Para Onde Vai seu Dinheiro?

“Sempre haverá pobres e necessitados no meio do povo, e por isso Eu ordeno que vocês sejam generosos com todos eles.” (Deuteronômio 15:11)

João Wesley, filho de uma humilde família de nove irmãos, morava na Inglaterra, onde seu pai, Samuel Wesley, era pastor em uma região de muita pobreza. Wesley seguiu os passos do pai e se tornou pastor. Além disso, ele foi lecionar na Universidade de Oxford, onde ganhava um bom salário e passou a viver confortavelmente.

Certa ocasião, Wesley havia gastado seu dinheiro ao comprar alguns quadros para pendurar nas paredes de seu quarto. Uma camareira bateu na porta do seu quarto e, quando Wesley abriu a porta, percebeu que a mulher não tinha agasalho suficiente para se proteger do frio. Wesley colocou a mão no bolso para lhe dar algum dinheiro para comprar um casaco, mas não achou quase nada. Imediatamente, se lembrou de Deus. Caindo em si, reconheceu que Deus não estava satisfeito com sua maneira de administrar o dinheiro. Olhando para os quadros na parede, perguntou-se se eles não representavam o dinheiro que poderia levar aquela mulher à salvação.

Wesley decidiu refazer os cálculos de suas despesas. No começo, sobrava pouco para dar aos pobres. Mas, com o passar dos anos, ele organizou suas despesas de maneira que seus gastos continuaram sempre os mesmos. Assim, sempre que seus rendimentos aumentavam, ele os separava para os pobres. Ele mantinha o mesmo padrão de vida particular e familiar, mesmo prosperando financeiramente. Suas doações cresciam à medida que sua renda prosperava. Em certa ocasião, o departamento do imposto de renda enviou uma carta a Wesley insinuando que ele não havia declarado o imposto de uma baixela de prata. Wesley respondeu: “Tenho duas colheres de prata em Londres e duas em Bristol. Essa é toda a prataria que possuo. E eu não poderei possuir mais nenhuma enquanto existirem pessoas ao meu redor querendo pão.” Wesley criou três regras que norteavam sua vida: ganhe tudo o que puder; poupe tudo o que puder; doe tudo o que puder.

Com certeza, essa é a maneira e o jeito certo de ver as coisas – mais para os outros e menos para nós. Wesley, sem dúvida, foi um homem de Deus. E nós também podemos ser, se tão somente nos entregarmos a Ele. A propósito, como você tem administrado seu dinheiro?