Julgados!

O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes Meus pequeninos irmãos, a Mim o fizestes. Mateus 25:40.

Meu sogro, Harry, foi sepultado faz muito tempo. Era o melhor sogro que alguém poderia pedir. Estou convencida de que, quando Jesus retornar, Harry estará entre aqueles que serão despertados do sono da morte para encontrar o Rei Jesus nas nuvens do Céu, e irá morar com Ele.

Embora Harry nunca se tivesse unido à igreja, era íntegro e honesto em tudo o que fazia. Tinha bom coração e ajudava os outros em tempos de necessidade. Fielmente visitava idosos, amigos enfermos que precisavam de uma ajuda extra de tempos em tempos. Ele não tinha tempo a perder com pessoas rabugentas, grosseiras e desonestas.

Infelizmente, algumas dessas pessoas estavam na igreja, o que provavelmente tenha sido o motivo de ele nunca ter-se tornado membro. Impediam que ele visse Jesus ali. É triste, mas verdade, que as exibições de pessoas desonestas e ásperas se evidenciam e falam alto aos observadores. Sei que havia muitas pessoas de bom coração naquela igreja, mas é lamentável que o exemplo de vários que não eram assim tenha azedado toda a experiência eclesiástica de Harry. Seus atos falavam mais alto para ele do que quaisquer palavras que dissessem. Dizem que uma maçã estragada pode arruinar o cesto inteiro, e isso descreve a experiência de Harry com a igreja. Não aconteceu com uma igreja só, mas com várias ao longo da vida dele.

Talvez, se aqueles “cristãos” insensíveis e desatenciosos tivessem permitido que Deus reinasse no coração, e depois tentassem consertar as coisas, Harry teria visto a diferença. Poderia ter concluído que eles possuíam algo que lhes mudara a vida, algo que o ajudaria a ver Deus mais claramente.

Estamos nós bloqueando a visão de Jesus para outros? Através de nossos atos, desanimamos as pessoas de ver a esperança e a luz do Céu num relacionamento com Deus? Frequentemente são as pequenas coisas que fazemos, ou não fazemos, que bloqueiam a visão de Jesus para alguém que passa pelo nosso caminho.

Deus nos perdoe por sermos pedras de tropeço. Ajuda-nos, Senhor, a ser degraus para que outros vejam um quadro nítido de Ti.

(Peggy Curtice Harris)