A Cura



Pois Eu sou o Senhor que os cura. Êxodo 15:26, NVI.

Gosto do verbo “curar”. Durante o ano passado, esse verbo passou a assumir um significado especial para mim. Experimentei tempos turbulentos na minha vida pessoal, cheios de dor e confusão. De repente, eu não acreditava mais em Deus, que no passado havia estado tão perto de mim. Eu cria na Sua existência, mas não acreditava que Ele pudesse consertar minha vida outra vez. Ia à igreja, falava com as pessoas, ouvia o pastor, mas meus pensamentos estavam longe. No fundo, eu sentia um impulso voltado para uma implacável autodestruição, que parecia me impelir mais para baixo e me tirava a vontade de viver. Cada manhã, eu ficava triste ao acordar. Era difícil viver com meus pensamentos. O dia se arrastava lentamente, e eu ansiava pela noite, pela inconsciência do sono.

Na maior parte do tempo, sentia-me sustentada pela família, especificamente pelas orações que faziam comigo e por mim. Encontrava-me à beira de um abismo, e as mãos deles me seguravam. Eu quase não tinha forças para orar por mim mesma. Foram as orações deles que me conservaram lúcida.

Eu sabia que minha vida estava em cacos, e não tinha idéia de como juntá-los. Na verdade, uma parte de mim não queria juntar nada, mas outra parte sabia que isso era necessário para a minha própria felicidade. Nessas ocasiões, eu clamava por cura. Achava que a cura viria rapidamente e não dependeria tanto de mim. Perdi a paciência com Deus. Desejava que Ele respondesse do meu jeito, exatamente no momento em que eu quisesse. Estava errada. O Deus que cura esperava apenas uma coisa de mim – que eu O buscasse cada dia.

Quando entendi isso, fui a Ele e prometi uma coisa só. Eu O buscaria todos os dias, mesmo que não tivesse vontade. Foi difícil e desalentador; faltava-me a concentração, e ler a Bíblia não me interessava. Mas então a cura começou, lentamente. A rebelião começou a ceder, a crença assumiu o seu lugar e comecei a entregar-me a Ele. Desde então, tenho sentido confiança no futuro, embora admita que ainda sinto um pouco de temor. Mas sei que meu Deus pode todas as coisas. Meu Deus junta os cacos aos quais me vi reduzida, os pedaços que caíram ao chão e foram abandonados, e me recria à Sua imagem – uma nova pessoa, melhor que a anterior – e me diz: “Pois Eu sou o Senhor que [a] cura.” Ele pode fazer o mesmo por você também.

Iani Dias Lauer Leite