Comunhão universal

Verso Central: "Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o Seu poder que opera em nós, a Ele seja a glória, na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém!" (Efés. 3:20 e 21).

Leituras da semana: Mat. 10:5; João 4:9; Atos 10:26-28; Efésios 3

I - Introdução

O MISTÉRIO REVELADO E PROCLAMADO. Sob a inspiração do Espírito Santo, Paulo escreveu sobre a unidade inigualável que Cristo estabeleceu na igreja. Antes dele, outros escritores escreveram sobre a unidade, mas normalmente tratava-se de unidade entre um único povo, não entre várias classes, raças e nacionalidades, uma idéia quase desconhecida no mundo antigo. Mas Paulo escreveu sobre um tipo diferente de unidade, que até aquele ponto o mundo nunca havia visto: a unidade em Cristo.

Mas ele não termina aí. Fala também sobre a igreja composta de judeus e gentios e o que o Senhor fará por essa igreja. E mais, Paulo apontou para os seus leitores o amor de Deus, que realizou tantas coisas por nós pelo sacrifício de Jesus.

II - O conteúdo do mistério (Efés. 3:1-6)

1. Por que essa unidade representava tanto mistério para Paulo? Efés. 3:1-6; João 4:9; Atos 10:26-28; Gál. 2:11-14

Mistério no Novo Testamento não é algum segredo escondido mas uma verdade, antes desconhecida, revelada por Deus a Seu próprio tempo pelo Espírito Santo. Paulo declarou ter recebido essa revelação (Efés. 3:3). Como Barclay comenta: "Na vida [de Paulo] veio a revelação do grande segredo de Deus. Esse segredo era que o amor, a misericórdia e a graça de Deus não se destinavam apenas aos judeus, mas a toda a humanidade. ... No mundo antigo, as barreiras eram completas. Ninguém jamais havia sonhado que os privilégios de Deus destinavam-se a todos, indistintamente." – William Barclay, The Letters to the Galatians and Ephesians, págs. 122 e 123.

Anos atrás, o patriota americano Thomas Jefferson escreveu estas famosas palavras: "Declaramos que estas verdades são evidentes, que todos os homens são criados iguais. ..." Por mais agradável que fosse este sentimento, a História mostra que essa visão era tudo, menos evidente. Pelo contrário, por toda a História, vários grupos acreditavam ser maiores e superiores a outras nações e povos. Essa idéia estava tão arraigada que até os antigos israelitas – que deviam ter conhecido mais, por causa da revelação que lhes fora dada por Deus – estavam contaminados por esse senso de superioridade.

Conseqüentemente, um homem tão brilhante, diligente e estudioso quanto Paulo, precisou de uma revelação divina para expulsar seus preconceitos nativos. Para ele, a idéia de que judeus e gentios seriam iguais era tão incrível que ele a considerou um mistério, um conceito difícil para a maior parte de nós hoje entender (Por que deveria ser mistério?), porque, em nossos dias, esses conceitos de superioridade étnica, nacional e cultural, embora existam, são considerados desprezíveis. Mesmo que alguém se considere melhor que os outros por causa de sua nacionalidade, raça ou cultura, é considerado de muito mau-gosto expressar essa posição. Assim, só quando entendemos um pouco a mentalidade do tempo de Paulo, podemos entender quão radical era para ele essa idéia de unidade entre judeus e gentios.

Em que aspectos você pode alimentar um senso de superioridade cultural ou étnica? (Poucas culturas, se é que existem, estão imunes a este problema.) Por que esses conceitos estão em contradição com o evangelho de Jesus Cristo?

III - Evidências do mistério

Embora Paulo falasse do evangelho pregado aos gentios como um mistério, as evidências dessa promessa já estavam difundidas por todo o Antigo Testamento.

2. Como a Bíblia expressa a idéia de que a verdade de Deus deve ir a todas as nações?
        a. Gên. 18:18         b. Isa. 56:3-8         c. Jer. 16:19         d. Isa. 49:6         e. Zac. 8:23


É triste perceber o poder que os preconceitos étnicos, culturais ou religiosos podem ter sobre nossa mente. Mesmo com os textos acima, e outros mais, Paulo considerava um grande mistério os gentios também serem conduzidos à verdade sobre Deus. Novamente, é um pensamento que a maioria dos cristãos de hoje, a grande maioria gentios, aceita com naturalidade. Sob esta perspectiva, é difícil perceber como essa idéia era radical para alguém com a origem e a educação de Paulo.

Entretanto, outra vez, não devemos nos surpreender, devemos? O evangelho nos ensina a amar os inimigos (Mat. 5:44), bendizer os que nos amaldiçoam (v. 44), voltar a outra face (v. 39), não pagar mal por mal (I Ped. 3:9), e assim por diante. Em outras palavras, muitas das exigências do evangelho são radicais, contrárias à nossa natureza básica, contrariando alguns do preconceitos culturais, étnicos e políticos mais arraigados e aceitos que temos. Se esses conceitos, de uma forma ou outra, não representaram um "pisão nos nossos calos", provavelmente não encontramos Jesus tanto quanto deveríamos.

Quando Jesus "pisou nos seus calos" pela última vez? Isto é, quando, pela última vez, você sentiu as exigências do evangelho ferindo os seus preconceitos ou paixões? Como você reagiu?

IV - Pela igreja (Efés. 3:9-13)

"Para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais" (Efés. 3:10).

3. Qual é a agência pela qual Deus quer tornar conhecida a Sua graça a todos os povos? Efés. 3:10

4. Na dispensação do Seu mistério, que tarefa especial Deus designou para a igreja? Efés. 3:9-13

Somos novas criaturas em Cristo (veja também Gál. 6:15; Efés. 4:24; II Cor. 5:17), e também somos parte da igreja que o próprio Deus criou. Ele nos fez, Ele nos restaurou, e criou a igreja da qual nós, como novas criaturas, fazemos parte. E é por essa igreja, composta de seres restaurados à Sua imagem, que Sua sabedoria é revelada ao Universo (Efés. 3:10).

Realmente, essa nova comunidade, a igreja que Deus criou, se torna uma demonstração cósmica de Seu poder, Sua graça e Sua sabedoria, que derrotou as forças divisoras de Satanás, "segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus" (v. 11). Se é por meio desta criação que Deus nos revela o Seu poder, é pela nova criação que Deus revela Sua sabedoria e justiça a "principados e potestades" (v. 10), inclusive aos anjos caídos e não-caídos.

"Cumpre-nos tornar manifestos os princípios de Seu reino, não só em relação ao mundo, como a todo o Universo." – Testemunhos Para a Igreja, vol. 6, pág. 13.

Neste texto, Efésios 3:10, temos outra visão de toda a questão do grande conflito. Temos um vislumbre do interesse de outras inteligências cósmicas sobre o destino do nosso mundo. O mais surpreendente é que, de acordo com este texto, é propósito de Deus que, pela igreja, a Sua sabedoria seja manifesta para essas outras inteligências.

Imagine que você fizesse parte desses principados e potestades que estivessem observando a igreja de algum lugar no cosmos. Escreva um registro de diário sobre o que você teria visto lá. Compare suas notas em classe neste sábado.


V - "Portanto"

Note a promessa maravilhosa em Efésios 3:12; de acordo com Paulo, por meio de Jesus, temos acesso; isto é, acesso ao próprio Deus. Era sobre isso que Jesus estava falando em João 10:9 quando disse: "Eu sou a porta". A princípio, Adão tinha livre acesso a Deus, mas, tendo perdido esse privilégio, escondeu-se entre as árvores do jardim porque não mais podia ver o rosto de Deus com franqueza e a consciência limpa. O efeito da redenção foi restabelecer a humanidade a um novo e corajoso acesso a Deus, sem medo ou restrição e sem a necessidade de intermediários como sacerdotes, santos ou cerimônias. Deus é acessível imediatamente aos que confiam, pelos méritos de Cristo.

5. Paulo, então, começa o verso 13 com a palavra portanto, que, no grego, também significa por causa disso. Em outras palavras, ele está dizendo que por causa de algo, ele não quer que os efésios se preocupem com ele. A que portanto ele está se referindo?

Por motivo de os gentios agora pertencerem ao corpo de Cristo; porque o propósito eterno estava sendo cumprido por Jesus, porque a sabedoria de Deus estava sendo revelada ao Universo, e porque temos livre acesso a Deus, Paulo pede que os seus leitores não se aflijam pelos seus sofrimentos, que lhe sobrevieram pelo fato de ele lhes ter levado o evangelho.

Em outras palavras, Paulo está dizendo: Não olhem para mim nem para as minhas provações; olhem para a grandes notícias do que Deus fez para o mundo por Jesus Cristo. As boas-novas são muito maiores do que tudo o que eu possa estar passando.

Você tem lutas? Preocupações? Temores sobre o futuro? Escreva uma oração de ação de graças a Deus pelas coisas que nos foram reveladas nesta epístola até agora, coisas que Cristo fez. Deixe a realidade das promessas que temos lido sobrepujarem todas as outras em sua vida. Reclame estas promessas como feitas a você.

VI - O conhecimento de Seu amor (Efés. 3:14-21)

6. Pelo que Paulo passou a orar, nos versos seguintes de Efésios? Por que ele fez esta oração? Efés. 3:14-21

Paulo orou para que Cristo habitasse no coração dos efésios. A palavra grega usada para habitar é katoikem, que indica residência permanente. Cristo não é um convidado, mas faz parte permanente da nossa vida.

Paulo orou pela habitação de Cristo para que o ser fortalecido fosse capaz de compreender (isto é, capacitado e iluminado para entender) a largura, o comprimento, a profundidade e a altura do amor de Cristo (vs. 18 e 19). Paulo orou para compreender o incompreensível, mas sabia que a certeza do crente descansa unicamente na meditação ininterrupta sobre o amor de Deus. O crente deve saber com que grande amor ele foi abençoado. Embora o amor de Cristo não possa ser mensurado por qualquer medida geométrica, é largo o suficiente para circundar o globo e alcançar cada pecador. É alto o suficiente para alcançar a própria sala do trono de Deus. É profundo o suficiente para examinar as misérias mais profundas de Satanás e retirar daquela desordem qualquer pecador que clame a Cristo por ajuda e trazê-lo para que se coloque sob os raios de sol de Deus. É longo o suficiente para estender-se até "antes da fundação do mundo" (Efés. 1:4) por séculos infindos da eternidade, em que esse amor será tema de estudo pelos santos. É um amor que "excede todo entendimento" e enche todos os crentes "de toda a plenitude de Deus" (Efés. 3:19).

"A plenitude de Deus" é uma expressão pródiga de certeza e é comum nos livros de Efésios e Colossenses. Significa que Deus está além de qualquer limite. Ele "é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos" (v. 20). Rico em misericórdia, insondável em amor, ilimitado em graça e abundante em poder, Deus dedicou todos os recursos do Céu para conceder "infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos" para que Sua glória seja manifesta "na igreja... por todas as gerações" (vs. 20 e 21).

Que certeza você tem da realidade do amor de Deus? Se alguém lhe perguntasse: "Por que você crê que seu Deus é tão amável?" o que você lhe responderia? Sua resposta seria convincente?

VII - Estudo adicional

Acesso a Deus. "Temos acesso a Deus pelos méritos do nome de Cristo, e Deus nos convida a levarmos a Ele nossas provas e tentações; pois Ele as entende todas. Não deseja que derramemos nossas aflições em ouvidos humanos. Pelo sangue de Cristo, podemos ir ao trono da graça e encontrar graça para obter socorro em tempo de necessidade. ... Como um pai terrestre encoraja seu filho para ir a ele a toda hora, o Senhor nos encoraja a trazermos diante dEle nossas carências e perplexidades, nossa gratidão e nosso amor. Cada promessa é certa. Jesus é nossa segurança e nosso mediador, e colocou à nossa disposição cada recurso, a fim de termos caráter perfeito. O sangue de Cristo, que tem eficácia em cada uma das nossas necessidades, é nossa única esperança; pois unicamente por Seus méritos temos perdão e paz." – SDA Bible Commentary, vol. 6, pág. 1.116.

Perguntas para consideração

1. "Não fomos salvos unicamente a fim de escapar do inferno; fomos salvos para que Deus pudesse apresentar um povo que surpreendesse o mundo inteiro", disse um grande pregador. Até que ponto você acha que a igreja teve sucesso em fazer o que este pregador disse?

2. Medite em Efésios 3:10. Comente as implicações desse texto levando em conta o grande conflito. Como os dois primeiros capítulos de Jó se assemelham com o que esse verso está dizendo?