A caminhada cristã

Verso Central: "Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz" (Efés. 5:8).

Leituras da semana: Êxo. 20; Isa. 5:20; João 15:10; Rom. 5:10; II Cor. 5:18; Efés. 5:1-21; I João 5:2, 3; II João 1:6

I - Introdução

Paulo continua suas exortações sobre o viver que seja "digno da vocação " (Efés. 4:1), aconselhando-nos a empreender a caminhada cristã com toda a seriedade (Efés. 5:1-21). Não é necessário ler muito em Paulo para ver com quanta seriedade ele considera a experiência cristã. Ele não conhece nada de graça barata. Embora sejamos salvos pelo que Cristo fez por nós, devemos viver em resposta à salvação que nos foi dada em Jesus. Temos uma nova vida; agora, temos que viver essa nova vida como Deus ordena.

Nos textos desta semana, Paulo provê cinco razões para essa caminhada: amor, juízo, luz, sabedoria e plenitude do Espírito Santo. Embora dedique apenas algumas palavras a cada uma, Paulo, diz claramente o que se espera dos que antes andavam na escuridão mas agora estão na luz.

II - "Andai em amor"

"Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo nos amou e Se entregou a Si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave" (Efés. 5:1 e 2).

Os crentes são chamados a serem imitadores de Deus. Deus em Cristo é nosso modelo em tudo – na ética, no sofrimento, na obediência, no trabalho, na oração e, acima de tudo, no amor. Então, somos aconselhados a andar em amor.

Pelo menos três princípios emergem das palavras deste texto.

Primeiro, o amor de Cristo é abnegado. É o amor agapê: um amor baseado em princípios, não na emoção; amor desinteressado que se concentra em atender às necessidades do outros, embora sejam indignos dele. O amor de Deus é de tal forma que Ele demonstrou "o Seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores" (Rom. 5:8). Andar em amor é amar os impossíveis de se amar.

Pense em alguém impossível de se amar. Que coisas práticas você pode fazer para começar a mostrar amor por essa pessoa? Por que não começar a fazer isso agora?

Segundo, o amor de Cristo é sacrifical. Cristo é o exemplo supremo de sacrifício. Ele carregou a cruz da vergonha e abriu mão da Sua vida para que a humanidade fosse redimida (II Cor. 5:21). Andar em amor é abandonar o eu a fim de servir aos outros. "Discipulado significa submissão ao Cristo sofredor, e, portanto, não é de surpreender que os cristãos devam ser chamados ao sofrimento." – Dietrich Bonhoeffer, The Cost of Discipleship, pág. 101.

1. Quando foi a última vez que você sofreu realmente pelo bem de outra pessoa? O que sua resposta lhe diz sobre você mesmo e sobre as mudanças que precisa fazer?

Terceiro, o amor de Cristo é reconciliador. Cristo reconciliou todas as relações quebradas e trouxe completa unidade (Rom. 5:10; II Cor. 5:18). Andar no amor de Cristo é ser ministros de Sua reconciliação.

Como você viu o poder do amor trazer reconciliação?

III - Andar à vista do juízo (Efés. 5:3-7)

2. Leia Efésios 5:3-7, e então responda às seguintes perguntas:

a. Contra que pecados específicos Paulo nos adverte?
b. Como todos esses pecados são violações dos Dez Mandamentos (veja Êxo. 20)?
c. Note como Paulo contrasta esses pecados com a advertência para andarmos em amor" (Efés. 5:2). Por que esses pecados são o oposto de andar em amor? (Veja também Nee. 1:5; Dan. 9:4; João 15:10; I João 5:2 e 3; II João 1:6.)
d. Olhe para a advertência que Paulo dá em Efésios 5:6. Pelo contexto, qual seria o assunto dessas "palavras vãs"? (Veja também I João 3:7.)


Uma das grandes tragédias da vida é viver como se Deus não existisse, ou não levar em conta a Sua existência. Essa atitude provoca uma vida restrita ao presente, sem pensamento sobre o futuro. Mas a visão bíblica da vida indica que a História está se movendo em direção a um ponto final, quando toda a humanidade deverá responder diante do juízo de Deus (II Cor. 5:10; Heb. 9:27). Responsabilidade final diante de Deus é inevitável, e Paulo adverte que tão certamente quanto o amor de Deus apareceu para a salvação da humanidade, seguramente "vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência" (Efés. 5:6). A ira divina é o juízo contra o mal e seus filhos. Por causa desta certeza de julgamento, Paulo apelou aos crentes: "Não sejais participantes com eles" (v. 7). Com quem? O verso 6 se refere aos que falam "palavras vãs". Estes eram falsos mestres ainda apegados às filosofias pagãs, negando a realidade do pecado e do juízo final para aquele pecado. Não é de admirar que Paulo os advirta a afastar-se dessas pessoas e das suas filosofias, pois elas se opõem à verdade como é em Jesus. Paulo expressa horror aos seus falsos ensinos e chama esses responsáveis como "filhos da desobediência", sobre quem cairá "a ira de Deus" (v. 6). No que se refere aos cristãos, o apóstolo apela para que entre eles não haja sequer sugestão, pensamento ou piada a respeito desses pecados.

Se você olhar para o tipo de pecados que trarão juízo, perceberá que Paulo não disse nada sobre adultério ou assassinato, pecados mais sérios, mas fala sobre coisas como zombaria e cobiça. O que este fato deve dizer sobre a natureza até desses pecados?

IV - Andar na luz (Efés. 5:8-14)

"Porque outrora vocês eram trevas, mas agora são luz no Senhor; Vivam como filhos da luz" (Efés. 5:8).

Tendo definido a vida cristã como andando em amor, com uma visão do juízo iminente, Paulo agora se volta para um terceiro aspecto: andar como filhos da luz. Como é do seu estilo, ele faz outro contraste: no passado, vocês eram filhos das trevas, mas agora vocês são filhos da luz (Efés. 5:8).

Se a escuridão representa a antiga vida, a luz representa a nova. O apóstolo reconhece que os crentes se moveram das trevas para a luz (v. 8). Desde a conversão, eles se tornaram luz no Senhor; isto é, refletores do caráter daquele que disse: "Eu sou a luz do mundo" (João 8:12).

Costumamos comparar luz com conhecimento intelectual, conhecimento dos fatos, e escuridão com ignorância dos fatos. Embora exista alguma verdade nesta idéia, leia Efésios 5:8-14 e responda a esta pergunta:

3. A que Paulo compara o andar na luz? Mais especificamente, refere-se apenas ao conhecimento intelectual ou à vida moral e à conduta do cristão? Por que esta resposta é importante?

Note, também, que Paulo é tão firme quanto a viver livre de mancha moral que ele não apenas nos adverte a afastar-nos dos que fazem mal, mas também nos chama para reprová-los.

4. Uma pergunta inquietante: como podemos reprovar o mal sem abrir a boca? Efés. 5:13. Veja também João 3:20

Você conhece alguém cujo estilo de vida, comportamento e caráter serviu como luz reprovando a escuridão? Como você respondeu? Você aceitou a muda reprovação com humildade e arrependimento, ou fugiu da luz ou até mesmo lutou contra ela, chamando-a, talvez, de escuridão? (Veja Isa. 5:20.)

V - Andar com sabedoria (Efés. 5:15-17)

Nossa caminhada cristã, disse Paulo, deve ser diferente da caminhada do mundo. Devemos caminhar de acordo com o amor. Precisamos estar atentos ao juízo por vir em tudo o que fazemos. Necessitamos esforçar-nos por andar na luz. Agora, Paulo acrescenta outra dimensão: andar com sabedoria.

5. De que tipo de sabedoria fala a Bíblia? I Cor. 1:20 e 21; 3:19; II Cor. 1:12. Quais são alguns exemplos desse tipo de sabedoria?

Em contraste com esse tipo de sabedoria, Paulo, nestes versos, fala de um tipo diferente de sabedoria, um tipo diferente de conhecimento. Como vimos anteriormente, esse tipo de conhecimento não é mero conhecimento intelectual, conhecimento de fatos, por mais úteis e bons que sejam esses fatos. Em vez disso, todo o contexto coloca o conhecimento no contexto do que fazemos. O sábio age corretamente; o ignorante age com tolice, não importa quanto conhecimento intelectual eles tenham.

6. O que significa ser "insensato"? Efés. 5:17. Veja também Sal. 111:10; Prov. 1:7; Isa. 33:6.

O mundo existe unicamente por causa de Deus; tudo o que existe só está aí pela vontade de Deus. Então, não é de admirar que a sabedoria consista em conhecer a vontade de Deus, pelo menos na medida em que pudermos. Embora haja muito a respeito de Deus e Sua vontade que não podemos conhecer, podemos saber que Sua vontade para nós é que vivamos em pureza, santidade, vida que reflita Seu amor e Seu caráter. Esta é a verdadeira sabedoria. Deste modo, alguns dos mais espertos no mundo vivem na ignorância e escuridão mais brutal.

Efésios 5:15 diz que devemos andar com prudência a fim de não sermos "ignorantes" mas sábios. O que podemos fazer a fim de não sermos tolos?

VI - Andar na plenitude do Espírito (Efés. 5:18-20)

Aos quatro elementos da caminhada cristã, Paulo acrescenta o elemento final e, talvez, o mais operacional: "Enchei-vos do Espírito" (Efés. 5:18). Crentes cheios do Espírito Santo terão Sua autorização para caminhar a vida cristã em amor, em luz, sabedoria e no senso do juízo iminente. Duas grandes bênçãos que vêm da habitação do Espírito são iluminação e capacitação..

7. Por que Paulo contrastou a plenitude do Espírito com a embriaguez? O que ele estava tentando ensinar? Efés. 5:18. Veja também Rom. 6:16.

Embora Paulo tenha usado o álcool em seu exemplo, ele realmente poderia ter falado sobre qualquer outra coisa que se interponha entre o crente e o poder do Espírito Santo. Em outras palavras, não devemos deixar que nada nos controle acima e além da influência do Espírito Santo. Paulo está fazendo uma profunda declaração teológica, fundamental para a experiência do novo nascimento e da santificação que vem como resultado do trabalho do Espírito Santo. A pergunta que cada cristão deve fazer é: Sob o controle de quem estão meu corpo, minha mente e minhas emoções? Estão sob o controle do álcool, da cobiça, da sensualidade ou de alguma outra coisa que pode dificultar minha caminhada com Deus? Ou estão sob o controle do Espírito Santo? É o Espírito que nos guia no caminho em que devemos caminhar. Se qualquer outra coisa nos controlar, certamente seremos desviados do caminho.

8. Se devemos ser cheios do Espírito, quanto espaço existe para outra coisa qualquer?

9. Depois de dizer que os efésios deviam estar cheios do Espírito, o que Paulo disse que eles deviam fazer? Veja Efés. 5:19-21. Como todas essas coisas estão relacionadas?

Se alguém lhe perguntasse: Você recebeu o Espírito Santo? Qual seria a sua resposta? O que você apresentaria como evidência de ter recebido a plenitude do Espírito?

VII - Estudo adicional

Andando em amor: "Todos quantos são possuídos de Seu espírito, hão de amar como Ele amou. O mesmo princípio que atuava em Cristo, há de atuar neles em todo o seu trato uns com os outros.

"Esse amor é o testemunho de seu discipulado . ‘Nisto todos conhecerão que sois Meus discípulos’, disse Jesus, ‘se vos amardes uns aos outros.’ João 13:35. Quando os homens se ligam entre si, não pela força do interesse pessoal, mas pelo amor, mostram a operação de uma influência que é superior a toda influência humana. Onde existe esta unidade, é evidente que a imagem de Deus está sendo restaurada na humanidade, que foi implantada nova vida." – O Desejado de Todas as Nações, pág. 678.

Perguntas para consideração

1. "Ninguém vos engane com palavras vãs" (isto é, ensinos falsos) Efés. 5:6. Que ensinos falsos estão perturbando atualmente a fé cristã, e como você lidaria com eles?

2. Comente o que é santidade. É mais do que mera submissão à lei? Alguém pode ser um rígido seguidor da lei e ainda não ser santo?

3. Comente a diferença entre a sabedoria mundana e a sabedoria segundo Deus (veja a item V). Essas duas sabedorias estão necessariamente em contradição? A sabedoria mundana pode nos ajudar a entender melhor a sabedoria segundo Deus? Neste caso, como?