Dos tempos mais remotos, um documento: A Bíblia

Como criaturas limitadas, projetadas na eternidade, quem nos poderia ensinar sobre nossa origem e destino?

Quem nos dirá de onde viemos e para onde vamos?

Quem nos dará a chave dos mistérios inexplicáveis?

Quem nos ajudará na resolução de nossos problemas?

Para além do conhecido, quem nos revelará o desconhecido?

O mal, o sofrimento, a morte nos dominam, quem nos livrará dessas coisas?

Todas estas questões permaneceriam sem resposta se não tivéssemos um livro; a Bíblia, a Palavra de Deus.

Este livro que nos vem de eras remotas é um documento único. Moisés começou a escrevê-lo no tempo dos Faraós e João, o evangelista, encerrou quinze séculos mais tarde, ao escrever o Apocalipse.

Sábios têm colaborado na sua redação, profetas, reis, pastores, artesãos, funcionários, pescadores, um médico e um fabricante de tendas.

Será um livro heteróclito, que não segue uma ordem de pensamentos e de assuntos?

Não!

A Bíblia composta de 66 livros é por excelência o livro da coordenação e da harmonia.

Um pensamento central o envolve e permeia suas páginas.

Por seu intermédio Deus se revela ao homem, almejando que este se volte para Ele.

Onde a ciência ainda interroga, onde a filosofia refuta, a Bíblia afirma. Por meio dela Deus fala aos homens numa linguagem humana e clara, compreensível e sem equívoco.

A Bíblia nos diz quem é Deus, quais são Seus atributos, o que Ele fez e o que Ele tem intenção de fazer.

Toda a história passada, presente e futura do homem é ali traçada.

A Bíblia é a lâmpada que esclarece,

O guia que conduz,
O espelho que revela,
O orvalho que fecunda,
O pão que alimenta.


(História do Texto Bíblico - Pedro Apolinário)