Um fato chocante



Mateus 26:75

Por duas razões a negação de Pedro foi um fato chocante.

Primeira: Porque ele mesmo sempre dizia: "mesmo que todos te neguem, eu jamais".
Segunda: Porque ela foi uma negação pública e escandalosa.

Quando disfarçamos a nossa fé por medo do sofrimento, medo da crítica, medo da zombaria, estamos também negando a Jesus hoje.

De todos os discípulos, Pedro era o mais falante. O que é falante? Falante é aquele que fala, fala e não deixa os outros falar.

Posso lhes deixar alguns conselhos?

Primeiro: Quem não sabe calar e escutar não conserva amigos.
Segundo: Falem baixo, falem devagar e não falem muito.
Terceiro: Falem sempre certo na hora certa.
Quarto: Falar por falar, é melhor não falar.

O General Wellington, da Inglaterra, era um homem de poucas palavras. Suas palavras favoritas eram: "Sim" e "Não". Quando lhe perguntaram quais as qualidades para ser um grande general, respondeu: "Ter uma grande cabeça e falar pouco".

Pedro era também, de todos os discípulos, o mais explosivo... o mais temperamental... mas era ao mesmo tempo o mais sensível, o mais chorão. Outros homens da Bíblia também choraram. Jesus também chorou. A verdade é que quando amamos, choramos. Porque o choro é o reflexo do amor.

Outro mal! Pedro as vezes falava as coisas sem pensar... Que pena!

Thomas Jefferson, ex-presidente dos Estados Unidos, dizia: "Quando estou contrariado conto até dez antes de falar e até cem se estiver encolerizado".

Temos nós feito assim? Vale a pena. As vezes falamos tudo o que queremos, como queremos, onde queremos e não nos preocupamos com a repercussão.

Três circunstâncias comprometeram Pedro:

A primeira foi sua conversa. Os discípulos de Jesus eram notados pela pureza de linguagem. Infelizmente nesse dia a linguagem de Pedro foi outra. Começou a mentir, a praguejar. Quão diferente deveria ser a nossa linguagem. A nossa conversa não deve ser conversa de sarjeta, mas de alto nível. Como é triste ver um cristão falando gíria.

A segunda circunstância que comprometeu Pedro foi o canto do galo. Eu creio que Pedro nunca mais pôde ouvir um canto de galo sem chorar.

Um jovem entrou numa chácara e roubou umas mangas. Pediu perdão a Deus. Nunca mais pegou nada. Mas cada vez que olha uma mangueira vem a lembrança as mangas que pegou no passado. Há coisas que fazemos hoje e que nos marcam para o resto da vida, mesmo que Deus tenha nos perdoado; ficam as cicatrizes.

A terceira circunstância que comprometeu Pedro foi o olhar de Jesus. Negou três vezes, o galo cantou e Jesus olhou para ele. Como deverá ter sido aquele olhar? Para mim foi um olhar que atravessou o coração de Pedro. Um olhar que disse tudo sem dizer nada. Um olhar tão suave que feriu sem machucar. Foi um olhar tão puro que lavou de lágrimas o rosto do apóstolo. Para mim foi um olhar tão poderoso que levantou o discípulo para sempre.

João Todd, eminente escritor, ainda era menino. O pai estava velho e muito doente. Pediu-lhe que fosse à farmácia comprar remédio. Mas ele queria brincar e assim não foi e mentiu que a farmácia não tinha o remédio e voltou a brincar. Mas se arrependeu e foi. Trouxe o remédio e confessou a mentira. Era muito tarde, o pai estava morrendo. Mas teve forças para aconselhar o filho, dizendo: "Filho, fale sempre a verdade porque os olhos de Jesus estão sempre sobre você".

Os olhos de Jesus também estão cada momento sobre nós. Por isso devemos falar a verdade e procurar viver a verdade. Só assim estaremos avançando na experiência cristã.

Pr. Eser Girotto