O CASTIGO DE CRUZ

UMA VIDA COM PROPÓSITO

Devemos permitir a soberania de Cristo em nosso viver e aceitar um estilo de vida que O permita ser o nosso Senhor. Assim vivendo, estaremos em sociedade com Ele, assumiremos o papel de administradores de Seus assuntos aqui na terra.

A intimidade com Deus vem da participação de Cristo em nosso viver diário,e do consentimento de que Ele atue como nosso Salvador e Dono.

JESUS, MEU EXEMPLO DE VIDA

Que cenas cruéis foram observadas ali! Aquele que veio salvar o homem não só foi rejeitado, mas desprezado, torturado, e maltratado. Ele era a luz, mas preferiram as trevas. Ele era a salvação, mas preferiram a condenação e destruição eterna.

Satanás tentou fazer Cristo desistir da humanidade. Mas ele não triunfou. Como uma ovelha muda foi levado ao matadouro, Cristo, sem abrir a boca, foi torturado em nosso lugar.

"Cristo,o precioso Filho de Deus, foi levado para fora e entregue ao povo para ser crucificado. Os discípulos e crentes da região próxima uniram-se à multidão que seguia Jesus ao Calvário. A mãe de Jesus também estava ali,amparada por João, o discípulo amado. Seu coração estava partido por indescritível angústia; todavia, ela, como os discípulos, esperava que a dolorosa cena mudasse, Jesus declarasse Seu poder e aparecesse diante de Seus inimigos como o Filho de Deus. Seu coração materno, então confrangeu-se novamente ao relembrar ela as palavras nas quais Ele havia feito ligeira referência as coisas que estavam acontecendo naquele dia.

Jesus mal tinha passado o portão da casa de Pilatos quando a cruz preparada para Barrabás foi deposta sobre Seus feridos ensangüentados ombros. Cruzes também foram colocadas sobre os companheiros de Barrabás, que deviam sofrer a morte ao mesmo tempo em que Jesus. O Salvador havia conduzido Seu fardo apenas uns poucos passos quando, devido à perda de sangue e excessiva fraqueza e dor, caiu desmaiado ao solo.

Quando Jesus Se reanimou, a cruz foi novamente colocada sobre Seus ombros e Ele foi forçado a avançar. Vacilou mais uns poucos passos, sentindo Sua pesada carga, e caiu ao solo, exânime. De início fora considerado morto, porém finalmente reviveu.

Os sacerdotes e príncipes não sentiam compaixão por sua sofredora vítima; mas viam que Lhe era impossível carregar o instrumento de tortura mais adiante. Enquanto estavam considerando o que fazer, Simão, o cireneu, vindo de direção oposta, encontrou a multidão, foi agarrado por instigação dos sacerdotes, e compelido a carregar a cruz de Cristo. Os filhos de Simão eram discípulos de Jesus, mas ele mesmo nunca tinha sido associado com Ele.

Uma grande multidão seguiu o Salvador ao Calvário, muitos zombando e injuriando, porém alguns estavam chorando e expressando Seu louvor. Aqueles a quem Ele havia curado de várias enfermidades, e aqueles a quem havia ressuscitado dos mortos, declaravam Suas maravilhosas obras com fervorosa voz, e procuravam saber o que Jesus tinha feito para ser tratado como um malfeitor. Apenas uns poucos dias antes, eles o aclamaram com alegres hosanas, e agitaram suas palmas, quando Ele entrou triunfalmente em Jerusalém. Mas, muitos que haviam gritado em Seu louvor, porque era popular fazer assim, agora avolumavam o clamor: 'Crucifica-O! Crucifica-O! (Lucas 23:21).”

Jesus viera para os Seus, mas eles não o reconheceram. As vozes que deveriam unir-se para anunciá-Lo ao mundo, em cumprimento à missão que Deus havia confiado àquele povo, uniram-se a serviço de Satanás. Quão triste deve ter sido para o Céu contemplar a cena; e quão doloroso foi para Cristo ser rejeitado por aqueles a quem tanto amava.

VIVENDO COMO UM DISCÍPULO

Que sacrificio Jesus fez por nós, ele sofreu, foi humilhado, espancado, zombaram dele, isso tudo por mim e por você, para pagar o preço dos meus pecados, dos seus pecados e de toda a humanidade, e fez isto por amor, um amor enorme e, para nós, até dificil de entender.

Cada etapa vencida por Cristo na via dolorosa tornou-se uma conquista em prol da nossa salvação. O reino de Cristo estava sendo estabelecido. Estes momentos devem ser relembrados. A bandeira ensangüentada de Cristo deve ser erguida e a salvação anunciada a todos os povos, nações, tribos e línguas. Para isso a igreja de Deus foi estabelecida na terra.

Ao contrario das vozes que gritavam "crucifica-O", hoje, um coro de milhões de pessoas clama em todo o mundo: "Seja exaltado nosso Rei".

A exemplo de Cristo, que foi fiel em Sua missão, cabe-nos ser fiéis na parte que nos corresponde.