Vida Jovem

Como Enfrentar a Pressão do Grupo?


“Mostra-me, Senhor, os Teus caminhos, ensina-me as Tuas veredas; guia-me com a Tua verdade e ensina-me, pois Tu és Deus, meu Salvador, e a minha esperança está emTi o tempo todo” (Salmo 25:4-5).


Todos imaginamos de vez em quando se o que estamos fazendo é certo.

Você costuma fazer o que todos fazem, dizer o que outros dizem, pensar o que o grupo pensa, agradar todo mundo? Cuidado! Quando a gente se comporta assim, pode acabar cometendo erros e até crimes, porque a maioria nem sempre está certa.

Um exemplo disso é o famoso “julgamento” de Cristo, relatado em Mateus 27. Você deve ter lido ou ouvido a respeito dele. Um trecho mostra o governador perguntando:

- O que farei com este homem?
- Crucifique-O!
- Por quê? Que foi que Ele fez de ruim?

Como se não ouvisse, o povo continua: - Crucifique! Crucifique! Crucifique!

Quando o governador viu que não estava chegando a resultando algum, e que começava a se formar uma confusão, mandou buscar uma bacia d'água e lavou as mãos diante da multidão, dizendo: - Estou inocente do sangue deste homem bom. A responsabilidade é de vocês.

Pilatos foi covarde, cedeu à pressão de grupo e matou um inocente, o Filho de Deus.

Não é fácil comportar-se de maneira independente e autônoma, pois isso significa, às vezes, ter que enfrentar a maré, ir contra a onda. Imagine-se nas situações a seguir:

- Um grupo de jovens exibindo suas novas tatuagens, e você sem nenhuma para mostrar.
- Numa festa, todo mundo bebe cerveja e você é o único a beber uma limonada.
- A maioria de suas colegas de escola já fez sexo e você continua virgem.
- Seus amigos curtem rock e você é o único fã de boa música.

Na hora da "pressão", faça as seguintes perguntas:

    Isso é bíblico?

A Palavra de Deus me dá a liberdade para escolher. Devo perguntar sempre: O que estou para fazer tem a aprovação dEle? O que a Palavra de Deus diz a respeito? Quando confuso, você descobrirá o que não fazer sabendo o que fazer (pelo processo da "exclusão").

    Isso é útil?

O que estou para fazer me ajudará a crescer? Isso me ajudará a cumprir o propósito de Deus em minha vida? Me torna uma pessoa melhor?

    É o que Jesus faria?

Quando um filho pergunta a pais cristãos se pode fazer alguma coisa que ele sabe que extrapola o limite, esses pais deveriam dizer: “Olha, filho... é isso o que Jesus faria? Jesus iria a esse lugar?”

    Isso é necessário?

Quem realmente está no controle da sua vida? Pergunte a si mesmo se cabe a você dizer sim ou não para essa decisão. Você tem que fazer isso? Se você está no controle, pode dizer sim ou não. O fato de outros estarem fazendo (e pressionando você para fazer também) não torna isso certo.

    Isso é sábio?

Tenha certeza de que considerou todas as consequências antes de fazer isso. O pecado sempre paga um pedágio. E mesmo Deus amando você, não há uma exceção para a regra. Ou seja, mesmo com o perdão, as consequências virão!

    Isso é proveitoso?

Como o que vou fazer pode afetar meu testemunho? Quero crescer e amadurecer, mas também me preocupo com os outros.

    Isso é essencial?

Muitas pessoas separam muito tempo para coisas que têm pouco valor.

    Essa é a escolha certa?

Eu sei que é importante ter certeza de que o que estou para fazer é bíblico, útil, necessário e sábio. Mas a maior preocupação que tenho é: mesmo sabendo dessas coisas, ainda escolherei fazê-lo? Muitos sabem o que é certo, mas ainda assim escolhem fazer o que é errado. E pagam alto preço por isso (casamentos com descrentes, gravidez indesejada, vícios, morte...)!

O caminho para fazer as escolhas certas, embora muitas vezes difícil e frequentemente estreito, dará a você um senso de propósito permanente e uma alegria inabalável.

Além disso, é um caminho que realmente leva a algum lugar. E não há língua humana que possa descrever as maravilhas que nos esperam logo atrás do horizonte.

    Você não pode esquecer:

É importante ter certeza de que o que eu estou para fazer é ÚTIL, NECESSÁRIO E SÁBIO.

    Colocando em prática

Você não precisa ser “massa”, "da hora". Da próxima vez em que se vir pressionado pelo grupo a agir contra sua vontade ou contra a vontade de Deus, sem ser chato, diga “não”. Isso pode não ser fácil, mas compensa. Você estará vivendo sua vida de forma criativa e aprovada por Deus. Saber dizer "não" é uma demonstração de personalidade e auto-confiança.

- Ore por jovens de sua Igreja que estão sofrendo a pressão de seus companheiros e, estão cedendo.

Nossos jovens enfrentam duras provas nesta sociedade mal e injusta na qual vivemos hoje, onde o consumo, o luxo e a busca pelo prazer são incentivados ao máximo.

Mas sempre há uma escolha correta a ser feita, mesmo que de difícil execução. É como todo motorista aprende na auto-escola: "Na dúvida, não ultrapasse!"


"... Jovens, eu vos escrevi, porque sois fortes, e a palavra de Deus permanece em vós, e tendes vencido o Maligno" (1Jo 2:14).