Números na Bíblia

1- A Bíblia contém muitos dados e referências numéricas. Com efeito, um de seus 66 livros é o de Números, escrito por Moisés com o propósito de levantar o censo de toda a congregação dos filhos de Israel. (Números 1:2)

2- Muitos exegetas tem estudado a fundo a Bíblia Sagrada. Diz-se que o grande estudioso da Bíblia, intelectual inglês, Tomás Harwell Horne, levou 17 anos contando cada versículo, cada palavra e cada letra da Bíblia, até conseguir um cômputo exato.

3- Existem muitos dados curiosos relativos às estatísticas bíblicas. Um dos números que mais aparece nas Sagradas Escrituras é o 7. Entre os hebreus este número era considerado sagrado e símbolo da perfeição.

4- Há 18 grupos do número 7 em Apocalipse. São eles: Sete igrejas (Apocalipse 1:4); sete candeeiros (2:1); sete estrelas (1:16); sete anjos (1:20); sete lâmpadas (4:5); sete selos (5:1); sete chifres (5:6); sete olhos (5:6); sete trombetas (8:2); sete tronos (10:3); sete mil homens (11:13); sete cabeças (12:3); sete diademas (12:3); sete pragas (15:1); sete anjos (16:1); sete taças (16:1); sete montes (17:9); sete reis (17:10).

5- Noé tinha 600 anos quando terminou a arca.

6- Sara tinha 90 anos quando recebeu a promessa de que teria um filho.

7- O sábio Salomão deixou mais de três mil provérbios.

8- A operação matemática mais rendosa foi efetuada por Jesus quando multiplicou 5 pães e 2 peixes para alimentar mais de cinco mil pessoas e ainda sobraram 12 cestos cheios.

9- A mãe de Moisés escondeu seu filhinho por 3 meses.

10- O livro de Jó tem 42 capítulos, enquanto Salmos tem 150.

11- Cristo purificou o templo 2 vezes.

12- Jó tinha 3 filhas.

13- Pedro negou a Cristo 3 vezes.

14- Raabe escondeu 2 espias.

15- Os hebreus usavam as letras do alfabeto para representar os números, usando “aleph” por 1, “beth” por 2, e assim por diante.

16- No papiro Elefantino (século V A.C.), ao números eram geralmente representados por sinais.

17- Nas inscrições Nabateanas do século I de nossa era os números apareciam soletrados, embora alguns em forma de sinais.

18- Nas inscrições aramaicas também são usados os sinais.

19- Em séculos passados os assírios e babilônios usavam sinais cuneiformes para identificar os números.

20- A repetição por três vezes era usada para dar ênfase. Por exemplo: Jeremias 7:4: “templo de Jeová, templo de Jeová, templo de Jeová é este.” Isaias 6:3: “ Santo, Santo, Santo.”

21- O número 4 não é muito usado; são, no entanto, mencionados os 4 pontos cardeais (Isaias 11:12), os 4 ventos (Daniel 7:2), os 4 carros (Zacarias 6:1), etc.

22- O número 10 era conhecido como o algarismo perfeito. Havia 10 mandamentos (Êxodo 20: 3 à 17), 10 patriarcas antediluvianos e 10 depois do dilúvio, 10 pragas no egito, 10 virgens, etc.

23- O número 12 fazia parte do sistema duodecimal dos babilônios, por isso encontra-se freqüentemente na Bíblia: as 12 tribos de Israel, os 12 apóstolos, etc.

24- O número 40 era também muito usado nos tempos bíblicos. Exemplo: “quarenta dias e quarenta noites.” Êxodo 24:18; I Reis 19:8; Jonas 3:4; Mateus 4:2.

25- “Legião” era a designação dada pelos romanos a um conjunto de 6.000 soldados.


(Curiosidades e Testes Bíblicos - Rafael Escandón)