Não desanimar!


Imaginemos a responsabilidade de um concertista numa noite de estréia. Palco, luzes, platéia, jornalistas, crítica, alta classe social. Toda a sorte de motivação. Daquela noite depende o seu futuro. Será ou não a consagração de um ideal, de muitos anos de preparação?!

Um jovem fazia a sua estréia. Quando era grande a atenção do público, arrebentou-se uma das cordas do seu violino. O auditório prendeu a respiração por uns momentos. O moço continuou impávido. No final recebeu os cumprimentos de todos. Mas o momento culminante aconteceu quando foi cumprimentado pelo professor. O jovem explicou:

- Professor, por uma fração de segundo pensei em desistir, mas olhei para o senhor, sentado bem na minha frente, e o seu olhar me infundiu confiança.


“Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embargo, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta. Olhando para Jesus, autor e consumador da fé” (Hb 12:1 e 2)