Perigo no Ar

Pois no dia da adversidade Ele me guardará protegido em Sua habitação; no Seu tabernáculo me esconderá. Salmo 27:5.

Eu tinha apenas 14 anos e chegava de avião ao aeroporto de Birmingham, Inglaterra. Estávamos para pousar e quase tocávamos a pista quando o avião arremeteu, elevando-se novamente na direção do céu noturno. Quando começamos a voar em círculos acima do aeroporto, olhei para baixo e vi caminhões dos bombeiros e ambulâncias correndo para uma área especial de espera na pista.

O piloto anunciou: “Creio que temos uma pequena dificuldade técnica, e voaremos em círculos por algum tempo a fim de usar o máximo de combustível antes da aterrissagem. A torre de controle nos avisa que há um defeito no trem de pouso. Pode ter sido danificado na decolagem.”

Todos ficaram em silêncio. Eu sabia que meus pais me esperavam no aeroporto. E me indagava o que seria a “pequena dificuldade técnica”. Um trem de pouso danificado parecia ser um problema grave. A atmosfera ficou tensa e carregada. Uma mulher começou a chorar.

Lá em cima, no céu noturno, não havia nada, absolutamente, que eu pudesse fazer com força humana. Estava sozinha, era tímida e inexperiente, e não entendia nada de aviões. Então, orei. Até o piloto tinha limites quanto ao que fazer. Eu me perguntava como seria morrer. Levou bastante tempo para que o combustível se esgotasse. Mas me senti envolvida por uma confortadora sensação de paz.

Finalmente, o piloto anunciou que chegara a hora de tentar o pouso, e nos preparamos para o que viesse a acontecer. Observei o chão se aproximando, e orei ainda mais. Deslizamos pela pista, num dos pousos mais suaves que já experimentei, e por fim paramos no trecho da pista que ficava mais distante do aeroporto. Todos se alegraram e riram!

Hoje, mais velha (porém talvez nem tão mais sábia), às vezes acho que sei consertar meu próprio trem de pouso, e me esqueço de que Deus pode consertar qualquer coisa muito melhor do que eu. Preciso buscar um assento em Seu avião, não importa quão escura esteja a noite, quão sozinha me sinta nem quais sejam os temores e perigos que eu enfrente, e depender totalmente dEle para chegar a um lugar seguro. E Ele sempre me faz chegar.

(Karen Holford)