Religioso ou Cristão?



"Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei" (Gál. 5:22-23).

Existe diferença entre ser um "cristão" e ser um "religioso"? A princípio, sim.

Um religioso é aquele que segue uma religião, portanto, pode-se dizer que o budista é um religioso, o hinduista, o judeu, o muçulmano, e até mesmo um espírita pode ser considerado um religioso. Existem alguns autores que colocam até os ateus no grupo dos "religiosos"!

Mas, ser um "cristão" é diferente. Neste grupo estão apenas os que crêem, vivem e pregam sobre os ensinamentos de Jesus Cristo. Segundo a Bíblia, a primeira vez que os discípulos receberam este "rótulo" foi na cidade de Antioquia (cf. Atos 11:26). No original grego é utilizada a palavra CHRISTIANOS, ou "aquele que segue a Cristo".

E eu posso professar seguir a Cristo mas não ser um "cristão"? Teoricamente, sim. Até certo ponto é perfeitamente possível viver toda uma vida seguindo rituais e cerimônias do Cristianismo, mas não estar entre aqueles que Jesus considera como Seus, que tem um relacionamento real com Ele. A declaração dEle em Mateus 7:21-23 é uma prova cabal disso!

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade. (Mateus 7:21-23)

E como saber se minha fé não está sendo enganosa? Como saber se eu estou realmente desfrutando do crescimento e da "novidade de vida" que os primeiros cristãos experimentaram? Como que as pessoas podem olhar para mim, e assim como em Antioquia, verem que eu sigo a Jesus?

A resposta é dada por Paulo na citação bíblica que abriu esta postagem: Gálatas 5:22-23.

Uma pessoa que está se deixando trabalhar pelo Espírito Santo, "fatalmente" demonstrará em sua vida O FRUTO deste Espírito. Sempre me intrigou esta designação no "singular" sobre a manifestação do Espírito Santo em nós! Quando Paulo fala de dons, ele usa o plural... Quando fala em ministérios de liderança, ele usa o plural... Mas quando Paulo foi inspirado a falar sobre o RESULTADO (é isto que um fruto é!) da atuação do Espírito Santo em nós, ele usa um termo no "singular": FRUTO. Não são "os frutos", mas O FRUTO. Isto deve nos levar constantemente à reflexão!

Quer dizer que eu posso ser bondoso e fiel, mas se não tenho a paciência, então o Espírito Santo não está habitando totalmente em mim? Parece que foi isso que Paulo quis ensinar aos Gálatas...

O apóstolo, que teve uma tremenda experiência de conversão, passando de "religioso" (cf. Filip. 3:5-6) a "cristão", nos leva a pensar sobre até que ponto nossa vida "devocional", "cerimoniosa", "litúrgica", está refletindo uma experiência verdadeira com Jesus.

“Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; quanto à lei fui fariseu; quanto ao zelo, persegui a igreja; quanto à justiça que há na lei, fui irrepreensível.” (Filipenses 3:5 e 6)

Quantas pessoas que conhecemos, com uma aparente "consagração" infalível, mas que são pessoas de temperamento irritante, belicoso e anti-social?!

Quantos que são extremamente meticulosos no que devem comer ou vestir, mas que são avarentos e apegados aos bens materiais?!

Quantas esposas que, na Igreja, são modelos de "santidade", mas que com os parentes e vizinhos demonstram-se extremamente intemperantes e grosseiras?!

Quantos maridos que, com terno e gravata, até parecem o supra-sumo da fidelidade a Deus, mas que em seus lares são cruéis, implacáveis e tiranos com esposa e filhos?!

Quantos pastores, anciãos e líderes que deveriam ser um modelo na revelação do fruto do Espírito, mas que machucam, magoam e ferem aqueles que estão sob sua "autoridade"?!

            Amor,
            Alegria,
            Paz,
            Longanimidade,
            Benignidade,
            Bondade,
            Fidelidade,
            Mansidão,
            Domínio próprio

É fácil decorar versos bíblicos; saber doutrinas e profecias na ponta da língua.

O difícil é demonstrar aos que nos rodeiam se, realmente, Cristo vive em nós. Isso se revela não só por roupas características de "crente", por exemplo... Isso os "religiosos" também conseguem fazer...

Mas o que o mundo deseja ver mesmo, e não conseguirá levantar contra-argumentos, é uma vida renovada e vivificada pelo Espírito do Senhor, evidenciando o seu COMPLETO FRUTO, com suas 9 partes, em nossa vida.

De que adianta passar horas e horas na Igreja, não perder a nenhum culto das madrugadas, estar em todas as Santas-Ceias, etc., se, ao chegar em casa, o caráter que é revelado aos parentes, amigos e familiares é o mesmo de uma pessoa que não tem nenhum contato com nossa fé?!

De que adianta a própria existência da Igreja, se ela não consegue nos ajudar a vivermos à semelhança de Cristo? Para que ela serve se, ano após ano, continuamos os mesmos egoístas, grosseiros, petulantes, arrogantes, briguentos, críticos e encrenqueiros de sempre?!

De que adianta ter nascido em "berço cristão", se anos depois eu revelo o mesmo caráter vil e perverso de outros que nasceram na mesma época que eu, mas em outro "berço"?!

Jesus veio para derrubar as barreiras que existiam entre a "religião" e a "fé".

- Os religiosos estavam sempre querendo disciplinas e apedrejamentos... Jesus queria curar e libertar.

- Os religiosos seguiam seus infindáveis rituais de purificação exterior... Jesus ensinava que o mais importante é purificar o interior.

- Os religiosos eram implacáveis e vingativos... Jesus perdoava e derramava Sua misericórdia.

Aliás, das poucas vezes em que Jesus agiu “de forma severa,dura” foi exatamente contra os RELIGIOSOS.

Já pensou nisso?!

Deixe que a verdadeira fé, uma fé viva em Cristo, nosso Salvador e Senhor, modifique sua vida de tal forma que o Espírito Santo encontre lugar para ali construir o Seu Templo (cf. 1Cor. 6:19).

Se até hoje a tua vida tem sido de rituais e cerimônias meramente religiosas, peça ao Senhor que te mostre a beleza de ser lavado(a) e regenerado(a) pelo "banho da graça", que Jesus deseja conceder a todos os que O seguem (Tito 3:5). Inclusive eu e você...

Desejo, de coração, que Jesus encontre entre nós muito mais cristãos do que religiosos!


(Gilson Medeiros - Alguns trechos foram adaptados)