Quem é o anticristo?

Quem ou o quê, é o Anticristo? Será uma aliança maligna ou um indivíduo sinistro? Alguns dizem que sua aparição é algo que está ainda no futuro. Outros dizem que ele surgiu há muito tempo nos dias da antiga Roma. Mas a Bíblia indica que ele está vivo hoje! As profecias da Bíblia ensinam que esse poder anticristo desempenhará um papel decisivo nos eventos finais da história da Terra. Você sabe quem é ele? Você tem certeza? Você precisa ter, pois não se pode compreender os acontecimentos dos últimos dias até que você entenda sobre esse poder maligno. Esteja preparado para um dos mais intrigantes Guias de Estudo!

Este guia de estudo, com base em Daniel capítulo 7, clara e inequivocadamente identifica o anticristo. Mas é apenas uma introdução. As lições futuras revelarão detalhes de algumas de suas atividades que terão impacto em todo o mundo. O que você descobrir hoje pode desagradar ou entristecer você, mas lembre-se que a profecia de Daniel capítulo 7 vêm de Jesus, que o ama. Ore pedindo a orientação de Deus ao você se aprofundar neste assunto urgente. Não deixe de ler Daniel 7 antes de estudar este guia.

1. Quando o capítulo começa, Daniel vê quatro animais subindo do mar. Em profecia, o que representa uma besta? O que o mar representa?

“O quarto animal é um quarto reino que aparecerá na terra.” (Daniel 7:23 – NVI). “As águas que você viu, … são povos, multidões, nações e línguas.” (Apocalipse 17:15 – NVI).

R: Bestas representam reinos ou nações. A água representa uma multidão de pessoas ou populações maiores.

2. As quatro bestas de Daniel 7 representam os quatro reinos mundiais (versículos 17, 18). Babilônia, o primeiro reino (Daniel 2:38, 39), é representada como um leão em Daniel 7:4. (Veja também Jeremias 4:7; 50:17, 43, 44 para a Babilônia retratada como um leão em outros lugares). O que as “asas de águia” significam, o que os “quatro ventos ” do versículo 2 representam?

“O SENHOR levantará contra ti uma nação … que voa como a águia.” (Deuteronômio 28:49). “Assim diz o SENHOR dos Exércitos, … grande tormenta se levantará dos confins da terra. E serão os mortos do SENHOR, naquele dia, desde uma extremidade da terra até à outra”. (Jeremias 25:32, 33).

R: As asas de águia representam velocidade. (Veja também Jeremias 4:13;. Habacuque 1:6-9). Ventos representam contenda, tumulto e destruição. (Veja também Apocalipse 7:1-3).

3. Que reino representa o urso de (Daniel 7:5)? O que as três costelas em sua boca simbolizam?

R: Leia Daniel 8. Observe que as bestas no capítulo 8 são paralelas com as do capítulo 7. Daniel 8:20 especificamente nomeia a Medo-Pérsia como o reino que precede o bode peludo, ou Grécia, do versículo 21. Este é o segundo reino do mundo – o mesmo poder que representa o urso de Daniel 7. O império era constituído por dois grupos de pessoas. Os medos surgiram primeiro (representados em Daniel 7:5 pelo urso o qual se levantou de um lado), e os persas que se tornaram mais fortes (representados em Daniel 8:3 pelo segundo chifre do carneiro que cresceu “mais alto”). As três costelas representam as três principais potências conquistadas pela Medo-Pérsia: Lídia, Babilônia e Egito.

4. Grécia, o terceiro reino (Daniel 8:21), é representada por um leopardo com quatro asas e quatro cabeças (Daniel 7:6). O que as cabeças representam? O que as quatro asas representam?

R: As quatro cabeças representam os quatro reinos em que o império de Alexandre, o Grande foi dividido quando ele morreu. Os quatro generais que lideraram essas áreas foram: Cassandro, Lisímaco, Ptolomeu e Seleuco. As quatro asas (em vez de duas como o leão) representam extrema velocidade, que caracterizou verdadeiramente as conquistas de Alexandre (Jeremias 4:11-13).

5. O império romano, o quarto reino mundial, é representado por um animal terrível e espantoso com dentes de ferro e 10 chifres (Daniel 7:7). O que representam os chifres?

R: Os 10 chifres representam os 10 reis ou reinos em que a Roma pagã foi finalmente dividida (Daniel 7:24). (Esses 10 reinos são os mesmos que os 10 dedos da imagem descrita em Daniel 2:41-44). As tribos bárbaras irromperam sobre o império romano e construíram moradas nessas terras para seu povo. Sete dessas 10 tribos deram origem a países da Europa ocidental moderna, enquanto três foram arrancadas e destruídas. A próxima seção vai discutir os reinos que foram arrancados.

Visigodos – Espanha
Anglo-Saxões – Inglaterra
Francos – França
Germanos – Alemanha
Burgúndios – Suíça
Lombardos – Itália
Suevos – Portugal
Hérulos- arrancado
Ostrogodos – arrancado
Vândalos – arrancado


6. Na profecia de Daniel 7, que acontece a seguir?

“Estando eu a considerar os chifres, eis que, entre eles subiu outro chifre pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados; e eis que neste chifre havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas.” (Daniel 7:8).

R: O “pequeno chifre” aparece em seguida. Devemos identificá-lo com cuidado, pois Deus dedica mais espaço descrevendo-o do que os outros quatro reinos combinados. Por quê? Porque as características bíblicas o identificam como o anticristo profético e histórico. Não deve haver nenhum erro ao fazer esta identificação.

7. Existem pontos precisos para identificá-lo?

R: Sim, Deus nos dá nove características do Anticristo em Daniel 7, para que possamos ter a certeza de sua identidade. E mesmo que alguns possam achar estas verdades da Palavra de Deus dolorosas, temos de ser honestos o suficiente para aceitá-las como Sua vontade revelada. Agora vamos descobrir quais são os nove pontos mencionados por Jesus:

A. O “pequeno chifre”, ou reino “surgiu entre eles” – os 10 chifres que eram os reinos da Europa Ocidental (Daniel 7:8). Portanto, seria um pequeno reino em algum lugar na Europa Ocidental.

B. Teria um homem como sua cabeça (ou dirigente) que falaria por ele. (Daniel 7:8)

C. Arrancaria a raíz ou eliminaria a outros três reinos (Daniel 7:8).

D. Seria “distinto” ou diferente dos outros 10 reinos (Daniel 7:24).

E. Faria guerra e prevaleceria contra os santos, perseguindo-os (Daniel 7:21,25).

F. Emergeria do Estado de Roma pagã – o quarto reino mundial (Daniel 7:7,8).

G. O povo de Deus (os santos) seriam “entregues na sua mão” por “um tempo, dois tempos e metade de um tempo” (Daniel 7:25).

H. Iria proferir “palavras contra” ou blasfemar contra Deus (Daniel 7:25). Em Apocalipse 13:5, a Bíblia diz que o mesmo poder Fala “grandes coisas e blasfêmias.”

I. Cuidaria “em mudar os tempos e a lei”. (Daniel 7:25).

Não se esqueça – todos estes pontos de identificação vêm diretamente da Bíblia. Eles não são uma opinião ou especulação humana. Historiadores poderiam dizer rapidamente que poder está sendo descrito. Estes pontos são características de apenas um poder – o papado. Mas, para ter certeza, vamos analisar com cuidado todos os nove pontos, um a um. Não deve haver espaço para a dúvida.

8. Será que o papado se encaixa nesses pontos?

R: Sim, ele se encaixa perfeitamente em cada ponto. Veja os itens de A a H abaixo.

A. Ele “surgiu entre” os 10 reinos da Europa Ocidental. A localização geográfica do poder papal era em Roma, Itália – no coração do território da Europa Ocidental.

B. Teria um homem como sua cabeça (ou dirigente) que falaria por ele. O papado cumpre esta característica porque têm a um homem como cabeça (o Papa) que fala por ele.

C. Arrancaria à 3 reinos. Os imperadores da Europa Ocidental eram majoritariamente católicos e apoiaram o papado em seu crescimento e autoridade. Três Reinos arianos, no entanto, não apoiaram o papado – os vândalos, os hérulos e os ostrogodos. Assim, os imperadores católicos decidiram que eles deveriam ser destruídos ou subjugados. Aqui está como o Dr. Mervyn Maxwell, teólogo e historiador, descreve os resultados disso no volume 1, página 129, do histórico livro “God Cares – Deus se importa”. “O imperador católico Zeno (474-491) preparou um tratado com os ostrogodos em 487 o qual resultou na erradicação do reino ariano dos hérulos em 493. E o imperador católico Justiniano (527-565) exterminou os vândalos arianos em 534 e significativamente quebrou o poder dos arianos ostrogodos em 538. Assim foram os três chifres de Daniel – os hérulos, os vândalos e os ostrogodos – arrancados pela raiz”. Não é difícil reconhecer o papado se encaixando nesse ponto.

D. Seria “distinto” ou diferente dos outros 10 reinos. O papado Claramente se encaixa nessa descrição, também. Ele entrou em cena como um poder religioso e era totalmente diferente da natureza secular dos outros 10 reinos.

E. Iria fazer guerra contra os santos e os perseguir. É um fato bem conhecido que a igreja foi uma entidade perseguidora. O papado admite claramente ter feito isso. Existe muita evidência de suporte a este fato. Mesmo os historiadores conservadores afirmam que a igreja provavelmente destruiu pelo menos 50 milhões de pessoas por questões de convicção religiosa. Citaremos aqui duas fontes:

1. “Que a Igreja de Roma tem derramado mais sangue inocente que qualquer outra instituição que tenha existido na história da humanidade, não é um fato questionado por nenhum protestante que tenha bom conhecimento da história.” (W. E. H. Lecky, History of the Rise and Influence of the Spirit of Rationalism in Europe, Volume 2, p. 40.).

2. No livro A Historia da Inquisição na Espanha, D. Iván Antonio Llorente, fornece os seguintes dados exclusivos da inquisição espanhola:

- 31.912 pessoas foram condenadas e mortas na fogueira.

- 241.450 pessoas foram condenadas a severas penas.

F. Surgiria a partir do quarto reino de ferro – o Império Romano pagão. Citaremos duas autoridades sobre este ponto:

1. “A poderosa Igreja Católica era pouco mais do que o Império Romano, batizado … A própria capital do antigo Império Romano se tornou a capital do império cristão. O cargo de Pontifex Maximus foi continuado no do papa. ” ( Alexander Clarence Flick, The Rise of the Medieval Church, pp. 148, 149).

2. “Quaisquer elementos romanos que os barbaros e os arianos deixaram, ficaram sob a proteção do bispo de Roma, que após a morte do imperador passou a ser o personagem principal. A Igreja Romana, assim, conquistou um lugar no mundo do Império Romano, e é a continuação atual do mesmo” (Adolf Harnack, What is Christianity? (New York: Putnam, second edition, revised, 1901), pp. 269, 270.) Assim, mais uma vez, o papado também se encaixa neste ponto.

G. O povo de Deus (os santos) seriam “entregues na sua mão” por “um tempo, dois tempos e metade de um tempo” Daniel 7:25. Várias coisas precisam de ser clarificadas em relação a este ponto:

1. Um tempo é um ano, tempos são dois anos, e metade de um tempo é um semestre. A Bíblia Amplificada traduz isso: “Três anos e meio.” (The Amplified Bible, Zondervan Publishing House, Grand Rapids, Michigan 1962).

2. Este mesmo período, é mencionado sete vezes (Daniel 7:25, 12:7, Apocalipse 11:2, 3; 12:6, 14; 13:5) nos livros de Daniel e Apocalipse: aparece três vezes como tempo, tempos e metade de um tempo, duas vezes como 42 meses, e duas vezes como 1.260 dias. Com base no calendário de 30 dias usados pelos judeus, esses períodos de tempo são todos a mesma quantidade de tempo: 3 1 / 2 anos = 42 meses = 1.260 dias. 3. Um dia profético equivale a um ano literal (Ezequiel 4:6; Números 14:34).

4. Assim, o pequeno chifre (anticristo) teria poder sobre os santos por 1260 dias proféticos ou 1.260 anos literais.

5. O poderio do papado começou em 538 dC, quando o último dos três reinos Arianos foi arrancado. Sua primazia continuou até 1798, quando o general de Napoleão, Berthier, levou o papa prisioneiro com a esperança de destruir tanto o Papa Pio VI como o poder político e secular do papado. Este período de tempo é um exato cumprimento da profecia dos 1.260 anos. O golpe foi uma ferida mortal para o papado, mas essa ferida começou a se curar e continua se curando hoje.

6. Este mesmo período de perseguição é mencionado em Mateus 24:21 como o pior de todos que o povo de Deus experimentaria. O versículo 22 nos diz que ele foi tão devastador que ninguém poderia ter sobrevivido se Deus não tivesse abreviado o tempo. Mas Deus realmente o encurtou abreviou. A perseguição terminou muito antes de o papa ser levado em cativeiro em 1798. É fácil de ver que este ponto, da mesma forma, cabe ao papado.

H. Ele falaria “grandes palavras” de blasfêmia “contra o Altíssimo [Deus]“.

Blasfêmia tem duas definições na Escritura:

1. Reivindicação de perdoar pecados (Lc 5:21).

2. Afirmar ser Deus (João 10:33).

Será que este ponto também cabe ao papado? Sim! Vamos a evidência do que declara a igreja quanto ao tema de perdoar pecados. “Será que o padre realmente perdoa os pecados, ou ele apenas declara que eles são cancelados? O padre realmente e verdadeiramente perdoa os pecados em virtude do poder que lhe foi dado por Cristo” [Joseph Deharbe, S.J., A Complete Catechism of the Catholic Religion (New York: Schwartz, Kirwin & Fauss, 1924), p. 279]. O papado enfraquece ainda mais Jesus, através da criação de um sistema de confissão a um sacerdote terreno, ignorando assim Jesus, nosso Sumo Sacerdote (Hebreus 3:1; 8:1, 2) e único Mediador (1 Timóteo 2:5).

Consideremos a evidência acerca da declaração de ser Deus: “Nós (os Papas) ocupamos nesta terra o lugar de Deus Todo poderoso” [Pope Leo XIII, Encyclical Letter "The Reunion of Christendom" (dated June 20, 1894) trans. in the Great Encyclical Letters of Pope Leo XIII (New York: Benziger, 1903), p. 304]. Aquí está outra declaração: “O Papa não é únicamente o representante de Jesus Cristo, mas o próprio Jesus Cristo, escondido sob o véu da carne”. (Catholic National, July 1895). Este ponto tão óbvio, do mesmo modo, cabe ao papado.

I. Cuidaria “em mudar os tempos e a lei”. (Daniel 7:25).

Em um próximo Guia de Estudo tocaremos no assunto da mudança dos “tempos”. É um tema importante e deve ser considerado em separado. Mas o que dizer sobre a mudança da “Lei”?. O texto bíblico refere-se sobre uma mudança na lei de Deus. Claro, que ninguém tem autoridade para mudar a Lei de Deus, mas tem o papado tentado fazer isso? A resposta é “sim”.

No seu catecismo, o papado omitiu o segundo mandamento contra a veneração das imagens e encurtou o quarto mandamento de 94 palavras para oito e dividiu o décimo mandamento em dois mandamentos. (Verifique isso por si mesmo. Compare os Dez Mandamentos em qualquer catecismo católico com os 10 Mandamentos de Deus, descritos em Êxodo 20:3-17). Não há dúvida de que o poder do chifre pequeno de Daniel, capítulo 7 (o Anticristo) é o papado. Nenhuma outra organização poderia se encaixar nestes nove pontos. E aliás, este não é um ensinamento novo. Cada reformador, sem exceção, referiram-se ao papado como o Anticristo. (R. Allen Anderson, Unfolding the Revelation, p. 137).

Palavras de carinho e preocupação

Para que alguns não pensem que estamos atacando cristãos, identificando esse poder do chifre pequeno, por favor, tenha em mente que a profecia é dirigida a um sistema, e não a indivíduos. Há cristãos sinceros e devotos em todas as igrejas, incluindo a fé católica. Daniel, capítulo 7 é simplesmente uma mensagem de julgamento e correção dirigidos a uma grande instituição religiosa que comprometeu-se com o paganismo, como tantas outras igrejas que surgiram depois dela.

A profecia revela falhas de todas as religiões

Outras profecias apontam as falhas da fé protestante e judaica. Deus tem um povo verdadeiro em todas as religiões. Seu verdadeiro povo (não importa qual a sua fé) sempre humildemente aceitará a correção do Senhor e não fechará os ouvidos e corações contra Ele por auto-defesa. Devemos ser muito gratos que a Palavra de Deus fala com honestidade e imparcialidade sobre cada assunto.

9. Não foi dito a Daniel para selar seu livro até o “tempo do fim”? (Daniel 12:4) Quando é que as profecias de Daniel seriam abertas à nossa compreensão?

R: Em Daniel 12:4, foi dito ao profeta para selar partes do livro até o “tempo do fim”. No versículo 6 uma voz angelical perguntou: “Quando será o fim destas maravilhas?” O versículo 7 diz: “isso seria para um tempo, tempos e metade do tempo”. O anjo garantiu a Daniel que a porção do livro sobre as profecias do fim dos tempos seriam abertas após o término do período de 1260 anos – período do controle papal, como vimos anteriormente neste guia de estudo. Assim, o tempo do fim começou no ano de 1798. Obviamente, o livro de Daniel contém mensagens cruciais do céu para nós hoje. É absolutamente necessário compreendê-lo.

10. Muitos cristãos de hoje têm sido tragicamente mal informados a respeito do Anticristo. Crer em uma inverdade sobre o anticristo pode facilmente levar uma pessoa a ser enganada e se perder. O que uma pessoa deve fazer quando descobre novos ensinamentos da Bíblia?

“Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.” (Atos 17:11).

R: Quando um ensinamento bíblico novo é encontrado, o único procedimento seguro é compará-lo com cuidado com as Escrituras para ver se ele está em harmonia com a Palavra de Deus.


(Guia de Estudo Bíblico extraído do site Amazing Facts - Tradução: Blog Sétimo Dia)