O CALVÁRIO DE DOR

UMA VIDA COM PROPÓSITO

Reconhecer a Cristo como Senhor em todos os aspectos de nossa vida, deve ser uma busca diária. O saudável relacionamento com Deus desenvolverá um estilo de vida onde aceitemos, um dia de cada vez, o senhorio de Cristo. Um mordomo fiel é uma pessoa espiritual.

Jesus entregou-Se como oferta de sacrifício por nós. Ele deseja que façamos de tudo para estabelecer o Seu reino, entregando nossas vidas como sacrifício vivo, e tirando de nossos bens ofertas de sacrifício em prol da salvação de nossos semelhantes.

Cristo prometeu que recompensará o cristão fiel e liberal, mas não quer que nossa motivação em doar seja o interesse pela recompensa. Seu desejo e que aprendamos lições preciosas ao copiar Seu exemplo.

JESUS, MEU EXEMPLO DE VIDA

No alto da cruz de Cristo foi colocada por Pilatos a inscrição: "Jesus Nazareno Rei dos Judeus" (João 19:19). Os sacerdotes pediram a Pilatos que mudasse a inscrição que fora colocada na cruz. Disseram: " 'Não escrevas: Rei dos judeus, e sim que Ele disse: Sou o Rei dos judeus' (João 19:21). Mas Pilatos sentia-se descontente consigo mesmo por causa de sua fraqueza e desprezou completamente os príncipes perversos e invejosos, dizendo: 'O que escrevi, escrevi' (João 19:22).

Os soldados dividiram entre si as vestes de Jesus, mas como Sua túnica era sem costura, contenderam por ela e finalmente fizeram um acordo de que deveriam lançar a sorte para ver quem a levaria. O profeta de Deus já havia predito esse incidente nas Escrituras:

'Cães Me cercam; uma súcia de malfeitores Me rodeia; traspassaram-Me as mãos e os pés. Repartem entre si as Minhas vestes e sobre a Minha túnica deitam sortes' (Salmos 22:16 e 18).

Assim que Jesus foi erguido na cruz, desenrolou-se uma terrível cena. Sacerdotes, príncipes do povo e escribas juntaram-se à multidão e irromperam em zombarias e insultos contra o Filho de Deus agonizante, dizendo:

‘Se Tu és o Rei dos judeus, salva-Te a Ti mesmo (Lucas 23:37). Salvou os outros, a Si mesmo não pode salvar-Se. É Rei de Israel! Desça da cruz, e creremos nEle. Confiou em Deus; pois venha livrá-Lo agora, se, de fato, Lhe quer bem; porque disse:Sou Filho de Deus' (Mateus 27:42 e 43).

Cristo poderia ter descido da cruz; mas, se tivesse feito isso, jamais poderíamos ser salvos. Par amor a nós, Ele Se dispôs a morrer.

'Mas Ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas Suas pisaduras fomos sarados' (Is 53:5)."

Ali estava o Criador dos céus e da terra, voluntariamente oferecendo-Se para ocupar o lugar do homem. As dores que estava sofrendo eram terríveis, porém, mais terrível, era perder àqueles a quem havia criado a Sua imagem e semelhança. Por eles estava disposto a suportar todas as agruras.

"O imaculado Filho de Deus pendia da cruz, a carne lacerada pelos açoites; aquelas mãos tantas vezes estendidas para abençoar, pregadas ao lenho; aqueles pés tão incansáveis em serviço de amor, cravados no madeiro; a régia cabeça ferida pela coroa de espinhos; aqueles trêmulos lábios entreabertos para deixar escapar um grito de dor. E tudo quanto sofreu - as gotas de sangue a Lhe correr da fronte, das mãos e dos pés, a agonia que lhe atormentou o corpo, e a indizível angústia que lhe encheu a alma ao ocultar-se dEle a face do Pai - tudo fala a cada filho da família humana, declarando: É por ti que o Filho de Deus consente em carregar esse fardo de culpa; por ti Ele destrói o domínio da morte, e abre as portas do Paraíso. Aquele que impôs calma às ondas revoltas, e caminhou por sobre as espumejantes vagas, que fez tremerem os demônios e fugir a doença, que abriu os olhos cegos e chamou os mortos à vida - ofereceu-Se a Si mesmo na cruz em sacrifício, e tudo isso por amor de ti. Ele, o que leva sobre Si os pecados, sofre a ira da justiça divina, e torna-Se mesmo pecado por amor de ti.”

Contemplar diariamente as cenas da vida de Jesus,especialmente as finais, pode exercer grande poder em nossa transformação.

VIVENDO COMO UM DISCÍPULO

O Sacrifício de Cristo na cruz do Calvário, como oferta de Deus para nos libertar, mostra quão pouco temos feito em prol da salvação das pessoas. Sem duvida, poderíamos estar muito mais envolvidos neste ministério de amor, colocando mais de nossa vida a serviço do evangelho.

Vivemos em uma época áurea da história da terra. Todo esforço deve ser feito para levar o evangelho a um mundo a perecer.

Cristo podia ter descido daquela cruz, mas Ele não fez; por nós ele se submeteu à morte, e morte de cruz, que era reservada para os piores marginais da época. O filho de Deus, O Criador, aceitou os escárnios e o peso dos nossos pecados sobre si, por amor ele morreu a nossa morte, por amor a nós que não merecemos, mas mesmo assim ele nos amou.

"Agora Deus requer, não menor, mas maiores dádivas que em qualquer outro período da historia do mundo. Ele solicita a sua entrega pessoal a ele.

Como ? Fale com Deus através da oração, fale com ele como você fala com um amigo, pois não existe amigo maior do que Jesus, Leia a Bíblia, leia sobre seu amor, que se encontra espalhado em toda a Bíblia, aprenda como ele agia e medite nos atos de Jesus, reserve tempo diário para este contato especial com Ele, e dia a dia seu atos serão mais parecidos com os de Cristo.