A Pérola de Grande Preço

“[O negociante,] encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo o que tinha e a comprou.” (Mateus 13:46)

Mesmo que não sejamos compradores obsessivos e compulsivos, há algumas coisas que fazem saltar nossos olhos e cativam nosso desejo de comprar. Às vezes, é um relógio de pulso, um celular, um par de tênis, uma roupa, óculos de sol... E queremos “espichar” nosso dinheiro. Dizemos: “Por que não gastar só um pouquinho mais e ficar completamente satisfeito?”

Foi esse sentimento que tomou conta do mercador de pérolas, quando ele encontrou o que estava procurando. “Achei! Era essa mesma!” A pérola era tão extraordinária que ele foi fisgado pela beleza da joia. Depois que a descobriu, estava disposto a fazer todo sacrifício para adquiri-la. Foi então que vendeu tudo o que possuía e a comprou.

Guy de Maupassant conta a história de Matilde Naisiel, mulher simpática, graciosa, mas casada com um pobre funcionário. Ela gostava de se vestir bem e ir a festas. Foram convidados pelo Ministro de Educação, de quem seu esposo era funcionário, mas lamentava não ter o que vestir. Com 700 francos dados pelo esposo, ela comprou um bonito vestido, e pediu emprestado à amiga Madame Forestier um colar de diamantes. Na festa, Matilde estava encantadora. Mas, no caminho de volta para casa, perdeu o colar. Tiveram que comprar outro pelo preço de 36 mil francos.

Dez anos mais tarde, ela se encontrou com Madame Forestier e lhe contou que havia trabalhado todos aqueles anos para pagar o colar.

– O quê? Mas você me devolveu o colar! – disse a Sra. Forestier.

– Sim, eu devolvi um igual a ele, e há dez anos o estamos pagando.

– Você está dizendo que comprou um colar de diamantes para repor o meu?

– Sim.

– Oh! Minha querida Matilde, mas o meu era somente de vidro e não valia mais do que 500 francos!

Muitos trabalham penosamente e se sacrificam para encontrar apenas desapontamento. A verdade é que somente Jesus satisfaz. Aquele que encontra em Cristo a satisfação de todos os seus desejos deve estar disposto a dizer como Paulo: “Vejo tudo como perda em comparação ao lucro superior de conhecer a Cristo Jesus. [...] Por causa dEle, cheguei a sofrer perda de tudo, mas considerei isto simples refugo, se comparado ao fato de poder ganhar a Cristo” (Fp 3:8).

“Tudo que pode satisfazer às necessidades e anelos da vida humana, para este e para o mundo vindouro, é encontrado em Cristo” (Parábolas de Jesus, p. 115).