“Eu Creio!”

George Whitefield ouviu alguém gritar seu nome. Quando olhou com mais cuidado, viu uma mulher que agitava os braços sem parar. Ela estava inteiramente molhada à beira do rio Tâmisa.

Ao avistar a pobre mulher, Jorge se aproximou dela e logo percebeu tratar-se da esposa de um detento da prisão que ele visitava semanalmente.

– Fiz algo terrível – disse ela, caindo-lhe aos pés. – Não agüentava mais ouvir meus filhos chorando por comida, de maneira que me joguei da ponte. Um homem nadou até mim e me resgatou. Agora percebo o quanto sou pecadora. Existe esperança para mim?

– Tome este dinheiro e compre algum alimento para seus filhos – disse George, colocando algumas moedas na mão da mulher. – Vou visitar seu marido na prisão hoje mesmo.

Ele foi até a prisão levando uma Bíblia. A mulher que ele ajudou estava lá. Abrindo a Bíblia, ele leu para ela e seu marido: “Deus amou ao mundo de tal maneira... para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.

– Eu creio! – gritou a mulher, num salto. – Creio que Jesus me salva da morte eterna! Eu nasci de novo!

– Ajude-me! – suplicou o marido, apertando fortemente a mão de George. – Sou um pecador candidato ao inferno!

– Deus amou ao mundo – disse George pausadamente – de tal maneira que deu Seu Filho unigênito, para que todo o que nEle crer...

– Eu também creio – exclamou o marido. – Eu nasci de novo. Oh, glória, glória!

George ficou muito impressionado com a experiência daquele casal, pois ele mesmo não havia sentido aquilo. Somente meses mais tarde ele aceitou a salvação gratuita de Deus. Ao experimentar o novo nascimento, George Whitefield tornou-se um dos maiores pregadores do século dezoito, levando multidões aos pés de Cristo.

Deus nos convida a acreditar em Seu amor e perdão. Seu maior desejo é salvar-nos. Então, por que duvidar?


"Pare de duvidar e creia!" (João 20:27)