O Vestido Azul

Num bairro pobre de uma cidade distante, morava uma menina muito bonita. Mas a sua família não tinha muito cuidado e a criança apresentava-se na escola quase sempre suja e vestida com roupas muito velhas e maltratadas. Isto entristecia a professora.

- “Como é que uma menina tão bonita pode vir para a escola tão mal arranjada?”, perguntava-se.

Então, embora com dificuldades económicas, resolveu comprar-lhe um vestido novo. E ela ficou linda com o vestido azul.

Quando a mãe viu a filha com o novo e lindo vestido azul, percebeu que não estava bem que a sua filha fosse com aquele vestido tão suja para a escola. Por isso, passou a dar-lhe banho todos os dias, a pentear os seus cabelos, a cortar as suas unhas.

Passada a semana, o pai da menina, com os olhos cheios da beleza da sua filha no seu vestido azul, disse a sua mulher “não achas uma vergonha que nossa filha, sendo tão bonita e bem arranjada, more numa casa como a nossa, caindo aos pedaços? Que tal darmos um jeito a isto? Como não temos dinheiro vou fazê-lo eu mesmo nas horas vagas ... vou pintar as paredes, consertar a cerca e plantar um jardim”.

Pouco tempo depois, a casa destacava-se pelas paredes pintadas e pela beleza das flores que enchiam o jardim, o que envergonhava os vizinhos cujas casas eram como barracos. Isso motivou-os a fazer alguma coisa para embelezar as suas casas, pintando, plantando flores e usando a sua criatividade.

Em consequência, o bairro pobre, até há pouco desagradável à vista, estava todo transformado.

Entretanto, alguém que acompanhava os esforços e as lutas daquela gente por melhorar a sua situação de vida, viu naquela transformação algo que merecia o auxílio das autoridades.

Foi à prefeitura da cidade e conseguiu uma autorização para formar uma comissão para estudar os melhoramentos necessários ao bairro. A rua de barro e lama foi substituída por asfalto e calçadas de pedra. Os esgotos a céu aberto foram canalizados e o bairro ganhou ares de cidadania.

... E tudo começou com uma professora que viu na menina a beleza e lhe deu um vestido azul... Fazendo o que podia – com um vestido azul – aquela professora iniciou uma transformação que a suplantou. Esta história encerra um sinal de ressurreição. Na grandeza do seu amor Deus usa a nossa pequena parte como meio de transformação nas situações difíceis e às vezes quase impossíveis de vida.


Jesus nos diz: “do coração daquele que crê em mim, hão de nascer rios de água viva” (João 7:38).

"Jesus, fixando neles o olhar, respondeu: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível." (Mateus 19:26)