O Casaco Queimado

Portanto, aquele que se humilhar como esta criança, esse é o maior no reino dos Céus. (Mateus 18:4)

– Mamãe, posso brincar na casa da Patti? – perguntou minha filha de 5 anos, numa sexta-feira agitada.

Com a permissão, lá se foi ela, feliz, para brincar com uma menina da vizinhança. A hora passou rapidamente para mim, e no momento em que fui olhar o relógio, a porta se abriu e Sherlyn entrou. Uma olhada só, e vi que algo estava errado.

– Ah, mamãe – soluçou ela –, aconteceu uma coisa horrível! – Quando ela se virou, vi que as costas do seu casaco tinham um grande buraco. Havia um aquecedor elétrico no quarto de Patti, e Sherlyn, sem saber o que era, deixara o casaco sobre ele. Não havia loja de roupas em nossa cidadezinha, e não havia dinheiro em nosso orçamento mensal para um casaco. Era o fim da tarde de sexta-feira, e Sherlyn não tinha casaco para usar na igreja no dia seguinte.

– Não se preocupe, mamãe – disse Sherlyn. – Jesus vai me mandar um casaco. Vamos ajoelhar e pedir a Ele.

Ah, que fé tem uma criancinha, pensei, enquanto nos ajoelhávamos. Temi que essa fé fosse testada desta vez.

Então, a Sra. Clark, a vizinha do outro lado da rua, me chamou e pediu que eu fosse lá por alguns minutos. Ela trabalhava fora da cidade, para uma família muito rica, e às vezes trazia roupas para Sherlyn, muito bonitas, quase sem uso – algumas ainda com a etiqueta do preço. Fazia um bom tempo que ela não trazia roupas, e achei que ela só queria conversar por alguns minutos. Quando perguntei a Sherlyn se queria ir também, ela disse: – Ah, é o casaco! Eu sabia!

Quando a Sra. Clark abriu a porta, sorriu e disse que havia trazido algumas coisas e esperava que Sherlyn quisesse usá-las. Ela segurou um casaco, e que lindo casaco era aquele! Era azul-marinho, com uma estreita gola de pele e um chapéu e luvas combinando. – Aaaahhh! Eu lhe disse que Jesus ia responder à minha oração e me mandaria um casaco! E é o mais lindo que eu podia esperar! – Juntas, contamos à Sra. Clark a história do casaco queimado e das nossas orações.

Sherlyn, hoje, é adulta e tem três filhas. Com frequência, conta-lhes essa história da fé manifestada por uma criancinha e de como Deus responde às orações.


(Nelda Bigelow)