Suportando pessoas difíceis
                                    Abigail


O que você faz quando está presa a alguém que não se importa com uma vida correta? Que não tem compaixão nem é fiel? Que torna desgraçada a vida de todos à sua volta e até mesmo coloca em perigo a sua segurança?

Muito embora Abigail fosse uma mulher inteligente e bonita, seu marido era rude e mau. Algumas mulheres provavelmente a invejavam por seu dinheiro - imagine ser capaz de juntar rapidamente duzentos pães, carne de cinco ovelhas, uma saca de grãos torrados, cem bolos de uvas passas e duzentos bolos de figos prensados! Mas outras mulheres, principalmente aquelas que conheciam Nabal, deviam sentir pena dela por ter de viver com um valentão como aquele.

Sem dúvida ela estava acostumada a aspereza, mas dessa vez o desastre era iminente. Depois de prestar uma ajuda considerável aos pastores de Nabal, Davi e seus homens pediram comida. Em vez de ser grato, Nabal os insultou. Abigail então ocupou-se totalmente em ser uma pacificadora nessa situação potencialmente violenta.

No exato momento em que Davi estava planejando uma vingança sangrenta, Abigail interveio. Ela poderia ter encarado essa situação como uma forma conveniente para livrar-se de seu marido valentão, mas respeitava a vida humana e viu sua chance de promover a harmonia.

Primeiro Abigail atendeu ao pedido educado do futuro rei (feito a Nabal e não a ela) e enviou comida a Davi e seus homens. Depois foi falar com ele. Ainda que sua fala tenha sido de certa forma desrespeitosa em relação a Nabal ("este homem vil" em I Samuel 25: 25), podemos dar-lhe algum crédito por não fingir que Nabal era uma pessoa bondosa.

Ela sugeriu a Davi que Deus o estava guiando para que evitasse derramamento de sangue inocente. Desejou que nunca fizesse o mal pelo resto de sua vida e lembrou-o de que ele era o futuro rei (Nabal tinha chamado Davi de servo que estava fugindo de seu senhor Saul em I Samuel 25: 10). Assim fazendo, Abigail apelou para a integridade de Davi e o livrou de uma decisão destrutiva e bárbara.

Em meio a essa situação caótica, Abigail sabiamente adotou a causa de Deus como se fosse sua: misericórdia pelo marido impertinente, paz entre as centenas de homens e integridade para o futuro rei. Não é de espantar que Davi tenha aceitado sua hospitalidade. Essa mulher inteligente também foi franca com Nabal. Quando ele terminou seu banquete, não escondeu nada do que tinha feito e, pelo contrário, contou-lhe tudo.

Pessoas complicadas (um marido difícil de lidar, um colega de trabalho mal humorado, um pai que reclama de tudo, um adolescente movido a hormônios) fazem você ter vontade de discutir ou sair correndo na direção oposta. É fácil desviar-se pelos caminhos da frustração ou até mesmo da vingança.

Abigail nos mostra que e possível resolver situações injustas com compaixão e bondade. Não bajulou Davi, nem rastejou - expôs suas idéias, apelando para a integridade dele. Sua abordagem cuidadosa e sensível em meio à gritaria selvagem e louca salvou vidas, demonstrou compaixão e a tornou atraente. Quando Nabal morreu de um ataque do coração, Abigail ficou livre e Davi a pediu em casamento.



Para saber mais a respeito de Abigail, leia I Samuel 25: 2 à 44.