A fé sorri das impossibilidades?



Meios de comunicação como facebook, mesenger, orkut, twitter e outros, mostram muito do que seus usuários pensam. eu os uso como uma espécie de termômetro para tomar conhecimento de como anda o pensamento dos meus “amigos virtuais”. hoje fui surpreendido por uma avalanche de endossamento da seguinte frase: “a fé sorri das impossibilidades”.

Tive a curiosidade de pesquisar a respeito da frase e descobri que ela se origina de um texto escrito por Leonard Ravenhill, escritor e evangelista cristão britânico que focalizava em assuntos como oração e avivamento. em seu texto, a fé ri das impossibilidades, Ravenhill utiliza o título como uma ironia a forma como a fé é compreendida por muitos religiosos. por ser um escritor cristão profilático – um escritor que prevê os possíveis problemas em comunidades cristãs e escreve acerca deles – ele trava o assunto com extrema maestria.

Ravenhill discorre dizendo:

“A oração de um crente pode tornar-se um ritual. o lugar da oração é mais do que território onde atiremos todas nossas ansiedades, preocupações e temores. o lugar da oração não é um lugar para deixar cair uma lista de compras diante do trono de um Deus com infinito suprimento e ilimitado poder. eu creio que o lugar da oração não seja somente um lugar onde eu perca meus fardos, mas também um lugar onde eu receba um fardo. ele compartilha meu fardo e eu compartilho a Seu fardo. "Meu jugo é suave e meu fardo é leve". para conhecer este fardo, devemos ouvir a voz do Espírito. para ouvir esta voz, devemos calar e saber que Ele é Deus.”

Seu texto endossa verdades que minha leitura das Escrituras e iluminação do Espírito me levou a compreender. eis duas delas:

- A fé não é uma espécie de amuleto cristão.

No judaísmo, o “chamsa” é um talismã com simbologia cabalística para proteção do ambiente. a mão aberta é um símbolo de generosidade e um gesto de paz. os peixes significam fartura e prosperidade para seu lar ou negócio. o olho representa o olhar de Deus, sua onipresença. muito judeus não reformados ainda acreditam na proteção trazida por esse talismã.

No cristianismo, a oração não é um talismã com simbologia mística para a obtenção de desejos e realizações de grandes feitos – ante as impossibilidades. Não é bíblica a idéia de ser a oração um amuleto que nos dará tudo o que pedirmos.

“Eu tenho fé e todas as impossibilidades serão ultrapassadas”. essa frase pode fazer parte do escopo da auto-ajuda, mas não do cristianismo.

- O agente é Cristo, não a fé.

Note algo! mesmo Cristo dizendo inúmeras vezes que a fé de um indivíduo o havia curado, o agente da cura era a fé? qual dos dois é o agente?

É comum que haja confusão entre meio e agente. por acreditarem em Cristo (fé - meio) as pessoas eram curadas (poder de Cristo - agente). no que isso muda nossa compreensão? não podemos afirmar que a fé sorri das impossibilidades, porque não é esse o papel da fé. devemos afirmar que em meio às impossibilidades, confiamos na soberania de Cristo pela fé.

Experimente retroceder centenas de anos. Vá até o limite dos portões da cidade de Uz. Lá você irá encontrar coberto de cinzas e com enormes feridas, o homem mais íntegro e reto da época – palavras do próprio Senhor. Se dirija em sua direção e diga animadamente: A fé sorri das impossibilidades! o que acha que ele responderia?

Talvez você entenda por esse esquema:

Jó - o homem mais íntegro e reto - o homem com tamanha fé a ponto de passar por terríveis provações (impossibilidades) e não amaldiçoar o nome do Senhor.

Impossibilidades - filhos mortos, terras perdidas, casa destruída, saúde em degradação e “amigos” o infortunado.

Possivelmente Jó responderia a você:
- Sua compreensão acerca de fé está comprometida. experimente estar em minha situação e pensar da mesma forma.

Você diria:
- Jó! Como devo entender a fé então?

Ele explicaria a você:
- Entenda que a fé é a confiança no Senhor Jesus Cristo. ela não exclui a possibilidade de você enfrentar impossibilidades – assim como estou passado – e não sair delas. Ela diz que mesmo em meio às impossibilidades – e o não “vencimento” delas – você continuaria a confiar do Senhor Jesus Cristo. Fé significa confiança no Senhor, não um talismã contra impossibilidades.

“Testificando tanto a judeus como a gregos o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus [Cristo]”. Atos 20.21


(Michael Lima)