Cura para o perfeccionismo

"Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus." (Filipenses 3:12)

O que há de errado em tentar ser perfeito? A Bíblia não diz que devemos fazer tudo segundo as nossas forças? (Ec 9:10). Sem dúvida. O que não é saudável é medir nosso valor como seres humanos através do desempenho pessoal. A Bíblia também diz que devemos fazer tudo para a glória de Deus (1Co 10:31). Se o meu mérito diante de Deus e dos homens depende de meu desempenho, a quem estou tentando glorificar?

E é aí que está o problema. Segundo os psicólogos, o perfeccionista baseia seu valor naquilo que os outros pensam dele. Como deseja ser tido em alta conta pelas pessoas, faz de tudo para parecer perfeito. E por isso, é extremamente exigente consigo e com os outros. Nada do que ele ou alguém faz é suficiente. Trabalha excessivamente para alcançar a perfeição e não consegue relaxar.

Essa doença pode ter tido origem na infância, quando a criança procura obter inutilmente a aprovação dos pais, como exemplifica o Dr. David A. Seamans: Bill, por mais que tentasse, não conseguia satisfazer o pai. Trazia o boletim com notas 8 e 9, mas o pai dizia: “Bill, acho que se você se esforçar um pouco mais, poderá tirar 9 em tudo, não é?”

Então, Bill se pôs a estudar ainda mais, e certo dia trouxe o boletim com 9 em todas as matérias. Então o pai disse: “Mas sabe de uma coisa? Se você se esforçar um pouco mais, poderá tirar 10 em tudo.”

E ele estudou e se esforçou durante vários meses, até que finalmente ganhou 10 em tudo. Agora o pai e a mãe certamente ficariam muito satisfeitos com ele. Mas o pai olhou o boletim e disse: “Ah, conheço esses professores. Eles dão 10 à-toa!” (Cura Para os Traumas Emocionais, p. 21).

É impossível satisfazer um pai assim. E a mesma imagem que a criança tem do seu pai, terá de Deus também. Parece que Deus está sempre lhe dizendo: ”Ainda não está bom. Esforce-se um pouco mais.”

A cura para o perfeccionismo não é você se tornar relapso. Não é desistir de tudo. Apenas humilhe-se diante de Deus, como o publicano da parábola (Lc 18:9-14), reconhecendo sua impotência para lutar corpo a corpo contra o pecado, e aceite a justificação divina. Deus o aceita com todos os defeitos e pecados. Lembre-se de que o fariseu da parábola, que se julgava perfeito, não foi justificado.