A Mulher com o Fluxo de Sangue

Quando ouviu falar de Jesus, chegou por trás dEle, no meio da multidão, e tocou em Seu manto, porque pensava: “Se eu tão-somente tocar em Seu manto, ficarei curada.” Marcos 5:27 e 28.

A mulher com hemorragia – eu a imagino com freqüência, sangrando durante aqueles doze anos que mudaram sua vida. Ela vai de médico em médico, em busca de uma mensagem de cura. Se tivesse família, deve ter pensado: Como será a vida do meu esposo e dos meus filhos sem mim? Se fosse solteira, poderia ter pensado: Senhor, quem cuidará de mim quando eu não mais puder tomar conta da minha vida? Sente-se impelida a pensar em algo motivador: Tenho que encontrar um jeito de parar com esse sangramento, porque a vida do corpo é o sangue. Eu-eu-eu, gagueja ela, estou perdendo a minha vida. Debilitada, viaja para procurar outro doutor. Imagino a expressão aflita no seu rosto quando uma vez mais recebe aquela mensagem de secar a alma: “Não há cura humana para a sua hemorragia, senhora.”

A mulher continua em busca de cura porque se apegou a uma promessa. Tem a intuição de que será curada. Por que outro motivo teria procurado tantos médicos? Então ela ouve acerca de Jesus, e se aventura a sair para as ruas movimentadas naquele dia, uma mulher desesperada, iludida com uma promessa de cura. Ela sente que se tão-só puder sair, se tão-só chegar suficientemente perto do Messias, se tão-só tocar a orla de Seu manto, certamente será curada. E faz exatamente isso. Eu a imagino arrastando-se em meio à multidão. A mulher com o fluxo de sangue se aproxima suficientemente do Médico para Lhe tocar a orla do manto, e é curada.

Uma mulher com hemorragia. Às vezes, também sinto a desesperada necessidade de tocar a orla das vestes de Jesus, num esforço por ser curada de um fluxo que não tem alívio humano. Durante esses momentos, tento identificar-me com a mulher que sofre de hemorragia. Obrigo-me a sair para a rua. Medito nas palavras de Jesus. Repito as palavras de Deus para Ele. Vou à igreja para comungar com os santos de Deus. Encontro fé nessas atividades, um tipo de toque nas vestes de Jesus. Ah, como amo a Jesus por ter tornado acessíveis para mim essas atividades modernas que constituem o toque no Seu manto!

E como a mulher com o fluxo de sangue, sinto Jesus falando comigo: “Filha, a sua fé produziu a cura em você.” Amém, amém!

Ramona L. Hyman