Fazer o Bem Sempre

George Bolt era recepcionista em um dos maiores hotéis da Filadélfia. Um dia, um idoso senhor solicitou um quarto.

– Lamento, senhor – disse Bolt –, todos os quartos estão ocupados para esta noite.

O homem olhou por um tempo para Bolt e disse:

– Minha esposa está doente e preciso de um quarto. Não consegui encontrar nenhum nesta noite.

– Sinto muito mesmo, senhor. Não há um único quarto vago no hotel.

O idoso homem virou-se para sair, mas Bolt lhe pediu para esperar.

– Senhor, eu disse que não havia quarto vago no hotel, mas se sua esposa está doente e, se o senhor não se incomodar, poderá ficar no meu quarto. Eu posso dormir em uma dessas cadeiras quando acabar meu trabalho. Por favor, acompanhe-me.

Bolt levou o casal para seu próprio quarto e o instalou confortavelmente.

Na manhã seguinte, o idoso homem ligou para o gerente do hotel e disse:

– O senhor tem um funcionário por sobrenome Bolt, que estava trabalhando na noite passada?

– Sim, tenho – confirmou o gerente. – O nome dele é George Bolt. O senhor vai precisar dele?

– Se vou? Meu nome é John Jacob Astor. Irei construir o maior hotel da América. Quero que aquele rapaz seja o gerente de meus negócios. Por anos tenho procurado um homem que saiba como tratar bem aos outros.

O hotel que aquele idoso homem construiu ficou famoso com o nome de Waldorf-Astoria Hotel, e George Bolt ficou famoso como gerente do hotel por longos 40 anos.

Vale a pena seguir o exemplo de Bolt e fazer o bem a todos com quem entramos em contato. O resultado pode nos surpreender.


"Não nos cansemos de fazer o bem. Pois, se não desanimarmos, chegará o tempo certo em que faremos a colheita." (Gálatas 6:9)