A essência do caráter cristão

Verso Central: “A ele quis Deus dar a conhecer entre os gentios a gloriosa riqueza deste mistério, que é Cristo em vocês, a esperança da glória” (Colossenses 1:27).

Leituras para esta semana: Mt 6:33; Jo 15:8; Rm 3:20-26; 14:17; 1Tm 6:11; 1Jo 2:15

I - Introdução:

Quando Moisés pediu que Deus lhe mostrasse Sua glória, o Senhor lhe revelou que Seu caráter é compassivo, misericordioso, paciente e cheio de amor e de fidelidade (Êx 34:6, NVI). O mesmo se dá quando “todos nós, que com a face descoberta contemplamos a glória do Senhor, segundo a Sua imagem estamos sendo transformados com glória cada vez maior, a qual vem do Senhor, que é o Espírito” (2Co 3:18).

“Pela crença em Cristo, a humanidade caída que Ele redimiu pode alcançar aquela fé que atua por amor e purifica de toda contaminação. Aparecem os atributos semelhantes aos de Cristo: porque pela contemplação de Cristo os homens se transformam na própria imagem de glória em glória, de grau em grau. O bom fruto é produzido. O caráter é moldado à semelhança divina, e a integridade, justiça e verdadeira benevolência são manifestadas. ...” (Minha Consagração Hoje [MM 1989], p. 54).

II - Buscar primeiro o reino de Deus

Mui frequentemente, nossas orações tratam mais do que podemos obter, e não do que nos devemos tornar. Pense em suas próprias orações, ou nas orações que você ouve dos outros. Não importa quão legítimas sejam as preocupações, sob que categoria cai a maioria delas: em que posso me tornar ou o que posso conseguir? Como entender essa tendência, levando em conta o que Jesus nos disse: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o Seu reino e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6:33)?

1. O que Jesus queria dizer quando nos orientou a buscar “primeiro” o reino de Deus? Por que buscá-Lo primeiramente? Mt 16:26

2. De acordo com Paulo, que é o reino de Deus? Rm 14:17

Note que justiça, paz e alegria são o fruto do Espírito. Então, devemos buscar primeiramente o fruto do Espírito, antes de outra coisa qualquer. No fim, podemos ter tudo o que o mundo oferece, mas que significa isso se não tivermos justiça, paz e alegria?

Se alguém perguntasse: “Mas isso significa que Jesus não está interessado em meu bem-estar físico ou financeiro?”, como você responderia, à luz da ordem de Cristo de pôr o fruto do Espírito antes das necessidades físicas ou materiais?

Certa mãe, preocupada, disse: “Pastor, por favor, ore pelo meu filho; ele está fora da igreja e perdeu o emprego. Ore para que ele logo encontre trabalho.” Essa mãe estava preocupada em buscar primeiro o reino de Deus e Sua justiça para seu filho? Tendo em mente que a prioridade da vida cristã não é obter, mas tornar-se, qual deveria ter sido seu pedido para o filho?

Quais são suas principais preocupações, reveladas não só por suas orações, mas por sua vida em geral? Obter o que você quer para si mesmo ou tornar-se o que Deus deseja que você se torne? O que sua resposta lhe diz sobre suas prioridades?

III - Outro fruto do Espírito

Gálatas 5:22, 23 e Efésios 5:9 não são os únicos textos que mencionam o fruto que constitui a essência do caráter cristão. Muitos frutos são repetidos em 1 Timóteo 6:11, 2 Timóteo 3:10 e 2 Pedro 1:5-7, onde são acrescentadas outras qualidades como piedade, virtude e conhecimento. É interessante notar que 1 Coríntios 13:4-8 repete as qualidades do amor e apresenta muitas delas usando a palavra negativa não: “Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça”.

A esta altura, deve estar claro que não existe uma única lista oficial no que se refere ao fruto do Espírito. Existem muitos diferentes aspectos e nuances do caráter cristão. O que os apóstolos fazem em cada caso é mencionar aqueles que são especialmente aplicáveis a seus leitores. O que levou Paulo à enumeração em Gálatas foi sem dúvida seu conhecimento pastoral das necessidades particulares da congregação à qual ele estava escrevendo.

O fruto da “piedade” é mencionado em 1 Timóteo 6:11. Na língua original, a palavra piedade significava reverência, respeito e devoção para com Deus. Romanos 5:4, 5 menciona a qualidade da “esperança”. Que papel tem a esperança no caráter cristão? Quando tudo estiver dito e feito, nossa fé cristã não nos oferecerá nada a não ser a esperança.

Segunda Pedro 1:5-7 é uma lista de qualidades, entre elas a “virtude”, que não é mencionada na lista de Gálatas 5:22, 23. A virtude está associada à bondade moral, como a modéstia e a pureza.

3. Por que essa qualidade é indispensável à vida cristã? Como essa qualidade se relaciona com o sétimo mandamento?

4. 2 Pedro 1:5, 6 acrescenta “conhecimento” à lista. Embora a palavra usada, gnosis (gno’sis), signifique conhecimento geral e entendimento, como fruto da vida cheia do Espírito, que papel tem o conhecimento? Como o conhecimento se relaciona, por exemplo, com o dom do discernimento?

Pedro não chamou sua lista de 2 Pedro 1:5-7 de fruto do Espírito, mas, essencialmente, é isso que ela é, porque revela o tipo de pessoas que devemos ser como seguidores de Jesus.

Como essas características se manifestam em sua vida? Se você estiver desencorajado pelo que viu, qual é sua única esperança? Qual é o único lugar para onde você pode fugir, e o que você pode encontrar lá?

IV - Perseverança na fé

A pergunta para reflexão de ontem indagava como estamos no cultivo do fruto que é nosso privilégio produzir para a honra e glória de Deus. Sem dúvida, ao olhar todas essas qualidades de caráter e, então, compará-las conosco, seria fácil nos sentirmos desencorajados. Afinal, não deveríamos estar produzindo mais fruto do que estamos?

Esta é uma pergunta justa, em que devemos todos pensar seriamente. “Examinem-se para ver se vocês estão na fé” (2Co 13:5, NVI). Precisamos fazer uma autoavaliação. Como estamos vivendo? Que tipo de testemunho apresentamos ao mundo?

Ao mesmo tempo, também, podemos enfrentar um perigo. Como cristãos, temos o exemplo de Jesus, o único ser humano a viver sem pecado. Quando nos comparamos a Ele, como é fácil no sentir desencorajados. Como é fácil ver Seu caráter perfeito em contraste com nossa pecaminosidade e nossas fraquezas! Temos um padrão perfeito a seguir, uma lei perfeita a obedecer, e um Salvador perfeito para imitar. Como todos sabemos, com frequência nos achamos aquém desse padrão, dessa lei e desse Salvador. Como é fácil, também, depois de cair vez após outra, depois de não ver o tipo de crescimento que gostaríamos de ver, nos sentir desencorajados, a ponto de desistir, pensando: Por que me incomodar se não posso fazer isso?

Aqui, entretanto, é que precisamos entender completamente o que é salvação pela fé. É aqui que precisamos entender de onde vem nossa salvação, e é aqui que precisamos entender o que Jesus realizou por nós na cruz.

5. Como a salvação está ao nosso alcance? Rm 3:20-26. Por que essa verdade é tão importante, especialmente quando nos sentimos desencorajados sobre o estado de nosso próprio fruto?

V - O desafio do mundo

6. “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele” (1Jo 2:15). O que este texto está dizendo? Quer dizer que Deus não ama aqueles que amam o mundo, ou aqueles que amam o mundo não amam a Deus? Explique.

“Às vezes, os anseios do coração são pela santidade e o Céu; mas não há tempo para retrair-se do tumulto do mundo para ouvir as palavras majestosas e autorizadas do Espírito de Deus. As coisas da eternidade são tidas como secundárias, e as do mundo, supremas. É impossível à semente da verdade produzir fruto; porque a vida é utilizada para alimentar os espinhos do mundanismo” (Parábolas de Jesus, p. 51).

Embora devamos estar cientes dos perigos do legalismo, o antigo Israel sempre caiu quando tentou se modernizar e se tornar semelhante às nações ao seu redor. 1 João 2:15 adverte que o amor do mundo torna impossível um amor sincero a Deus. Precisamos ser cuidadosos como igreja para nos certificar de que, em nossas tentativas de alcançar o mundo, não sejamos cativados e arrastados por ele, tudo em nome do Senhor!

7. Como uma pessoa pode saber quando seu amor ao mundo substituiu seu amor a Deus? Que sinais deve procurar?

O perigo de amar o mundo mais que a Deus assume novo significado em Tiago 4:4: “Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus” (NVI). Por que Tiago usou a metáfora do adultério para membros da igreja que são arrastados pelo mundo? Note, igualmente, como João não deixa espaço para meio-termo em 1 João 2:15. É Deus, ou é o mundo.

Com quais aspectos do mundo você tem mais dificuldades? Que coisas você acha atraentes? Como você pode aprender a travar a batalha da fé e não ser arrastado para algo que, no fim, não pode satisfazê-lo e vai destruir você?

VI - Como cultivar o fruto do Espírito (Jo 15:8)

Embora não possamos fazer uma semente crescer, existem definitivamente coisas que podemos fazer para facilitar o crescimento até que produza fruto. Assim é na vida cheia do Espírito. A obra do Espírito Santo no coração do fiel é parte do grande mistério da vida. E as Escrituras nos dão instrução definida sobre como estimular esse crescimento a fim de cumprirmos o desejo de Jesus de que produzamos muito fruto para a glória do Pai (Jo 15:8).

Seguem abaixo alguns caminhos para encorajar o crescimento do fruto do Espírito:

O estudo da Palavra de Deus. Para que as Escrituras são proveitosas (2Tm 3:16)? Como resultado, o que será realizado em nossa vida? (Veja v. 17; veja também Sl 119:105.)

A oração. “A oração é a respiração da alma. É o segredo do poder espiritual. Nenhum outro meio de graça a pode substituir, e a saúde espiritual ser conservada. A oração nos põe em imediato contato com a Fonte da vida, e fortalece os nervos e músculos da vida religiosa. Negligencie o exercício da oração, ou dedique-se a ela de quando em quando, com intermitências, segundo pareça conveniente, e você perderá a firmeza em Deus. As faculdades espirituais perdem sua vitalidade, a experiência religiosa fica destituída de saúde e vigor” (Obreiros Evangélicos, p. 254, 255).

O tipo certo de pensamentos. “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento.” (Fp 4:8). Como podemos aprender a manter pensamentos elevados?

O testemunho cristão. O homem de quem Jesus expulsou demônios pediu para seguir com Ele. Jesus recusou seu pedido e disse que ele voltasse para onde vivia e contasse o que o Senhor lhe havia feito (Mc 5:18–20). Como o testemunho contribui para o crescimento do fruto do Espírito em nossa vida?

VII - Estudo adicional

“Deus nos ordena encher o espírito com pensamentos elevados e puros. Deseja que meditemos sobre Seu amor e misericórdia, e estudemos Sua maravilhosa obra no grande plano de redenção. Então, nossa percepção da verdade se tornará mais e mais clara, e nosso desejo de pureza de coração e clareza de pensamento mais elevado e mais santo. Aquele que descansa na pura atmosfera de santa meditação será transformado pela comunhão com Deus mediante o estudo das Escrituras.

“‘E dão fruto.’ Os que, tendo ouvido a Palavra, a guardam, produzirão fruto pela obediência. Recebida no coração, a Palavra de Deus se manifestará em boas obras. O resultado será visto na vida e caráter semelhantes aos de Cristo. Jesus dizia de Si mesmo: ‘Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a Tua lei está dentro do Meu coração’ (Sl 40:8). ‘Porque não busco a Minha vontade, mas a vontade do Pai, que Me enviou’ (Jo 5:30). E a Bíblia diz: ‘Aquele que diz que está nEle também deve andar como Ele andou’ (1Jo 2:6).” (Parábolas de Jesus, p. 60).

Respostas sugestivas para as perguntas:

Pergunta 1: Pondo a vontade de Deus em primeiro lugar, é mais fácil que todas as outras coisas se arrumem.
Pergunta 2: É um reino de paz e comunhão com Deus.
Pergunta 3: Estando intimamente relacionada com a integridade moral, a virtude exemplifica a fidelidade e dedicação exclusiva a Deus.
Pergunta 4: O conhecimento nos dá discernimento entre o certo e o errado, tanto na doutrina como na prática.
Pergunta 5: Pela justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo. A justiça que Deus procura não é a nossa, mas a de Cristo, atribuída a nós.
Pergunta 6: Deus ama a todos, quer eles O amem, quer não. O amor do mundo faz secar em nós a dedicação exclusiva a Deus.
Pergunta 7: Quando os pensamentos, os gostos ou as preferências estão mais ligados às coisas do mundo que às de Deus.


Complemento ao estudo

Resumo do estudo

Texto-chave: : Romanos 14:17

DEVEMOS ...
                  Saber:     Apreciar os benefícios da salvação.
                  Sentir:     Alegria e paz.
                  Fazer:     Crescer em justiça pela habitação do Espírito Santo.

ESBOÇO DO APRENDIZADO

I. Conhecer: Os benefícios da salvação

A. A justiça em Jesus é a essência da salvação. Considere: Em que consiste a justiça?
B. A vida em Cristo não deve ser triste. Por que alguns acham difícil seguir a Cristo?
C. O Espírito Santo se concentra nas verdades centrais da salvação: justiça, alegria e paz. Nosso texto-chave adverte contra atribuir à comida e bebida a importância que elas não têm. Qual é o propósito dessa precaução?

II. Sentir: Paz e alegria

Existem pessoas que parecem ter medo, impossibilidade ou pouca disposição de expressar alegria e paz em Cristo. Qual pode ser a causa dessa atitude deprimente?

III. Fazer: Comunhão intensa

A. A salvação deve ser apreciada, e não suportada.
B. Como a obediência em comunhão com Jesus e constante aprofundamento desenvolve a vida cristã?
C. O fruto do Espírito nunca é encontrado à parte do Espírito Santo. Como podemos cooperar a fim de produzir fruto?
D. Um estudo da Lição deste trimestre mostra as possibilidades disponíveis para uma vida cheia do Espírito. Quais são as coisas que mais provavelmente podem limitar e bloquear o poder de Deus em nossa vida?

Resumo: Os frutos da salvação podem ser encontrados unicamente no Espírito Santo. Eles nos libertam de uma vida negativa. São cultivados pela direção do Espírito Santo e aprofundam nossa comunhão com Cristo.

Ciclo do aprendizado

Motivação:

Conceito-chave para o crescimento espiritual: Quando produzimos o fruto do Espírito, este assume o comando de todo o nosso ser. Essa conexão torna possível refletir o caráter de Cristo em nossas ações, que é resultado da total submissão a Deus.

Antes de ascender ao Céu, Jesus deu aos discípulos uma última tarefa – sair e anunciar o evangelho até os confins da Terra. Paulo confirma essa tarefa em 2 Coríntios 5:20: “De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio”. Que declaração poderosa! Embaixadores de Cristo. Instrumentos de Deus. -- É nossa responsabilidade sagrada, como cristãos, produzir o fruto do Espírito.

Em Mateus 7:15-23, advertiu contra os falsos profetas que logo surgiriam. Ele disse que viriam disfarçados, mas haveria uma forma de distingui-los – por seus frutos. “A árvore boa não pode dar frutos ruins, nem a árvore ruim pode dar frutos bons. Toda árvore que não produz bons frutos é cortada e lançada ao fogo. Assim, pelos seus frutos vocês os reconhecerão!” (v. 18-20).

Também somos conhecidos por nossos frutos. Nossas palavras, ações e vida, todas falam de nosso caráter. A lição desta semana afirma que amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio são a essência do caráter cristão. Como esse fruto está sendo produzido em sua vida?

Pense nisto: Mencione outras maneiras de identificação dos cristãos. Como são o comportamento, a personalidade, a perspectiva e o estilo de vida do cristão? Como você pode produzir mais fruto? Quais seriam as características ideais de um embaixador cristão?

Compreensão

Comentário bíblico:

I. Jesus: Nosso melhor exemplo -- 3:34

O ministério de Jesus começou com uma unção especial em que o Pai Lhe deu o Espírito Santo e Seus dons sem medida. Era essa presença constante do Espírito Santo e Seu fruto que capacitava e habilitava Jesus a vencer o pecado.

Jesus é nosso melhor exemplo de como viver guiados pelo Espírito. Sua íntima comunhão com o Pai brilhava através de todos os aspectos de Sua existência. Tentado pelo próprio Satanás, Jesus mostrou domínio próprio e permaneceu forte (Mt 4:1-11). Falsamente acusado e espancado, Ele continuou tranquilo e manso (Jo 18:1-11). Pleiteando com Deus em desespero, Ele permaneceu fiel (Mc 14:35, 36). Morto por Seu próprio povo, Ele perdoou (Lc 23:33, 34).

Jesus manifestou o que significa produzir o fruto do Espírito. Ele estava tão afinado com Deus que todas essas coisas se tornavam parte natural de Seu caráter.

Pense nisto: Quem mais expressava o fruto do Espírito na Bíblia? Que semelhanças eles tinham com Jesus? Que lutas eles enfrentavam, e o qual era a resposta deles?

II. Crescendo no Espírito -- 2Tm 3:16, 17

Segunda a Timóteo 3:16, 17 diz que as Escrituras aperfeiçoam o cristão. O tempo passado diariamente em oração e estudo é o alimento de que precisamos para desenvolver o fruto do Espírito em nossa vida. Jesus era versado nas Escrituras. Ele ensinava regularmente na sinagoga. E quando foi tentado no deserto, foi rápido em citar Moisés (Dt 8:3; Mt 4:4). Conscientemente, Ele tomava tempo para comungar com Deus, longe das distrações da vida. Em Seus momentos de maior necessidade, Ele buscava o Pai. E quando as coisas iam bem, Ele agradecia. Essa profunda conexão com Deus O habilitava a refletir tão completamente o Espírito.

Assim como Jesus fazia um esforço consciente de tomar tempo para estar com o Pai, nosso crescimento espiritual é proporcional ao tempo que dedicamos a esse mister. A alegria da vida cristã está em saber que você nunca está longe demais para ser usado pelo Senhor. Com a mudança das estações da vida, do tempo, das habilidades e das necessidades, Deus tem um propósito para cada um de nós.

Pense nisto: É uma luta permanecer em comunhão constante com Deus, assim como fazia Jesus. Existem muitas distrações que parecem interferir e impedir essa conexão. Como você pode tomar tempo para a oração e comunhão com Deus? Como você pode se esforçar para estar mais ciente da vontade de Deus em sua vida?

III. Submetendo-se ao Espírito -- Jo 3:6

A maneira mais básica e vital para cultivar o crescimento espiritual é a submissão completa a Deus. Paulo diz: “Vocês foram libertados do pecado e tornaram-se escravos da justiça” (Rm 6:18, NVI). Esse tipo de submissão absoluta é essencial para o crescimento espiritual.

O pecado está em nossa natureza. Gálatas 5:17 diz que nossa “carne deseja o que é contrário ao Espírito” e que a carne e o Espírito “estão em conflito um com o outro” (NVI). Se é que desejamos mesmo produzir o fruto do Espírito, devemos nos submeter completamente a Deus. Sozinhos, não podemos vencer as tentações da vida; sem Deus, certamente falharemos. Produzimos o fruto do Espírito quando estamos completamente submissos a Deus e permitimos que o Espírito Santo trabalhe em nós. “O que é nascido do Espírito é espírito” (Jo 3:6).

Pense nisto: Muitas vezes, nossa natureza humana interfere na total submissão a Deus. Como podemos vencer a propensão natural de fazer as coisas por nós mesmos? Jesus diz: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o Seu [de Deus] reino... e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6:33). Como este conselho se aplica ao fruto do Espírito?

Aplicação

A vida de Jesus na Terra exemplificou o casamento da lei com o amor. Quando Ele partiu, o Espírito Santo preencheu o vazio. A presença do Espírito em nossa vida amplia a mensagem de que a harmonia da lei com o amor é vital para a vida cristã. O fruto do Espírito nos habilita a viver assim.

Perguntas para consideração

1. O estudo da Bíblia e a oração são bons caminhos para fortalecer a relação com Deus e praticar a submissão. Mas de que outras maneiras práticas você pode aprender a se submeter a Deus?
2. Segunda aos Coríntios 13:5 nos diz para examinar a nós mesmos a fim de ver se estamos na fé. Mas, à semelhança de Paulo, frequentemente, quanto mais perto nos encontramos de Cristo, mais descobrimos que falhamos. Como você pode se guardar de sentir-se desencorajado pelo lento crescimento?
3. Jesus foi provado em todos os pontos durante Seu ministério. Satanás O tentava. Os fariseus o menosprezavam. Seus amigos mais próximos não O entendiam. Mas, qualquer que fosse a circunstância, Ele sempre respondia com amor. Como você lida com as situações que provam seu caráter cristão?
4. Jesus passou quarenta dias no deserto, em comunhão com Deus. Desaparecer por um mês não é prático no mundo de hoje. Quais são algumas maneiras de você tomar tempo para a comunhão pessoal com Deus?
5. Quando Jesus ascendeu ao Céu, Ele olhou para Seus discípulos preocupados e disse que lhes enviaria o grande Consolador, o Espírito Santo. Como o Espírito Santo traz consolo à sua vida? Que papel tem o fruto do Espírito em você para dar conforto à sua vida diária?