Sagrada Excursão

Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em Meu nome, ali estou no meio deles. Mateus 18:20.

Durante semanas, meu esposo e eu havíamos pensado em algo para o mural da igreja – tiraríamos fotos de igrejas da região, junto com nossos pensamentos sobre Mateus 18:20. Toda vez que planejávamos fazer o passeio, entretanto, alguma outra coisa assumia a prioridade. Por fim, a recuperação de uma gripe adiou nossa sagrada excursão para uma quinta-feira à tarde. Circulando pela região tiramos fotos de 19 santuários aninhados no vale.

As igrejas se apresentavam quietas e serenas. Ouvimos o silêncio, os pássaros, os regatos e ocasionalmente uma voz humana. Muitos santuários diferentes para adorar o mesmo Deus majestoso. Alguns tinham torres com sinos; outro, um pequeno chafariz. Um parecia o topo do mundo, vigiando o vale. Alguns tinham placas anunciando eventos; alguns, guirlandas de flores enfeitando as portas. Alguns tinham grandes aparelhos de ar-condicionado esperando o hostil calor do verão; outros, grandes janelas por onde entraria a brisa. Alguns ficavam na cidade; outros, solenes e graciosos, entre as árvores; e alguns apresentavam um terreno cultivado e entalhado na pastagem. Um tinha vacas tão próximas, que se poderia ouvir algum mugido acima das notas de um hino. Um tinha a escultura de mãos postas em oração no campanário; outro, uma pomba; alguns tinham cruzes pintadas, outras de pedra ou madeira. Alguns tinham mesas de piquenique por perto. Um tinha andaimes nas alturas; e um homem de macacão pintava a estrutura de outro. A maioria tinha lápides apontando para o Céu, firmemente encravadas no terreno sagrado de Deus, marcando a memória de heróis da fé.

O escritor religioso Frederick Buechner registrou alguns pensamentos sobre igrejas, usando mais ou menos estas palavras: “Sob estes telhados, oferecemos os mais preciosos momentos da nossa vida, crendo que há um Deus que santificará esses momentos. [...] Aqui são proferidos e selados os nossos votos matrimoniais, são abençoadas as nossas crianças, e aqui vimos para sepultar nossos queridos mortos. Em algum lugar, em meio ao silêncio, às orações e à música, ouvimos a voz de Deus e confiamos em que Ele nos falará e nos abençoará.” Essa bênção espera por todos nós a cada dia.

(Judy Good Silver)