A guerra cristã

Verso Central: "Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes" (Efésios 6:12).

Leituras da semana: Isa. 35:4; Dan. 10:19; Luc. 22:31; Rom. 7:15-20; Efés. 6:10-12; II Tim. 4:7 e 8; Apoc. 12:9

I - Introdução

A REALIDADE DA GUERRA. A Bíblia começa com duas grandes histórias. Na primeira, Deus criou um mundo perfeito e para dele cuidar pôs Adão e Eva (Gên. 1:27 e 28). Na segunda, Satanás levou Adão e Eva à rebelião contra Deus, colocando este mundo e toda a humanidade sob a maldição do pecado (Gên. 3). A Bíblia também proclama duas grandes histórias de boas-novas. Na primeira, Deus envia Seu Filho à Terra para morrer pelos pecados do mundo e reconciliar consigo mesmo a humanidade caída (II Cor. 5:14-18). A cruz e a ressurreição de Cristo asseguram a destruição final do pecado e de Satanás no fim do mundo. Na segunda parte das boas-novas, Deus criará o novo Céu e a nova Terra como lar dos santos (João 14:1-3).

Entre essas histórias, a Palavra Inspirada localiza os perigos e o progresso da grande guerra entre Cristo e Satanás, uma guerra na qual todos nós estamos envolvidos. Nesta semana, vamos estudar as palavras de Paulo contendo o segredo da vitória.

II - Finalmente... a guerra

Paulo começou sua narração da guerra cristã com as palavras: "Quanto ao mais" (Efés. 6:10). Estas palavras, que têm o sentido de "finalmente", são muito significativas. Até aqui, Paulo havia esboçado a maneira como Deus nos redimiu do pecado por intermédio de Cristo, selou-nos por Seu Espírito, nos atraiu à comunhão da unidade e nos fez uma família de Deus. Como membros dessa nova família, Deus espera que andemos "de modo digno da vocação" (Efés. 4:1) desfazendo-nos da velha vida pecaminosa, assumindo o novo ser transformado, andando em pureza, amor, luz, sabedoria e em relacionamento piedoso com todos. A vida e a experiência cristãs devem dar-se na "plenitude do Espírito Santo" (veja Efés. 5:18).

Mas existe um espírito demoníaco e ímpio trabalhando contra os cristãos. Satanás deseja nos apanhar, como fez a Pedro (Luc. 22:31). Então, diz Paulo, "quanto ao mais", preparem-se para a batalha diária contra Satanás.

A expressão "quanto ao mais" dá um resumo ou conclusão. Mas a palavra grega pode ser melhor traduzida por "daqui em diante" ou "de agora em diante".

1. O que Jesus quis dizer quando afirmou que Satanás desejava peneirar Pedro? O que significa quando Satanás "peneira" uma pessoa? Luc. 22:31

2. Qual era o objetivo de Paulo ao começar esta exortação? Paulo fez a introdução da armadura do cristão. Como devemos nos preparar para essa batalha? Efés. 6:10

Paulo disse que Deus está agindo em Cristo por nós. A vinda de Cristo na História introduziu uma nova e poderosa dimensão na batalha cósmica entre Deus e Satanás. A vitória de Cristo sobre Satanás na cruz se tornou a base da aceitação do crente diante de Deus. Mas os crentes devem saber que sua jornada para o reino apenas começou. De agora em diante, eles têm muitas batalhas a enfrentar, um inimigo astuto a combater e uma guerra a vencer "contra as ciladas do diabo" (Efés. 6:11). "Com plena certeza de fé, podemos esperar que Ele unirá Sua onipotência aos esforços de instrumentos humanos, para a glória de Seu nome. Revestidos com as armas de Sua justiça podemos obter a vitória sobre todo inimigo." – Profetas e Reis, pág. 111.

Pense em alguma ocasião em que você foi vitorioso em uma batalha espiritual e em outra ocasião em que você falhou. Qual foi a diferença?

III - "As ciladas do diabo" (Efés. 6:11)

A descrição que Paulo fez da guerra espiritual começa com uma advertência geral para estar em guarda contra as "ciladas do diabo" (Efés. 6:11).

Quais são as ciladas do diabo? O diabo nem sempre ou não necessariamente ataca os crentes da maneira mais óbvia e maligna. Freqüentemente, seus modos são sutis, e suas atrações podem aparentemente apoiar motivos mais elevados e nobres. Veja dois exemplos: Primeiro, o motivo elevado que ele ofereceu na tentação de Eva em Gênesis 3:1-5; Segundo, a avidez com que ele encheu a mente de Judas para fundar o reino messiânico na Terra.

Em seu livro, The Screwtape Letters, C.S. Lewis apresenta uma série de cartas imaginárias que Screwtape, um idoso demônio, escreve a um aprendiz inexperiente na arte hábil de fazer tropeçar os santos. Por exemplo, quando João está orando por sua mãe que sofre de reumatismo, Screwtape aconselha o demônio aprendiz a não fazer João perder a fé na oração. Em vez disso, João deveria ser encorajado a orar por sua mãe continuamente; enquanto isso, a atenção de João deveria ser desviada da necessidade de massagear as articulações doloridas da sua mãe.

Em outra carta, Screwtape sugere que os cristãos devem ser encorajados a se preocupar e se envolver com assuntos graves e sombrios a fim de desviar a atenção de problemas reais e imediatos. O objetivo do jogo, diz Screwtape, "é fazê-los ficar correndo com extintores de incêndio sempre que houver um dilúvio". – Págs. 128 e 129.

3. Quais são alguns dos métodos de trabalho de Satanás? Alguns desses métodos parecem familiares a você?
        a. Jó 2:9         b. Zac. 3:1         c. Luc. 22:3         d. Mar. 4:15         e. II Ped. 3:4


IV - O inimigo que enfrentamos

4. Como Paulo descreve o inimigo que enfrentamos? Em que tipo de batalha devemos tomar parte? Efés. 6:12

Primeiro, nosso maior inimigo não é "carne e sangue" (Efés. 6:12) – isto é, não é humano. Egoísmo, orgulho e hostilidade anticristã são algumas das forças que os cristãos têm que combater, mas existem poderes cósmicos maiores do que estes em operação para desfazer nossa relação com Deus.

Segundo, nossos inimigos são descritos como "principados", "potestades" e "dominadores deste mundo tenebroso" (v. 12). Eles são "agentes espirituais da própria sede do mal" (v. 12, Philips). A descrição é assustadora mas real, indicando forças sobre-humanas, cósmicas, demoníacas que combatem para obter nossa submissão em oposição a Deus. A quem vamos pertencer? A Satanás ou a Deus? Esta é a questão central da guerra cristã, o grande conflito entre Cristo e Satanás.

Satanás é nosso adversário. Sendo um inimigo implacável e perigoso, ele é um guerreiro maligno, espreitando "como leão que ruge procurando alguém para devorar" (I Ped. 5:8). Ele é acusador (Apoc. 12:10), mentiroso e assassino (João 8:44). Ele pecou desde o início (I João 3:8), perverteu os caminhos do Senhor (Atos 13:10), "engana todo o mundo" (Apoc. 12:9), guerreia contra a igreja remanescente de Deus (Apoc. 12:17), persegue os santos (Apoc. 2:10), pode até aparecer como anjo de luz (II Cor. 11:14), e, no fim desta época, levará todos os que se opuserem a Deus à batalha final para subverter o Seu governo (II Tess. 2:4-10). É contra esse ser sobre-humano e seu exército de anjos caídos que os cristãos devem guerrear em batalha intensa e contínua. "Lutam em toda pessoa, com veemência, dois poderes em disputa pela vitória. A incredulidade arregimenta suas forças, dirigida por Satanás, a fim de separar-nos da fonte de nossa resistência. A fé ordena suas forças, comandadas por Cristo, o autor e consumador de nossa fé. Hora após hora, em face do universo celestial, vai o conflito em prosseguimento. Esta é uma luta mão a mão, e a grande questão é: Quem vencerá?"

Em sua vida, como você experimentou a luta entre essas duas forças? Como a batalha se manifestou? Com quantas artimanhas Satanás se esconde? Você está bem ciente do que realmente está acontecendo?

V - "Sede fortalecidos... na força do Seu poder"

A palavra luta (veja Efés. 6:12), como é usada para descrever a guerra cristã, indica duas coisas. Primeira, é um combate corpo-a-corpo, como na luta-livre. Segunda, o inimigo está tão próximo e imediato como o oponente na luta-livre. O inimigo é sutil e audacioso nas tentativas de enganar os que têm a fé e a lealdade arraigadas em Cristo. A vitória nessa guerra depende de três princípios fundamentais na vida e na fé cristã: "Sede fortalecidos" (v. 10); "Revesti-vos de toda a armadura de Deus" (v. 11); e "resisti" (vs. 11, 13 e 14). A lição de hoje vai estudar o primeiro aspecto essencial; os outros dois serão examinados mais tarde.

A expressão sede fortalecidos com suas variantes aparece mais de trinta vezes na Versão Almeida Revista e Atualizada, três das quais estão no Novo Testamento. Na maioria dos casos, a expressão significa o chamado de Deus para enfrentar destemidamente o inimigo em qualquer conflito, físico ou espiritual. O chamado sugere que Deus está dizendo: Sua força vem de Mim. Então, seja forte e não tema.

5. A quem Deus ofereceu a certeza da Sua guia, apesar das diversas circunstâncias? Como você aplicaria essa advertência à sua vida, diante das lutas que você está enfrentando? Jos. 10:25; Isa. 35:4; Dan. 10:19; I Cor. 16:13

O chamado de Paulo é para sermos "fortalecidos no Senhor" (Efés. 6:10). O inimigo irredutível de Deus só pode ser combatido se estivermos ao lado de Deus. "Não por força nem por poder, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos" (Zac. 4:6). Os exércitos espirituais do mal não podem ser combatidos pela força humana, por maior, mais refinada e moralmente necessária que seja, mas só pela força espiritual. Nada menos que o poder que flui de Deus por meio do Espírito Santo será suficiente na luta contra o mal. "Sem Mim", disse Jesus, "nada podeis fazer" (João 15:5). A esta afirmação Paulo acrescenta: "Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo" (I Cor. 15:57). Sua graça é suficiente para nós (II Cor. 12:9).

Paulo acrescenta mais um motivo para sermos fortes no Senhor. A força do Senhor flui da "força do Seu poder" (Efés. 6:10). Em Efésios 1:17-21 Paulo já havia orado para que experimentássemos o poder de Deus conforme Ele o havia demonstrado na ressurreição de Cristo. Em Efésios 2:1-7, o apóstolo demonstra como espera que experimentemos este poder. Assim como Deus pôde ressuscitar Cristo, da mesma forma Ele pode nos ressuscitar da morte do pecado para a novidade de vida em Cristo, e é nesse poder da ressurreição que devemos combater "as forças espirituais do mal, nas regiões celestes" (Efés. 6:12).

VI - Vistam-se... Fiquem firmes

6. Tendo feito o chamado para sermos "fortalecidos... na força do Seu poder" (Efés. 6:10), que advertência fez Paulo aos crentes? O que ele lhes aconselhou que fizessem, e por quê? Efés. 6:11

Por nós mesmos, não temos nem a força de vontade nem a resistência para enfrentar o diabo. Por natureza, somos pecadores (Rom. 3:23). O pecado nos separou de Deus (Isa. 59:2), nos tornou seus escravos (João 8:34; Rom. 6:16), e corrompeu nossa mentes e consciência (II Cor. 3:14; II Tim. 3:13).

7. Que papel temos nesta batalha contra Satanás e contra o pecado? Devemos ser passivos, ou existe alguma batalha que devemos travar? Mat. 16:24; Luc. 13:24; Filip. 4:1; I Ped. 4:1

Embora Cristo haja derrotado Satanás na cruz e nos dê essa vitória quando O aceitamos pela fé como nosso Redentor, nossa nova vida não está livre de perigos. Como afirma Herman Ridderbos, eminente teólogo do Novo Testamento: "Por mais que já tenham sido derrotados em Cristo, [os poderes satânicos] ainda não perderam seu poder. A fim de poder combatê-los adequadamente, a igreja recebeu uma armadura de Deus, tão ricamente suprida que é capaz de vencer." – Paul: An Outline of His Theology, pág. 392.

É com essa armadura que Deus nos envia para a batalha "contra as forças espirituais do mal" (Efés. 6:12). Essa armadura é mais do que adequada para enfrentarmos os ardis de Satanás. Ele é um inimigo esperto e não usa métodos leais. Usará cada estratagema de que for capaz – desde se transformar em serpente falante (Gênesis 3) até transformar-se em anjo de luz (II Cor. 11:14). Por este motivo, vem a dupla advertência de Paulo: Vistam-se... Fiquem firmes.

Vestir-nos é uma ordem para usar algo que não se origina em nós. Qualquer coisa que tenha origem em nós será totalmente insuficiente para enfrentarmos o inimigo. Vestir-se também indica a idéia de permanência. O cristão não pode viver sequer um momento sem a "armadura de Deus"(Efés. 6:11) – e ele deve cobrir-se completamente, da cabeça à ponta dos pés, dos pensamentos à ação. Em Efésios 6:11-14, Paulo aconselha os crentes por quatro vezes a ficarem firmes – manter o terreno, resistir ao inimigo, permanecer inabaláveis e nunca retroceder. A vitória é nossa.

Você conhece alguém que está enfrentando um combate corpo-a- corpo com Satanás? Por que não passar algum tempo com essa pessoa? Além de orar por ela e com ela, que outras coisas você pode fazer para ajudar?

VII - Estudo adicional

A guerra cósmica: "Na Palavra de Deus são representados dois partidos em guerra para influenciar e controlar os agentes humanos em nosso mundo. Estes partidos estão constantemente trabalhando com cada ser humano. Os que estiverem sob o controle de Deus e que forem influenciados pelos anjos celestiais poderão discernir os estratagemas ardilosos dos poderes invisíveis das trevas. Os que desejarem estar em harmonia com os agentes celestiais devem buscar seriamente fazer a vontade de Deus. Não devem dar qualquer espaço a Satanás e seus anjos."

Conflito vitalício: "O inimigo usará todo argumento, toda frustração, para enganar a pessoa; e a fim de conquistar a coroa da vida, devemos fazer fervorosos e perseverantes esforços. Jamais devemos descuidar de nossa armadura nem deixar o campo da batalha enquanto não conseguirmos a vitória, e pudermos cantar triunfo em nosso Redentor.

"Se continuarmos mantendo nossos olhos fixos no Autor e Consumador de nossa fé seremos salvos. Mas nossas afeições devem ser postas nas coisas do alto, não nas coisas da Terra. Pela fé devemos erguer-nos mais e mais alto nas realizações da graça de Cristo. Pela contemplação diária de Suas insuperáveis belezas, devemos crescer mais e mais à Sua gloriosa imagem. Enquanto assim vivemos em comunhão com o Céu, Satanás lançará sua rede mas em vão."

Perguntas para consideração

1. Primeiro leia II Coríntios 10:3-5, e verifique as indicações de uma guerra espiritual.

2. Os enganos de Satanás freqüentemente envolvem uma combinação sutil de verdade e erro (por exemplo, a tendência comum de atribuir a prosperidade material à aprovação e bênção de Deus sobre a vida). Que outros exemplos existem dessa mistura de verdade e erro que Satanás usa para enganar?

3. Existe alguma pessoa ou grupo de pessoas que você sabe estarem no meio de profunda luta espiritual? Que coisas práticas você pode fazer para mostrar a essas pessoas seu interesse e apoio?