O Dom da Gratidão

Damos-Te graças, ó Deus, damos-Te graças, pois perto está o Teu nome; todos falam dos Teus feitos maravilhosos. Salmo 75:1.

Minha mãe tinha o dom da gratidão, e isso me impressionava, mesmo quando eu era pequena. Em todas as situações, até nas mais difíceis, ela encontrava razões para agradecer ao Senhor. Hoje, com 78 anos de idade, ela ainda dedica boa parte do seu tempo à oração e à gratidão.

Conheci muitas pessoas agradecidas, e também muitas cuja principal intenção era convencer quem as escutasse de que tudo o que lhes acontecia era horrível e sem solução. Nunca levavam em consideração as numerosas bênçãos recebidas. Infelizmente, pessoas ingratas só apreciam suas bênçãos quando as perdem. Mas, então, geralmente colocam a culpa nos outros por sua irresponsabilidade, e nunca são felizes.

Em grupos de autoajuda na recuperação de viciados, recomenda-se que comecem o dia enumerando razões para gratidão: vida, visão, saúde, paz, liberdade, pão cotidiano, trabalho, família e amigos. Está provado que uma pessoa agradecida pode se adaptar melhor à frustração que a privação e o vício podem causar. Além disso, pessoas agradecidas desenvolvem laços familiares mais fortes e são mais produtivas, sofrem menos enfermidades, têm menos depressão e superam mais rapidamente as perdas.

Por outro lado, contar as bênçãos também nos faz considerar a situação desfavorável dos seres humanos menos afortunados e estimula nossa solidariedade e compaixão.

Há várias formas de gratidão; porém, a mais importante é o coração grato ao Senhor. Como declara o verso de hoje, Suas obras falam de Seus feitos maravilhosos.

Se você cultivar o espírito de gratidão, notará uma imediata melhora em todas as áreas da sua vida, especialmente na área espiritual. Perceberá que tem muito mais do que pensava, mais alegria e criatividade. Uma bem conhecida escritora cristã recomenda fazer um registro escrito dessas bênçãos. Então, quando as coisas não andarem bem, você terá experiências acumuladas que a ajudarão a superar a adversidade. Uma amiga minha, sobrevivente do Holocausto, diz: “Deve-se aceitar a vida como é e ser grato pelas coisas boas que se tem.”

Hoje à noite, recapitule seu dia e seja, uma vez mais, agradecida por aquilo que recebeu.

(Maria Susana Mistretta de Golubizky)