Nunca Desvie o Olhar

"O temor do Senhor é aborrecer o mal; a soberba, e a arrogância." (Provérbios 8:13)

Todos queriam repousar e estar sós. O trabalho com pessoas exige muito, e eles estavam esgotados. Entraram em seus barcos para atravessar a enseada e ir para casa. A noite já caía e não havia estrelas no céu. Sinal de que poderiam pegar uma chuva com ventos. Era tudo o que não queriam.

O mar começou a agitar-se e eles remavam com o resto de suas forças. Todos estavam empenhados em cuidar para o barco não afundar. Alguém, então, gritou: “É um fantasma!” Mas, como? Fantasmas não existem! No entanto, todos do barco viram a mesma coisa e só podia ser um fantasma. O medo tomou conta deles. Foi então que “aquela coisa” que estava sobre as águas, falou: “Sou Eu! Não tenham medo!” (Mateus 14:26, 27).

O amado Mestre viera socorrer-lhes. Nunca haviam visto tal coisa. Então, Pedro pediu provas: “Se é o Senhor mesmo, mande que eu vá andando em cima da água até onde o Senhor está”. “Venha!” –, foi a resposta (v. 28, 29).

Com cuidado Pedro, testou o lugar onde pisaria. Seu pé se firmou. Ele sentiu confiança e colocou o outro pé, levantando-se com cuidado. Estava firme e ele adquiriu mais confiança. Com tal proeza, seu nome ficaria na história. Se existissem noticiários, por certo falariam de sua proeza. Seu orgulho aflorou. Pobre Pedro! Ainda não aprendera a lição. Quis que seus amigos vissem que ele era “bom”. Nesse momento, seu “chão” ruiu sob seus pés. O vento levantou uma onda que se colocou entre ele e Cristo. “Senhor, salva-me”, foi seu pedido urgente.

Jesus nunca nos deixa sozinhos, mesmo que busquemos nossos próprios caminhos. Ele estendeu a mão e o socorreu. Seu caminho de volta, amparado pelo Mestre, foi diferente. Molhado e envergonhado, entrou no barco.

O orgulho nos coloca em “chão” perigoso. Quando menos esperarmos, podemos ser vítimas de nós mesmos. Não desviemos nossos olhos do meigo Jesus. Ele é o único que pode nos levar seguros até a praia.