O SALVADOR DO MUNDO

UMA VIDA COM PROPÓSITO

Como cristãos, devemos lutar contra o próprio Eu. Devemos pedir a Jesus para nos libertar do narcisismo que impera em nossa alma, da tendência para o mal e da exaltação própria.

JESUS, MEU EXEMPLO DE VIDA

Jesus viu que os discípulos não podiam suportar o que tinha para lhes dizer. Ao contemplar seus rostos, as palavras de advertência e conforto travaram em Seus lábios.

"Mesmo na sala da páscoa, na hora solene em que o Mestre já estava a entrar na sombra do Getsêmani, houve "entre eles contenda, sobre qual deles parecia ser o maior' (Lucas 22:24). Nada mais viam senão o trono, a coroa e a glória, enquanto precisamente diante deles se achavam a ignomínia e agonia do jardim, do tribunal, da cruz do Calvário. O orgulho no coração e a sede de glória mundana é que os levou a apegar-se tão tenazmente ao falso ensino de seu tempo, e deixar despercebidas as palavras do Salvador que mostravam a verdadeira natureza de Seu reino e apontavam para a Sua agonia e morte."

Apegavam-se os discípulos a sua idéia favorita de que Cristo firmaria Seu poder e assumiria Seu posto no trono de Davi. Em seu íntimo, cada um continuava a anelar a posição mais elevada do reino.

Mas o Salvador veio ao mundo para trabalhar pelos outros, vivendo para ajudar e salvar os necessitados. Ele deseja que façamos o mesmo.

"Enquanto participavam da ceia, os discípulos perceberam o sofrimento de Jesus. Uma atmosfera de tristeza contagiou a todos e comiam em silêncio.

Finalmente, Jesus disse: 'Em verdade vos digo que um dentre vós me trairá' (Mateus 26:21).

Os discípulos ficaram surpresos e entristecidos com aquela declaração de Jesus e cada um começou a examinar seu coração para ver se havia nele algum mau desígnio contra Seu Mestre.

Um após o outro perguntava: 'Porventura, sou eu, Senhor? (Mateus 26:22). Só Judas permanecia calado. Isso fez com que todos os olhares se voltassem para ele. Percebendo que estava sendo observado, também perguntou: "Acaso, sou eu, Mestre?” Jesus lhe respondeu em tom solene: ‘Tu o disseste' (Mateus 26:25).

Jesus havia lavado os pés de Judas, mas isso não fez com que amasse o Mestre mais do que antes. Ficou aborrecido porque Cristo havia feito o trabalho de um servo. Agora ele sabia que Jesus não seria rei e isso fez com que ficasse mais determinado a traí-Lo.”

VIVENDO COMO UM DISCÍPULO

Ao instituir Cristo o rito da Santa Ceia, o coração de cada homem presente ficou contrito. Deixaram o Espírito Santo tocar-lhes e examinaram seus corações. Somente Judas permaneceu insensível.

Assim também o mal se apoderará de nós, se estivermos mais preocupados em satisfazer as vontades da carne, do que a vontade de Cristo. Se abrirmos o coração a Ele, nossa mente será fortalecida e Seu Espírito destruirá toda barreira que haja causado desunião e desafeto.