao coração, durante a nossa jornada rumo à Canaã celestial. Vamos recebê-la e apreciá-la com todo amor, e as bênçãos de Obede-Edom (1Cr 13: 14) enriquecerão nossa casa.

Após a cansativa caminhada pelos desertos deste mundo, chegaremos às margens do Jordão desta vida. Cristo, o grande Sumo Sacerdote, à frente do Seu povo, abrirá caminho por entre as águas revoltas e nos fará atravessar o rio, conduzindo-nos ao País de eterna paz, o Lar dos salvos, a Canaã celestial. Você gostaria de passar por essa maravilhosa experiência? A resposta é sua!

REFLEXÃO: “Para com as suas iniqüidades usarei de misericórdia, e dos seus pecados jamais Me lembrarei” (Hb 8: 12).