Aquietar-se com Jesus
                              A mulher adúltera


"Quando ouviram isso, todos foram embora, um por um, começando pelos mais velhos. Ficaram só Jesus e a mulher, e ela continuou ali, de pé." (João 8: 9)

A mulher, possivelmente, era prostituta. Pessoas respeitáveis ignoravam as prostitutas, os líderes religiosos as condenavam, mas Jesus as perdoou.

Sempre li a história dessa mulher sentindo duas emoções – constrangimento por ela e raiva dos que a lançaram na presença do santo Jesus, especialmente porque haviam sido eles os que a induziram a pecar. Mas, recentemente, essa raiva se transformou em piedade. Sinto pena daqueles que exigiram seu apedrejamento. Tenho pena daqueles que estavam na presença de Jesus, por terem seus pecados revelados (mesmo que só para eles mesmos), e por se haverem afastado antes de ouvir Jesus dizendo: “Nem Eu tampouco te condeno.” Deve ter sido uma das experiências mais solitárias da vida.

A beleza dessa história é que a mulher ficou tempo suficiente na presença de Jesus para experimentar o perdão dos pecados, liberdade da culpa no coração. Agora, pergunto se nos aquietamos o suficiente quando estamos na companhia de Jesus, a ponto de experimentar libertação da culpa e purificação do mal que se insinua no coração e na mente? Aquietamo-nos por tempo suficiente para saber, sem hesitação, que não há pecado – cometido intencionalmente ou executado inconscientemente – que Deus não perdoe? Sabemos realmente que Deus anseia mais do que qualquer coisa conceder-nos perdão e aceitação?

Por muitos anos, dirigi um grupo de oração intercessória. Numa das reuniões, focalizamos nossos pecados. Pedimos que Deus revelasse nossos pecados. Então, os confessamos a Deus e pedimos purificação.

Quando fiz isso pela primeira vez, fiquei chocada diante dos pecados que Deus me trouxe à lembrança – não coisas óbvias, mas atitudes, pensamentos e emoções dos quais eu não tinha consciência. Quando esses pecados me vieram à mente, passei tempo com Deus, pedindo-Lhe que me purificasse. O que me espantou foi quão sossegada me senti por dentro! Também experimentei um desejo crescente de fazer o que era correto, não só exteriormente, mas no interior. Desejei confiar em Deus, servi-Lo e adorá-Lo mais.

Sente-se na presença de Deus por tempo suficiente para que Ele lhe mostre seus pecados. Permita que Deus a banhe com Seu perdão. Aquiete-se, ouça as divinas palavras de aceitação e viva na Sua paz.

Mary Barrett