O toque da fé
                  A Mulher com o Fluxo de Sangue


E eis que uma mulher, que durante doze anos vinha padecendo de uma hemorragia, veio por trás dEle e Lhe tocou na orla da veste. Mateus 9:20

Jesus e Seus discípulos estavam viajando de uma cidade para outra. Ele estava ensinando e curando as pessoas. Multidões afluíam a Ele.

E no meio dessa multidão estava uma mulher que sofria de uma hemorragia. Ela havia tentado de tudo, mas sem êxito. Havia gasto seus poucos recursos com os médicos da época, mas em vez de melhorar, havia piorado. Essa mulher ouviu falar de Jesus e, cheia de esperança, se enfiou no meio da multidão. Mas seu problema era constrangedor e ela não teve coragem de declarar publicamente o mal de que sofria, de modo que decidiu tocá-Lo secretamente. Então, abriu caminho por entre o povo, e quando ninguém parecia estar olhando, ela, temerosamente, tocou na orla do vestido de Jesus. E pela primeira vez, em 12 anos, o fluxo de sangue parou.

Jesus simultaneamente sentiu que algo especial havia ocorrido. Aquele toque havia sido diferente. E notou que dEle havia saído poder. Imediatamente parou e perguntou: “Quem tocou nas Minhas vestes?” Os discípulos ficaram espantados, em meio a todos aqueles puxões e empurrões. “Como, quem Te tocou? Todos estão Te tocando!”

É que os discípulos não sabiam diferenciar um toque de um empurrão. Mas Jesus podia. Ele sabia a diferença. Notou que havia sido um toque suave que Lhe extraíra poder.

A mulher não esperava ser descoberta, mas quando Jesus Se voltou e fez a pergunta, ela percebeu que Ele sabia de tudo. Então se aproximou tremendo, prostrou-se aos Seus pés e confessou que fora ela quem Lhe tocara as vestes. Explicou numa torrente de palavras por que O tocara e como havia sido instantaneamente curada. Jesus então a ergueu e lhe disse: “Tem bom ânimo, filha, a tua fé te salvou. E desde aquele instante, a mulher ficou sã” (Mt 9:22).

Notem como Jesus foi bondoso com ela. Ele não a repreendeu por tê-Lo interrompido. Não criticou suas crenças supersticiosas. Não a reprovou por tê-Lo procurado em última instância, depois de tudo o mais haver falhado. Após ter tentado todos os recursos que o mundo de então podia oferecer, ela finalmente apelou para Jesus. E muitos fazem isso ainda hoje. Só vão a Jesus em último caso, quando todas as suas demais esperanças já falharam. E mesmo assim, Jesus não despacha ninguém de mãos vazias.

Se você ainda não tentou nada para resolver seu problema, vá a Jesus em primeiro lugar. Se já tentou de tudo, sem solução, experimente Jesus.