Reavivamento: Nossa grande necessidade

A Mensagem a Laodicéia

“Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a Minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo” (Ap 3:20).

Leituras: Ap 3:14-21; Hb 12:7-11; Mt 25:1-13; Zc 3:1-5; Ct 5:2-5

Laodiceia é a última na sequência das sete igrejas do Apocalipse. O nome significa “povo julgado”. É também um símbolo apropriado para o povo de Deus nos últimos dias.

Laodiceia estava localizada em um vale aberto, no sudoeste da Turquia. Era uma importante capital financeira, um centro da moda, educação e medicina. Seus habitantes eram independentes, autoconfiantes e ricos.

Entretanto, na cidade havia falta de água, um recurso natural vital. A água era canalizada através de aquedutos romanos, a partir de uma fonte localizada oito quilômetros ao sul da cidade. No momento em que a água chegava a Laodiceia, estava morna. Jesus usou esse simbolismo para representar a condição de Sua igreja nos últimos dias, descrita como autoconfiante, complacente, apática e indiferente espiritualmente. Uma igreja que perdeu sua paixão e que precisa de um reavivamento espiritual.

Apesar disso, a mensagem de Laodiceia está cheia de esperança. Cristo fala ao Seu povo com amor, oferecendo-Se para satisfazer as necessidades dele e reavivar seus mais profundos anseios espirituais.

O nome Laodiceia tem um significado interessante: “julgar as pessoas” ou “um povo julgado”. Laodiceia é a última das sete igrejas. No tempo em que o livro do Apocalipse foi escrito, a igreja cristã em Laodiceia tinha provavelmente 40 anos de existência, havia crescido bastante e se tornado confortável. Ela representa a igreja exatamente antes da vinda de Jesus. Como tal, é a igreja da hora do juízo. O primeiro dos três anjos que voam no meio do céu, com a mensagem de Deus para os últimos dias, “a cada nação, e tribo, e língua, e povo”, proclama: “Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo” (Ap 14:6, 7). É a mensagem urgente de Deus no tempo do fim para a Sua igreja do fim dos tempos. Essa mensagem fala com poder a cada um de nós.

Esperança para Laodiceia

Jesus Se dirigiu a cada uma das sete igrejas de Apocalipse 2 e 3 com um título para Si mesmo apropriado à condição espiritual delas. Os títulos usados em Sua mensagem à igreja de Laodiceia ressoam com a certeza de renovação espiritual para todos os que atenderem ao Seu chamado.

1. Por que Jesus usou os títulos “o Amém”, “a Testemunha fiel e verdadeira” e “o princípio da criação de Deus”? Ap 3:14, 15; 2Co 1:20; Jo 3:10, 11; Cl 1:13-17

Porque Sua mensagem é verdadeira e Seu testemunho é fiel. Ele é o princípio porque é o Criador e Redentor, a causa básica de todas as coisas. Jesus cumprirá Suas promessas.

Em Apocalipse 3:14, a palavra grega para “princípio” é archê. Pode significar “princípio” no sentido de que a pessoa a quem ela se refere é o iniciador do evento ou ação. Nesse contexto, archê se refere a Jesus como Aquele que dá início, ou é a causa primeira de toda a criação. Em outras palavras, Ele é o Criador (Jo 1:1-3; Ef 3:8, 9).

Isso é extremamente significativo. Jesus, que por Sua Palavra trouxe os mundos à existência, que criou a Terra, Aquele cuja palavra fez com que existisse vida, esse mesmo Jesus falou de esperança para Laodiceia. O Criador Todo-poderoso pode criar nova vida. Pode criar novos anseios espirituais em nosso coração. Ele pode transformar nossa vida espiritual.

2. Leia 2 Coríntios 5:17 e Gálatas 6:14, 15. O que esses textos significam para você?

Estar em Cristo significa ser recriado. A criação destruída pelo pecado é renovada pela presença de Cristo. O passado de pecado se torna um presente vitorioso em Cristo. A mudança mais importante em nossa vida é operada pelo poder da cruz de Cristo.

Que esperança existe na mensagem à Laodiceia? Que encorajamento obtemos na introdução a essa mensagem de forte repreensão? Com qual dos três títulos de Jesus você mais se identifica, e por quê?

Apocalipse 1:14-21 descreve com exatidão a nossa frágil condição espiritual, mas também traz uma mensagem de esperança da parte de Cristo, o Criador todo-poderoso que tem poder para mudar nossa vida. O Cristo de Gênesis é o Cristo do Apocalipse.

Uma repreensão amorosa

3. Por que Jesus repreendeu de modo severo a igreja de Laodiceia? O que significa ser morno? Que outras palavras Jesus poderia ter usado em lugar de “morno”? Ap 3:15, 16

Porque Deus ama a igreja e deseja resolver os sérios problemas espirituais representados por sua mornidão: indiferença, indecisão, orgulho e hipocrisia.

Comentando Apocalipse 3:15, 16, Ellen G. White afirma: “A mensagem à igreja de Laodiceia se aplica mais claramente àqueles cuja experiência religiosa é insípida, que não dão decidido testemunho em favor da verdade” (The SDA Bible Commentary [Comentário Bíblico Adventista], v. 7, p. 962). Essa é uma afirmação fascinante. Uma experiência religiosa insípida é destituída de vida. Ela tem a “casca” de cristianismo, mas não tem a substância. Tem a forma externa, mas não tem o poder vivo. Os laodiceanos não são hereges nem fanáticos inflamados. Eles são, simplesmente, indiferentes. Parecem ser moralmente bons. Têm o que Paulo chama de “forma de piedade”, mas negam seu poder (2Tm 3:5). Jesus falou de pessoas religiosas em Seu tempo que O “[honravam] com os lábios, mas o seu coração [estava] longe [dEle]” (Mt 15:8).

4. Qual é o propósito da repreensão divina? Hb 12:7-11; Jó 5:17-19; Sl 94:12; Pv 29:15, 17

A nossa felicidade, justificação e santificação. Deus quer nos tornar sábios e obedientes.

Nosso Senhor ama tanto Seu povo que não quer permitir a perdição dele. Deus fará o que for preciso para reacender a chama espiritual no coração desse povo. Sua forte repreensão é motivada por um amor ainda mais forte. O castigo revela Seu desejo de nos curar. O profeta Oseias ecoa esse sentimento com este chamado ao arrependimento: “Vinde, e tornemos para o Senhor, porque Ele nos despedaçou e nos sarará; fez a ferida e a ligará” (Os 6:1).

Será que Deus já usou experiências dolorosas, e até mesmo embaraçosas, para humilhar você e atraí-lo para perto dEle? As lições aprendidas nessas experiências garantem que você não terá que passar por elas novamente?

Quando, em resposta ao toque do Espírito Santo, buscarmos conhecer Jesus de modo mais profundo e permitirmos que o Senhor encha nosso coração com Seu amor, Ele derrubará todas as barreiras que impedem esse relacionamento. Teremos uma experiência com Deus que jamais imaginamos que fosse possível.

Percepção e realidade

Existe um abismo entre o que Laodiceia diz e faz. Há um abismo ainda maior entre a experiência espiritual que ela acha que tem e o que ela tem realmente.

5. Como Laodiceia avalia a si mesma? Como Deus a avalia? Por que o povo estava cego acerca de sua verdadeira condição espiritual? Estamos cegos em relação à nossa condição espiritual? Ap 3:17

Laodiceia se considera rica e sem necessidade de coisa alguma; Deus a considera infeliz, miserável, cega e nua; a igreja não consegue ver sua verdadeira condição espiritual porque olha para si mesma e deixa Jesus do lado de fora do coração. Perto de Jesus, a igreja perceberia sua miséria espiritual.

Um dos enganos fatais de Satanás é cegar-nos para a realidade de nossas necessidades espirituais. Alguns dos líderes religiosos do tempo de Jesus eram cegos para a própria pobreza espiritual. Eles eram membros da “igreja” que, enquanto esperavam a vinda do Messias, liam a Bíblia, guardavam o sábado e devolviam o dízimo. No entanto, muitos estavam em trevas quanto ao tipo de reino espiritual que o Messias anunciaria. Jesus os chamou de “guias cegos” (Mt 23:24). Paulo escreveu à igreja de Corinto sobre os incrédulos “nos quais o deus deste século cegou o entendimento” (2Co 4:4). Por isso, Jesus disse que veio para proclamar a “restauração da vista aos cegos” (Lc 4:18). Se permitirmos, Ele vai restaurar nossa visão espiritual perdida. No Novo Testamento, toda vez que Jesus abria os olhos dos cegos, estava revelando Seu desejo de abrir os olhos da nossa mente, a fim de nos habilitar a vê-Lo claramente.

6. Quais são as semelhanças entre as virgens insensatas e os membros da igreja em Laodiceia? Mt 25:1-13

As virgens insensatas eram mornas porque não se preparam totalmente para o encontro com o noivo; não tinham o azeite, assim como Laodiceia não tem o colírio do Espírito Santo; as lâmpadas estavam vazias, sem óleo; Laodiceia é rica, mas não tem o ouro, vestes brancas e colírio; as virgens insensatas, assim como Laodiceia, não conheciam a Jesus.

De que maneiras você pode se manter espiritualmente alerta? Por que é tão fácil se tornar espiritualmente indiferente? Como podemos neutralizar a apatia religiosa?

A igreja de Laodiceia tem uma tríplice necessidade: ela precisa de riquezas para esconder sua pobreza, roupas para cobrir sua nudez e cura para sua cegueira. É notável que riqueza, roupas e colírio são as três coisas pelas quais a cidade de Laodiceia era famosa na antiguidade. Essa cidade rica e desenvolvida parecia não ter necessidade de nada. O Senhor lhe ofereceu riquezas celestiais, vestes espirituais e visão divina. O ouro representa o tesouro mais precioso do Céu, a fé que atua pelo amor (Gl 5:6). As vestiduras brancas são oferecidas em contraste com a nudez de Laodiceia. Embora as modas de Laodiceia fossem famosas por todo o Império Romano, ela estava espiritualmente nua. Assim como Deus proveu roupas para cobrir a nudez de Adão e Eva no Éden (Gn 3:21), Ele oferece roupas para que Seu povo dos últimos dias cubra sua nudez espiritual. Essas vestes não são de sua própria fabricação (não é Laodicéia que a produz, é Deus quem oferece). João as identifica com o “linho finíssimo, resplandecente e puro. [...] o linho finíssimo são os atos de justiça dos santos” (Ap 19:8). Na vestidura que Jesus oferece, não há sequer um fio de origem humana. Ela representa Sua graça, perdão, justiça e Seu caráter perfeito. Cobre nosso pecado e opera uma mudança miraculosa em nossa vida (leia Mt 22:1-14 e Testemunhos Para a Igreja, v. 4, p. 88, 89).

Não muito longe de Laodiceia, havia um templo dedicado ao deus frígio Men Karou. Uma famosa escola de medicina foi criada em harmonia com esse templo. Pessoas com problemas oculares viajavam durante alguns dias para esse templo a fim adquirir o colírio frígio. Cristo oferece algo muito melhor para a cegueira espiritual de Seu povo, a iluminação do Espírito Santo, para que sejam abertos os olhos obscurecidos pelo pecado e cegados por Satanás (Jo 8:12; 16:8-11; 2Co 4:3, 4).

O remédio divino

Há esperança para Laodiceia e para todos os que sofrem apatia espiritual e indiferença. Nosso Senhor tem o remédio divino. O fato de que o Senhor fala com a igreja mostra que existe esperança para ela, se Seu povo aceitar e seguir Seu conselho.

7. O que Jesus quis dizer quando falou de “ouro refinado pelo fogo”, “vestiduras brancas”, e “colírio”? Ap 3:18, 19;1Pe 1:7; Zc 3:1-5; Ap 19:7-9; Ef 4:30

Ouro: fé que atua por amor. Vestes brancas: justiça obtida pelo perdão e purificação concedidos por Cristo que nos leva a praticar atos de justiça. Colírio: o Espírito Santo, que nos convence da nossa necessidade e produz arrependimento em nosso coração.

“Jesus vai de porta em porta e Se coloca diante do templo de cada coração, proclamando: ‘Eis que estou à porta e bato’ (Ap 3:20). Como celeste negociante, Ele abre Seus tesouros e clama: ‘Compre de Mim ouro refinado no fogo, e você se tornará rico; compre roupas brancas e vista-se para cobrir a sua vergonhosa nudez’ (Ap 3:18, NVI). O ouro que Ele oferece é sem mistura, mais precioso do que o ouro de Ofir, pois consiste em fé e amor.

“As vestiduras brancas que Ele convida a pessoa a vestir são Suas próprias vestes de justiça, e o colírio para a unção é Sua graça, que dá visão espiritual para a pessoa em cegueira e escuridão, para que ela perceba a diferença entre as obras do Espírito de Deus e as do espírito do inimigo. O grande Negociante, possuidor de riquezas espirituais, diz: ‘Abra a porta, e negocie comigo. Sou Eu, seu Redentor que aconselha você a comprar de Mim’” (Ellen G. White, The Advent Review and Sabbath Herald [Revista Adventista e Arauto do Sábado], 7 de agosto de 1894).

Ellen G. White cita Apocalipse 3:20, mencionando que Jesus está à porta e bate. Jesus bate. Ele não derruba a porta para forçar a entrada. Isso significa que, no fim, independentemente do que Deus esteja disposto a fazer por nós, temos que fazer a escolha de deixá-Lo entrar.

Somos resistentes em abrir a porta para Jesus? Por quê? Qual é sua dificuldade? Que pecado ou prazer você não quer abandonar? O que é tão difícil renunciar?

Amor incansável

8. Compare Apocalipse 3:20 com Cantares 5:2-5. Que semelhanças você encontra nos dois exemplos? O que essas passagens revelam sobre o amor de Deus?

Jesus bate à porta do coração de Seu povo e deseja comunhão plena com ele. Para isso, precisamos ouvir Sua voz, acordar, abrir a porta e ficar com Ele, dar atenção ao nosso Amado. A Sulamita ouve a voz do Seu amado, que bate na porta, pedindo permissão para entrar, mas não queria sair do conforto do seu sono para abrir a porta ao amado.

O jantar no Oriente Médio era e ainda é extremamente importante. Quando terminava o trabalho do dia e os homens voltavam dos campos para a refeição da noite, toda a família se reunia em torno da mesa. Na maioria dos casos, uma família vivia junto com outros parentes. Geralmente o número de pessoas no jantar era muito grande. Avô e avó, irmãos e irmãs, tias e tios, sobrinhos e primos, adultos e crianças podiam estar presentes. Nessa grande reunião, depois de um árduo dia de trabalho, histórias eram contadas, experiências compartilhadas e conselhos dados. Era um momento de comunhão, calor e intimidade familiar. Jesus deseja ter esse tipo de comunhão conosco.

9. Qual é o grande desejo de Cristo para cada um de nós? O que Ele prometeu? Ap 3:21

Que sejamos vencedores para que nos sentemos com Ele em Seu trono.

O Apocalipse menciona o trono de Deus 37 vezes. Isso é mais do que o número de ocorrências de qualquer outro livro da Bíblia. Diante do trono de Deus, vamos nos unir ao coro celestial e alegremente proclamaremos: “Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor” (Ap 5:12). Ele prometeu que, quando a longa saga do pecado chegar ao fim, poderemos participar dessa grande cena de festa e alegria.

Cristo usa a maior motivação para Seu povo indiferente no tempo do fim. Seu amor proveu a eternidade para nós. Temos sangue real correndo em nossas veias. Somos filhos e filhas do Rei do Universo. Podemos reinar para sempre com Ele, sentados no Seu trono. A maior motivação para nos acordar do sono espiritual é o infinito amor de Jesus, pois Ele deseja passar toda a eternidade conosco. Se isso não é suficiente para nos tirar da apatia espiritual, o que será? Se isso não é suficiente para nos colocar de joelhos dobrados, buscando o reavivamento, o que será?

Mensagem de esperança (Ap 3:19.)

A mensagem de Cristo à igreja de Laodiceia é motivada por Seu grande amor. Em Apocalipse 3:19, o Senhor nos dá a razão para Sua forte repreensão: “Eu repreendo e disciplino a quantos amo.” A palavra grega para amor é phileo, que significa “um forte vínculo de afeto” e “amar como um amigo íntimo ou irmão”. Cristo não rejeita a igreja de Laodiceia, mas a ama com amor profundo, afetuoso e constante. Ele a ama tanto que morreu para salvá-la e voltará para buscá-la.

Não há maior vínculo de afeto do que o amor de Cristo por Seu povo. Ele jamais o rejeitará nem o abandonará. Um poderoso reavivamento ocorrerá em Seu povo. Cristo santificará e purificará Sua igreja a fim de que ela seja apresentada diante dEle “sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante” e para apresentá-la como “igreja gloriosa” diante do trono de Deus.

Estudo adicional

Focalizando a Palavra: Apocalipse: 3:17-21

Conceito-chave para o crescimento espiritual: Cristianismo é muito mais do que aceitar um conjunto de doutrinas e evitar comportamentos abertamente pecaminosos. Ser um cristão comprometido envolve uma experiência íntima com Jesus por meio de oração, estudo da Bíblia e um caráter transformado.

Reavivamento é o despertar dos anseios espirituais na alma. Sem o derramamento diário do Espírito Santo, facilmente nos tornamos acomodados. Reforma tem a ver com a correspondente mudança em nosso pensamento e estilo de vida em resultado do reavivamento. Testemunhar é o resultado lógico do reavivamento e reforma. Enfatize que a mensagem a Laodiceia, em Apocalipse 3, é o apelo de Deus para irmos além da experiência cristã casual (que nos custa pouco), para uma vida de total comprometimento com Jesus. Esse apelo não é apenas para abandonarmos atitudes e hábitos que nos separam de Jesus, mas para conhecermos e amarmos a Cristo de modo tão profundo que jamais pensaríamos em desagradar Àquele que tanto nos ama.

“Reavivamento e reforma são duas coisas diferentes. Reavivamento significa renovação da vida espiritual, vivificação das faculdades da mente e do coração, ressurgimento da morte espiritual. Reforma significa reorganização, mudança de ideias e teorias, hábitos e práticas. A reforma não produzirá os bons frutos da justiça a menos que esteja ligada a um reavivamento do Espírito. Reavivamento e reforma devem fazer a obra que lhes é designada e, ao fazerem essa obra, têm de se unir” (Ellen G. White, Serviço Cristão, p. 42).

“As igrejas ainda podem obter o ouro da verdade, fé e amor, e ser ricas do tesouro celestial. ‘Aconselho-te que de Mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez’ (Ap 3:18). As vestiduras brancas são a justiça de Cristo, que pode ser introduzida no caráter. Pureza de coração e de motivo caracterizarão os que estão lavando suas vestiduras e tornando-as brancas no sangue do Cordeiro” (Ellen G. White, The Advent Review e Sabbath Herald, 24 de julho de 1888)..