A Serpente e o Vagalume



Era uma vez um vagalume, e onde ele brilhava era de uma escuridão tamanha... e ele voava se um lado para outro... ziguezagueava por entre as árvores e brincava com seu brilho. Ora piscava, ora deixava a luz direto iluminando o caminho junto com o luar, isso quando tinha luar...

Mas certa vez, ao voar sobre uma árvore, eis que uma serpente deu bote sobre ele. Assustado com o bote, ele voou em retirada, e sua luz tremia. E ao olhar para trás, a serpente lá estava, atrás dele, sem parar. E assim, foi durante toda a noite. E cansado, o vagalume deixou-se entreger. Ofegante, olhou a serpente e perguntou:

-Posso te fazer uma pergunta?

A serpente com deboche respondeu:

-Não sou de dar essa chance a ninguém, mas como vou te devorar mesmo, deixo você me perguntar o que quizer.

O vagalume perguntou:

- Dona serpente. Não faço parte da sua base alimentar; nunca te fiz nenhum mal; nunca estive em nenhum lugar por onde a senhora esteve; nunca almejei nada seu, então... Por que quer me matar?

- Porque sua luz me incomoda!


"Vós sois a luz do mundo. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus." (Mateus 5: 14 e 16)