Uma mulher de negócios bem sucedida
                                             Lídia


O que você faria se morasse em um lugar onde não houvesse igreja? Ficaria grata por ter mais um dia livre? Adoraria a Deus sozinha? Começaria uma igreja?

Lídia morava em Tiatira; onde havia uma população judaica numerosa. As Escrituras a descrevem como alguém que temia e adorava a Deus (Atos 16: 14), descrição usada com freqüência para definir os gentios convertidos ao judaísmo.

Mas Lídia não ficou em Tiatira. Mudou -se, provavelmente por razões de negócios, para Filipos, cidade romana a mais de trezentos e cinqüenta quilômetros de Tiatira. Ali, não havia muitos judeus nem sinagogas.

Na verdade, parece que não havia nem mesmo dez homens judeus praticantes em toda a cidade. Pela tradição, era necessário haver dez homens para formar uma sinagoga e manter a adoração oficial. O que Lídia poderia fazer para praticar a fé judaica que adotara?

Lídia se uniu a outros judeus, a maioria mulheres, para orarem - forma pela qual encontraram Paulo e seu grupo de missionários que estavam de passagem por aquela cidade. Deve ter sido uma viagem confusa, pois toda vez que Paulo decidia ir para uma determinada direção, o Espírito de Deus apontava uma outra.

Sempre que pensava em parar e pregar, O Espírito Santo dizia: "Aqui não". Assim, Paulo continuou a viagem, sem falar nada. Numa noite ele teve uma visão de uma pessoa que implorava: "Passe à Macedônia, e ajude-nos" (Atos 16: 9).

Ao chegar em Filipos, seguiu seu costume sabático e procurou judeus para que juntos adorassem. Encontrou Lídia e seu grupo de mulheres que oravam. Como sempre fazia, Paulo falou sobre as boas novas: Jesus Cristo era o Messias judeu, prometido há tempos, que morrera pelos pecados de seu povo, ressuscitara e subira aos céus.

O apóstolo também disse que o Senhor nos convida a crer nele e a fazer parte da família de Deus. A Bíblia diz: "O SENHOR lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia.”

Essa mulher de negócios bem-sucedida não perdeu tempo para agir em sua nova fé. Junto com sua família foi batizada e convidou Paulo e seu grupo para ficarem na casa dela. Esse último passo veio a ser um perigo em potencial. Paulo curou uma jovem escrava do seu “dom" de prever o futuro.

Isso irritou seu patrão que estava acostumado a reter para si os ganhos dela. Ele incitou uma multidão raivosa, dizendo: "Estes homens, sendo judeus, perturbaram a nossa cidade" (Atos16: 20). E Paulo foi preso.

Contudo, Deus trouxe ainda mais convertidos ao cristianismo através desse acontecimento. Paulo inocentou os judeus, agora judeus cristãos, usando seus direitos de cidadãos romanos e assim os magistrados lhe pediram desculpas. Nesse tempo uma igreja cristã reunia-se na casa de Lídia (Atos 16: 40).

Lídia era uma mulher que trabalhava muito. Ela usava todas as qualidades que traziam sucesso a seus negócios na pratica da sua fé. Esforçava-se para encontrar outros crentes e reunir-se com eles para orar. Tomava decisões rápidas e bem informadas e colocava-as em prática. Assumia riscos calculados, oferecendo sua casa ao grupo de Paulo, por exemplo. Com isso, Lídia tornou-se a "mãe fundadora" da Igreja na Europa.



Para saber mais a respeito de Lídia, leia Atos 16: 6 à 15.