O caráter perfumado de Abigail


- A mulher que se casou com o homem errado

Esta era sensata e formosa, porém o homem era duro e maligno em todo o seu trato. 1 Samuel 25:3

Sócrates, o grande filósofo, e um dos homens mais sábios que já existiu, casou-se com aquele tipo de mulher que a Bíblia descreve como “rixosa” (Pv 21:19). John Wesley, um dos homens mais piedosos que já existiu, também não foi feliz em seu casamento. Mas parece que as mulheres que se casaram com o homem errado são mais numerosas, e sua experiência mais trágica.

No Antigo Testamento temos uma dessas histórias. Às vezes, vemos uma senhora graciosa, encantadora, de fino trato, casada com um homem grosseiro, rude e perverso, e nos perguntamos como isto terá acontecido. Mas nos tempos antigos isso não era de admirar, pois as mulheres não tinham a liberdade de escolha que têm hoje. Os pais decidiam o casamento dos filhos, sem perguntar se eles queriam ou não.

E isso deve ter acontecido com Abigail. Seu casamento foi arranjado com um homem rico. Como poderia ela objetar? Mas foi um casamento triste para ela, pois a riqueza em nada contribui para a felicidade quando uma mulher se casa com um homem como Nabal.

A notícia de que Nabal estava tosquiando suas três mil ovelhas chegou a Davi, que para fugir de Saul, se refugiara no sul do país, reunindo em torno de si cerca de 600 homens. E Davi se lembrou que havia encontrado os rebanhos de Nabal e os havia protegido dos ladrões. De acordo com o costume, na época da tosquia o proprietário das ovelhas distribuía presentes a todos como demonstração de gratidão a Deus e de boa vontade para com os vizinhos. Tendo isto em mente, Davi enviou alguns de seus homens para saudar a Nabal e receber dele o presente costumeiro.

Mas Nabal respondeu que não daria seu pão, sua água e a carne das suas reses a um bando de vagabundos. Davi ficou furioso e planejou matar todos os membros do sexo masculino da família de Nabal. Mas Abigail, ao saber dessa ofensa, entendeu o que estava para acontecer. E imediatamente tomou providências para salvar de morte certa não apenas os inocentes familiares de Nabal, mas a ele próprio.

Talvez uma vozinha lhe tivesse segredado ao ouvido: “Abigail, não seja boba! Esta é a sua chance de se livrar desse bruto que tanto a maltratou. Deixe que Davi execute sua vingança e você vai se tornar uma viúva rica e feliz!”

- O caráter perfumado de Abigail

Então, Davi recebeu da mão de Abigail o que esta lhe havia trazido e lhe disse: Sobe em paz à tua casa; bem vês que ouvi a tua petição e a ela atendi. 1 Samuel 25:35

Abigail não cedeu à tentação de livrar-se de um casamento infeliz, deixando que Davi passasse ao fio da espada Nabal e seus filhos. Chamou os seus servos e ordenou-lhes que carregassem os jumentos com presentes para Davi – pão, vinho, carne, trigo, passas e pastas de figo. Cavalgando um jumento, ela mostrou-lhes a direção a seguir.

E assim as duas caravanas – a caravana da ira e da vingança, e a caravana da paz e reconciliação – marcharam, uma em direção à outra. Quando se encontraram, Abigail desceu do jumento, prostrou-se diante de Davi e fez a magnífica súplica relatada nos versos 24 a 31.

Davi desistiu de matar a família de Nabal e bendisse a Deus por ter enviado Abigail ao seu encontro. Muitas vidas foram salvas naquele dia, graças à ação pronta desta mulher, que não nutria sentimentos de vingança para com o marido, embora este fosse um bruto.

Ao chegar em casa, ela encontrou Nabal bêbado. Como não havia condições de conversar com ele, ela esperou até a manhã seguinte para lhe contar tudo. E quando Nabal ouviu o que acontecera no dia anterior, ficou tão chocado ou irado, que teve um ataque e ficou paralisado, morrendo dez dias depois.

Mas a história não termina aí. Davi, ao saber da morte de Nabal, propôs à bela viúva tomá-la por mulher, o que ela aceitou.

A vida de Abigail encerra lições preciosas: ela não se deixou amargurar pelas adversidades, mas suportou-as com resignação. Além disso, em sua intercessão com Davi, ela lhe assegurou que a mão de Deus não se havia retirado dele, e que por mais ameaçador que fosse o presente, ele seria rei de Israel.

Que palavras animadoras! Haveria algo melhor que se pudesse dizer a alguém, senão lembrá-lo de que Deus tem um plano para a vida dele, e que se ele obedecer a Deus e nEle confiar, todas as coisas contribuirão para o seu bem?

Por fim, aprendemos dos lábios de Abigail que jamais nos arrependeremos do mal não cometido – uma palavra de ira contida a tempo, um ato de violência refreado no último momento. No registro de nossa vida há muita coisa que gostaríamos de apagar. Mas demos graças a Deus por aquilo que não está ali, porque, pela misericórdia divina, fomos impedidos, a tempo, de cometer.