Experimentando a Palavra da vida

Verso Central: “O que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com Seu Filho, Jesus Cristo” (1Jo 1:3).

Leituras da semana: Dt 4:1-4; 1Co 15:4-8; 1Jo 1:1-4, 5; Ap 19:13

I - Introdução

No tribunal, um homem está sendo acusado de assassinato. Ele jura, de modo vociferante, que é inocente, que não fez isso e que nem mesmo estava na cena quando ocorreu o crime. Ele também parece muito convincente. Tomando unicamente por suas palavras, as pessoas são tentadas a acreditar nele.

Então, aparecem as testemunhas. Uma depois da outra, as testemunhas oculares dizem a mesma coisa: Eles viram o acusado na cena do crime, e o viram (em alguns casos, até o ouviram) cometer o crime. Embora os detalhes individuais sejam diferentes, dependendo de onde estavam no momento do acontecimento, seus depoimentos como testemunhas oculares são esmagadores, e a culpa do homem se torna evidente.

De maneira semelhante, João introduz sua epístola afirmando pertencer ao círculo de testemunhas oculares que, tendo visto e conhecido Jesus pessoalmente, podem compartilhar com outros essas informações que transformam vidas.

Prévia da semana: Por que Jesus é o “Verbo da vida”? O que João esperava alcançar ao escrever essa introdução? Como podemos, mesmo hoje, ser testemunhas oculares de Jesus? Que papel tem a comunidade na vida de um cristão?

II - Introdução à Primeira Epístola de João (1Jo 1:1-4)

1. Que certeza João transmite na introdução de sua primeira epístola? Que esperança você pode tirar dessas palavras? 1Jo 1:1-4

João começa assinalando que, juntamente com outros, ele é testemunha ocular da “Palavra da vida” O verso 2 explica mais essa “vida” e, juntamente com a primeira parte do verso 3, destaca essa proclamação.

2. Que duas coisas João diz que virão como resultado de sua declaração sobre “a Palavra da vida?”

No verso 1 João faz sete declarações antes de concluir a sentença: (1) O que era desde o princípio, (2) o que ouvimos, (3) o que vimos com os nossos olhos, (4) o que contemplamos, (5) o que as nossas mãos apalparam,(6) o que vimos e (7) o que ouvimos. Então, ele conclui: “Nós lhes proclamamos... para que vocês também tenham comunhão conosco” (v. 3). No verso 2, “Ele estava no princípio com Deus” é um parêntese explicativo, uma enumeração quádrupla termina com a frase: “Proclamamos a vocês a vida eterna”.

Em tudo isso, o objetivo de João parece ter sido que conhecêssemos, por nós mesmos, a realidade de Deus que ele próprio havia experimentado em Jesus. Ele queria que conhecêssemos por nós mesmos a vida eterna, a comunhão e a alegria que podemos ter em Jesus, o mesmo Jesus que ele próprio ouviu, viu e tocou.

III - 1 João 1 e João 1

Os que conhecem o Evangelho de João ficam intrigados quando começam a ler a primeira epístola de João e encontram uma introdução semelhante à do Evangelho de João.

3. Que semelhanças existem entre 1 João 1:1-5 e João 1:1-5? Quais são algumas das coisas que têm em comum?

As duas passagens começam quase iguais. As duas apontam para um tempo no passado, usando “o princípio”, aparente referência a Gênesis 1:1, a criação. As duas fazem diferença entre Deus o Pai e a Palavra, e as duas Os apresentam em uma íntima relação. As duas seções usam também a imagem de vida e luz. Sem dúvida, existem muitas coisas em comum entre as duas seções. Mas também existem diferenças.

4. Que ênfases presentes em João 1:1-5 não são vistas em 1 João 1:1-5?

O Evangelho de João insiste em apresentar Jesus como Deus e Jesus como Criador. Embora o título “Seu Filho, Jesus Cristo” em 1 João 1:3 aponte tanto para a humanidade de Jesus como para Sua divindade, a palavra Deus não é aplicada diretamente a Jesus na introdução de 1 João como na introdução do Evangelho de João. O Evangelho de João também é muito claro a respeito de Jesus como criador. Nada do que foi feito – isto é, nada do que foi criado – foi criado sem Ele. É difícil ver como João poderia ter sido mais claro, não só sobre a divindade de Cristo como também Sua atuação como Criador.

1 João enfatiza também o papel das testemunhas oculares e sua proclamação (e, consequentemente, sua autoridade); ênfase que não está presente no Evangelho de João, que usa uma perspectiva mais imparcial e menos “pessoal”.

Tomadas juntas, as duas seções revelam verdades sobre Jesus que ocupam um lugar central no plano de salvação.

Pense em tudo o que você conhece sobre a vida de Jesus. Que coisas Ele fez, disse e sofreu? Pergunte a si mesmo: Por que Ele fez essas coisas? Enquanto faz isso, pense no fato de que esse homem também era Deus, o Criador. Que esperança e encorajamento essas verdades lhe oferecem? Como podem lhe ajudar a lidar com as tensões da vida?

IV -A Palavra da Vida (1Jo 1:1, 2)

5. Que significa a expressão “Palavra da vida”? Por que essa expressão é tão apropriada para Jesus?

Primeira João 1:1 menciona o “Verbo da vida”. Essa palavra também se encontra em João 1:1-3, e se refere especificamente a Jesus. Em Apocalipse 19, o cavaleiro no cavalo branco é chamado “O Verbo de Deus” (Ap 19:13) e se refere também a Jesus. Nos escritos de João, a palavra verbo, em certos contextos, pode se referir a Jesus. Em 1 João 1:1 é mais provável que também aponte para Jesus.

O mesmo acontece com a palavra vida. Jesus Se denominou “o caminho, e a verdade, e a vida” (Jo 14:6). Assim, vida em 1 João 1:2 seguramente se refere também a Cristo. Não é de admirar, então, que Ele seja a “Palavra da vida”.

6. Que outra evidência mostra que, nesses versos, João estava se referindo a Jesus quando usou a expressão “Palavra da vida”?

Muito embora alguns entendam que a expressão “Palavra da vida” significa a proclamação do evangelho, a evidência aponta para o próprio Jesus. Mesmo que seja possível ouvir o evangelho de Jesus com os “próprios ouvidos”, é mais difícil vê-Lo “com os próprios olhos”. Ademais, é impossível tocar com as próprias mãos “a Palavra da vida”, se é que essa expressão se referia à proclamação do evangelho. Ouvir, ver e tocar uma pessoa faz mais sentido que ouvir, ver e tocar o evangelho. Além disso, a expressão “a... vida ... estava com o Pai e nos foi manifestada” (1Jo 1:2) sugere também que João tinha em mente uma pessoa quando mencionou a Palavra da vida.

7. Se aceitamos que Jesus é a “Palavra da vida”, o que significa isso para nós? Examine cada parte da frase: palavra e vida. Como os textos seguintes nos ajudam a entender melhor o que significa essa expressão em si e, mais importante, o que significa para nós pessoalmente? Gn 1:14; Dn 5:23; Mt 8:8; João 1-4; At 17:28

V - Testemunhas oculares

Muitos gostam de comparecer pessoalmente a uma partida de futebol, um concerto, uma reunião política ou qualquer que seja o evento. Querem ver por si mesmos o que está acontecendo e experimentar o evento por si mesmos. Mais tarde, eles podem contar a outros o que viram e ouviram. Outros são testemunhas oculares involuntárias, por exemplo, de um acidente ou de um crime e podem ser chamados a testemunhar no tribunal.

Os apóstolos eram testemunhas oculares da vida, morte e ressurreição de Cristo. A vida de Cristo os influenciou de tal maneira que eles não conseguiam deixar de comunicá-la aos outros.

O mesmo acontecia com João. Em 1 João 1:1-4, João afirma ter sido testemunha ocular de Jesus. Ele sustenta suas reivindicações dizendo que não só viu Jesus mas também O tocou e O ouviu. João repete essas afirmações nos versos 1-4, tentando enfatizar a realidade de sua experiência pessoal com Jesus.

8. João não foi o único escritor bíblico a fazer poderosas afirmações sobre eventos de que foi testemunha ocular. Que outras testemunhas afirmaram ter visto coisas maravilhosas?
                  a. Dt 4:1-9
                  b. At 4:20
                  c. 1Co 15:4-8


Hoje, podemos não ser testemunhas oculares diretas dos eventos da vida de Jesus nem dos eventos da história bíblica. Mas isso não significa que não mais podemos ser testemunhas oculares da realidade de Cristo e do que Ele fez por nós. De certo modo, especialmente em um mundo pós-moderno, nossa história pessoal, nosso próprio depoimento como “testemunhas oculares”, pode ser um testemunho mais poderoso sobre a realidade e bondade de Deus do que os eventos históricos descritos na Bíblia.

Qual é seu próprio “depoimento” como testemunha ocular de Jesus?

VI - Comunhão dos santos

Alguém declarou que Deus não tem netos, só filhos. A experiência cristã não é hereditária. Precisamos tomar uma decisão em nosso próprio coração, dar-nos pessoalmente a Jesus. Outra pessoa não pode fazer isso por nós, assim como ninguém pode espirrar em nosso lugar. Temos que fazer a escolha por nós mesmos, e essa entrega a Ele precisa ser completa. Neste sentido, ser cristão é uma experiência muito pessoal e solitária.

Ao mesmo tempo, nestes primeiros versos, João acrescenta outra dimensão ao que significa ser cristão. Ele nos convida a aceitar seu testemunho sobre Jesus e, assim, experimentar comunhão com Ele e com outros cristãos. Em outras palavras, a proclamação de Jesus ajuda a edificar a comunidade. A aceitação de Jesus como Salvador e Senhor, como doador da vida eterna, significa ser acrescentado à família de crentes.

9. De acordo com 1 João 1:3, quais são as dimensões dessa comunhão?

O próprio Jesus estabeleceu Sua comunidade ou igreja (Mt 16:18), e cuida dela assim como um pastor cuida de um rebanho (Jo 10:14-16), Ele e Sua igreja se pertencem mutuamente. A proclamação de Jesus e do evangelho leva as pessoas à comunhão não só com o Pai e com o Filho mas também com os outros crentes. Existe uma conexão não apenas celestial e invisível mas também uma conexão muito real e visível entre esses crentes. Os cristãos são abençoados pelo fato de que não têm que viver sozinhos ou isolados dos outros, mas se tornaram parte da comunidade e família de Cristo na Terra.

10. Como o Novo Testamento descreve a comunhão cristã em sua forma ideal? Veja At 2:42-47; Rm 12:3-17

Nossa passagem em 1 João termina com o verso 4. O objetivo de João era não apenas que as pessoas desfrutassem comunhão com Deus e com os crentes, mas também que sua alegria fosse completa.

Aparentemente, o verso 4 está se referindo aos versos anteriores. Nossa alegria é completa porque Jesus, “a vida eterna”, Se manifestou. O verso também pode se referir ao restante da primeira Epístola de João, em que são apresentados Jesus e a salvação por meio dEle, bem como a vida com Deus (que é uma vida de amor). Finalmente, pode se referir à vinda futura de nosso Senhor. Assim, 1 João 1:1-4 pode abranger o tempo desde o Cristo pré-existente até a consumação final na segunda vinda de Cristo.

VII - Estudo adicional

O Desejado de Todas as Nações, p. 340: “Cala-te, Aquieta-te”.

"João, que havia conhecido Cristo pessoalmente, desejava compartilhar esse conhecimento com seus leitores para que eles desfrutassem a mesma comunhão que ele já desfrutava com o Pai e o Filho. No empenho de expressar esse desejo amoroso, ele afirmou a divindade, a eternidade e a encarnação – e consequente humanidade – do Filho. Esse conhecimento maravilhoso ele expressou em linguagem simples mas enfática a fim de que seus leitores, daquele tempo e de hoje, não tivessem dúvida alguma a respeito do fundamento da fé cristã e da natureza e obra de Jesus Cristo” (The SDA Bible Commentary, v. 7, p. 629).

Perguntas para consideração

1. Examine cuidadosamente os “testemunhos oculares” a respeito de Jesus. O que foi semelhante? Em que eles foram diferentes? O que você pode aprender da experiência uns dos outros para conhecer melhor o Senhor? Ao mesmo tempo, em que sentido seu testemunho pode ter beneficiado os outros?
2. Examine cuidadosamente toda essa questão da comunhão. Por que a comunhão é tão importante para os crentes? O que acontece aos que pretendem viver o cristianismo separados do corpo de Cristo? Ao mesmo tempo, que perigos potenciais existem em ser muito dependentes dos outros ou da igreja? Como podemos chegar ao equilíbrio correto?
3. O que você pode fazer para auxiliar sua igreja local a ser mais receptiva às necessidades de seus membros, ajudando-os assim a cumprir alguns dos ideais de comunhão, à semelhança da primeira igreja? Em que áreas sua igreja pode melhorar?

Respostas sugestivas para as perguntas:

Pergunta 1: Que Jesus Cristo é realmente o Filho de Deus, pois ele era testemunha de Seu ministério.
Pergunta 2: Teremos certeza da salvação e manteremos comunhão uns com os outros.
Pergunta 3: João faz menção ao princípio, ao Verbo (a Palavra da vida), à vida eterna, à luz.
Pergunta 4: Nestes versículos João não aplica a Jesus a palavra “Deus” e também não enfatiza Seu papel na criação.
Pergunta 5: João aplica esse título a Jesus, dizendo que Ele é tanto o Verbo quanto a vida.
Pergunta 6: O fato de que seus contemporâneos foram capazes de ouvi-Lo, tocá-Lo e vê-Lo.
Pergunta 7: Jesus Cristo é a nossa vida, doador da vida eterna.
Pergunta 8: a. Moisés; b. Os apóstolos; c. Paulo.
Pergunta 9: Com o Pai, o Filho, o Espírito Santo e a Igreja.
Pergunta 10: Como de verdadeiros irmãos.