Apocalipse 13 - Explicação Verso por Verso

O Capítulo sete de Daniel descreve o mar agitado pelo vento. Um enorme leão saído mar seguido de um urso. Um leopardo com quatro asas logo se juntou ao urso. Então, um monstro terrível, com dez chifres, dominou a cena. No meio dos dez chifres, um décimo-primeiro chifre se esforçava para sair até que três dos dez chifres foram arrancados para dar lugar a ele.

Agora, seis séculos depois, João, na ilha de Patmos, teve uma revelação semelhante.

1 Vi emergir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças e, sobre os chifres, dez diademas e, sobre as cabeças, nomes de blasfêmia.


O mar:

Falou-me ainda: As duas que viste, onde a meretriz está assentada, são povos, multidões, nações e línguas (Apocalipse 17:15).

Uma besta:

Estes grandes animais, que são quatro, são quatro reis que se levantarão da terra (Daniel 7:17).

A areia do mar: É ali que a terra e o mar se encontram. Este capítulo descreve duas bestas, uma que vem do mar e outra que vem da terra.

2 A besta que vi era semelhante a leopardo, com pés como de urso e boca como de leão. E deu-lhe o dragão o seu poder, o seu trono e grande autoridade.


Esta besta parece um leopardo, mas tem pés como de um urso, e a sua boca é como a de um leão.

A besta-leopardo de Apocalipse 13 e o pequeno chifre de Daniel 7 obviamente são a mesma coisa. Note as comparações:

1. Ambos são poderes blasfemos (Daniel 7:25, Apocalipse 13:6).
2. Ambos fizeram guerra com os santos, o que faz deles poderes perseguidores (Daniel 7:21, Apocalipse 13:7).
3. Ambos têm uma boca que profere blasfêmia (Daniel 7:8 e 20).
4. O chifre pequeno vem da Roma pagã. A besta de Apocalipse 13:2 se levanta ao mesmo tempo, porque o dragão, a Roma pagã, dá-lhe poder, trono e autoridade.
5. A ambos é dado poder para que continuem por 3 anos e meio, 42 meses ou 1.260 dias (Daniel 7:25, Apocalipse 13:5).
6. No final dos 1.260 dias ou anos, a chifre pequeno perderia sua autoridade (Daniel 7:25). No fim do mesmo período, a besta leopardo seria levada cativa. (Apocalipse 13:10) Ambas as especificações foram cumpridas com a exílio e cativeiro do papa e a derrubada temporária do papado pela França, em 1798.

Ambos os poderes vem ao mesmo tempo para a palco onde se desenrola a ação, e ocupam a mesmo território, fazem a mesmo trabalho, existem pelo mesmo espaço de tempo e têm o mesmo destino.

O dragão dá-lhe o seu poder, o seu trono e grande autoridade: Apocalipse 12 identifica o grande dragão vermelho como Satanás, que faz sua obra por meio da Roma pagã.

Roma tem sido chamada de a Cidade Eterna e a Cidade Santa. Diz um provérbio que todas os caminhos levam a Roma. Roma sempre teve certo prestígio. Ela sempre foi a morada de todos os deuses pagãos.

Seu trono: Um trono é um lugar onde uma pessoa importante se senta. As palavras usadas para trono são cathedra (grego) e sedes (do latim), as quais são traduzidas como Sé. O edifício onde fica a trono é chamado sua catedral, e a cidade na qual fica o trono e chamada de Sé. O catolicismo tem sido chamado a Santa Sé, a cidade onde o trono do papa está localizado. Esta cidade é Roma.

Desde o Tratado de Latrão, celebrado com a Itália em 1929, a Santa Sé é a Cidade do Vaticano, uma área de 44 hectares na colina do Vaticano, toda ela dentro da cidade de Roma.

A Igreja Católica é romana. Hoje, bem como em quase toda a sua história, o seu nome oficial é Santa Igreja Católica e Apostólica de Roma.

Autoridade: Muito do prestígio secular de Roma foi passado para a igreja. O imperador Constantino contribuiu para o prestígio do papa em 330 d.C., quando deixou a Itália e fundou Constantinopla (hoje Istambul) como a nova capital do império. Esta cidade foi "construída a 1.300 quilômetros ao leste, o que significava um mês de marcha para um exército. Constantino realmente deu a seu trono para o papa. O trono dos Césares foi deixado vago. Foi nessa vaga que o papado se assentou. Aqui estão as palavras de um escritor católico:

E piedosamente subindo ao trono de Cesar, o vicário de Cristo tomou o cetro diante do qual imperadores e reis da Europa se curvariam em reverência por muitas eras (American Catholic Quarterly Review, abril de 1911).

Outros imperadores também outorgaram poder ao papado. Passo a passo, o Império Romano (o grande dragão vermelho) deu grande autoridade à igreja (a besta com corpo de leopardo), com o clímax ocorrendo em 538, quando as exércitos do império expulsaram os arianos ostrogodos de Roma, a que iniciou a período de 1.260 anos.

Para tornar a cristianismo mais atraente para os gentios, os sacerdotes adotaram as vestimentas exteriores e os ornamentos utilizados no culto pagão. O papa Gregório teria instruído Agostinho:

Destrua os ídolos, nunca os templos. Borrife-os com água benta, ponha neles relíquias, e deixe as nações adorarem nos lugares onde estão acostumadas (ver Roy A. Anderson, Revelações do Apocalipse, págs. 142-143).

3 Então, vi uma de suas cabeças como golpeada de morte, mas essa ferida mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou, seguindo a besta;

4 e adoraram o dragão porque deu a sua autoridade à besta; também adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem pode pelejar contra ela?


A ferida mortal: A cabeça que foi ferida de morte era a cabeça papal. Em 1798, 1.260 anos depois que a igreja recebeu autoridade absoluta, ela recebeu um golpe mortal, exatamente como a livro de Apocalipse tinha predito. Durante a Revolução Francesa, sob ordens de Napoleão, o general Alexander Berthier fez uma proclamação em Roma, em 15 de fevereiro de 1798, informando o papa Pio VI e o povo de Roma que o papa não devia exercer nenhuma função. O papa foi enxotado dali por soldados franceses para uma série de locais diferentes na Itália e no sul da França. Ele morreu na prisão, na fortaleza de Valença, em 29 de agosto de 1799. O seu corpo foi deixado insepulto por um tempo. A Cidade Eterna não tinha mais um pontífice. Foi promulgado um decreto de que nenhum sucessor poderia tomar o seu lugar.

5 Foi-lhe dada uma boca que proferia arrogâncias e blasfêmias e autoridade para agir quarenta e dois meses;

6 e abriu a boca em blasfêmias contra Deus, para lhe difamar o nome e difamar o tabernáculo, a saber, os que habitam no céu.


Blasfêmias: Qual é a definição bíblica de blasfêmia?

Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralitico: Homem, estão perdoados os teus pecados. E os escribas e fariseus arrazoavam, dizendo: Quem é este que diz blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus? (Lucas 5:20 e 21).

Nos tempos bíblicos, era considerado blasfêmia um homem tentar perdoar os pecados de outro homem. Jesus não era apenas um homem. Ele tinha autoridade para perdoar pecados, mas eles não aceitaram Sua autoridade. Se Ele Fosse meramente um homem, isso teria sido blasfêmia.

Eu e o Pai somos um. Novamente, pegaram os judeus em pedras para Lhe atirar. Disse-lhes Jesus: tenho-vos mostrado muitas obras boas da parte do Pai; por qual delas Me apedrejais? Responderam-Lhe os judeus: Não é por obra boa que Te apedrejamos, e sim por causa da blasfêmia, pois, sendo Tu homem, Te fazes Deus a Ti mesmo (João 10:30-33).

Era tido como blasfêmia um homem considerar-se Deus. Qualquer ser humano que confere a si mesmo atributos que pertencem somente a Deus é culpado de blasfêmia. “Jesus disse: ‘‘A ninguém sobre a Terra chameis vosso pai; porque só um é vosso Pai, Aquele que esta nos Céus” (Mateus 23:9). Até mesmo Jesus, como ser humano, objetou ser chamado Bom Mestre (Mateus 19: 17).

No Quinto Concílio de Latrão, em 1512,foi dito do papa Júlio II: "Tu és o Pastor, Tu és o Médico, Tu és o Governador, Tu és o Esposo e, finalmente, Tu és outro Deus na Terra."

Aqui estão palavras de um escritor católico, Alphonsus de Liguori, explicando a visão católica sobre o sacerdócio:

O sacerdote assume o lugar o próprio Salvador quando, ao dizer: "Ego te absolvo" (Eu te absolvo), ele absolve o pecado. Perdoar um simples pecado requer toda a onipotência de Deus. Por isso, o sacerdote pode, de uma certa maneira, ser chamado o criador do Criador (Alphonsus de Liguori, Dignity and Duties of the Priests, pág. 32 e 33).

7 Foi-lhe dado, também, que pelejasse contra os santos e os vencesse. Deu-se-lhe ainda autoridade sobre cada tribo, povo, língua e nação;


Perseguição: A Nova Enciclopédia Católica diz:

Vista pelos padrões contemporâneos, a Inquisição, especialmente da maneira como ela ocorreu na Espanha, já no final da Idade Média, pode ser classificada somente como um dos mais negros capítulos da história da igreja.

Sob a influência dos costumes e conceitos germânicos, a tortura foi pouco usada do século 9 ate o século 12, mas, com o ressurgimento da lei romana, a prática foi restabelecida no século 12. ... Em 1252, o papa Inocêncio IV sancionou a aplicação de tortura por autoridades civis a hereges, e a tortura veio a ter um lugar reconhecido nos procedimentos das cortes inquisidoras.


Ela reconhece que a Inquisição matou dois mil protestantes em 50 anos na Holanda e admite a morte de três a quatro mil huguenotes franceses no Massacre de São Bartolomeu, que começou na noite de 23 de agosto de 1572.

8 e adorá-la-ão todos os que habitam sobre a terra, aqueles cujos nomes não foram escritos no Livro da Vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.

9 Se alguém tem ouvidos, ouça.

10 Se alguém leva para cativeiro, para cativeiro vai. Se alguém matar à espada, necessário é que seja morto à espada. Aqui está a perseverança e a fidelidade dos santos.


Quando o papa foi levado prisioneiro por Berthier, estas palavras foram cumpridas. O papado tinha levado tantos outros cativos, e agora ele mesmo estava indo para o cativeiro.

11 Vi ainda outra besta emergir da terra; possuía dois chifres, parecendo cordeiro, mas falava como dragão.


O terceiro grande símbolo: As tentativas feitas na Idade Média para entender a besta-cordeiro com chifres falharam. O povo não pôde entender esta profecia antes que ela se cumprisse. Entende-se melhor a profecia depois que ela se cumpre. É por isso que Jesus afirmou: "Disse-vos agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós creiais" (João 14:29).

O grande dragão vermelho = Roma pagã
A besta-leopardo = Roma papal = Besta que emerge do mar


Ambos representam um grande poder religioso. O terceiro poder deve também simbolizar uma nação que representa um grande sistema religioso. O paganismo abrange todas as nações não cristas, o que compreende mais da metade da população do globo. O catolicismo pertence a nações que compõem uma grande parte da cristandade. O outro grande poder religioso é o protestantismo.

Emergindo da terra: A profecia fala sobre uma nação que representa um forte poder religioso, que não é nem o paganismo nem o catolicismo, e que é representado por uma besta com dois chifres que emerge da terra. Quando e que subiria esta nação? No tempo em que o papado, ao ser levado para o cativeiro, foi derrubado pela França, em 1798.

As quatro bestas de Daniel 7 e a besta-leopardo de Apocalipse 13 emergiram do mar. Se as águas representam densas populações, a terra deve representar o oposto, uma população escassa. Nações novas geralmente surgem derrubando outras nações e tomando os seus lugares. O profeta viu esta nação "emergindo" (do grego anabainon), que significa crescer como uma planta.

Chifres como de cordeiro: 29 vezes, no Apocalipse, a palavra cordeiro se refere a Jesus. Chifres, em Daniel e Apocalipse, são símbolos de poder governamental. Esta besta de dois chifres usa seu poder governamental de uma maneira gentil, quase cristã.

Os chifres não têm coroas como o grande dragão vermelho e a besta com corpo de leopardo. Isso indica que não haverá nem papa, nem rei, mas uma república ou um poder democrático. O fato de ter dois chifres pode ser uma alusão a liberdade civil e religiosa.

A América foi fundada sobre princípios de liberdade religiosa. O artigo VI, seção 4, da Constituição americana diz:

Uma vez que cada pessoa tem o direito de escolher sua própria religião sem o preço da discriminação, nenhum teste religioso jamais será requerido como forma de qualificação para qualquer cargo ou função pública nos Estados Unidos.

Falando como um dragão: Vemos aqui uma completa mudança. As características tão ternas, parecidas com as de um cordeiro, mudam para as de um dragão. Como fala uma nação? Um governo fala por meio de suas leis. De acordo com esta profecia, podemos esperar perseguições, mesmo nesta república da liberdade, a qual, por muitos anos, tem sido um refúgio para os perseguidos.

O dragão foi um perseguidor implacável da igreja. O leopardo, que veio a seguir, também foi um poder perseguidor que ceifou a vida de milhões de cristãos durante os 1.260 anos. Quando esta besta fala como um dragão, isso quer dizer que sua natureza muda de cordeiro para dragão, e que ela faz o mesmo tipo de obras do dragão que veio antes dela.

A besta-cordeiro = Protestantismo apostata Norte Americano = Besta que emerge da terra


12 Exerce toda a autoridade da primeira besta na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada.


Como pode ser possível tamanha mudança? Note a maneira como a América mudou sua atitude com relação ao catolicismo:

Em outubro de 1951, o presidente Harry Truman pediu ao Senado que aprovasse a indicação que fizera de um embaixador para o Estado do Vaticano. Houve uma onda de protestos. Dificilmente um grupo de igrejas protestantes no país deixa de expressar sua oposição. O presidente retirou sua proposta.

Março de 1984. O presidente Ronald Reagan indicou William A. Wilson como embaixador para o Estado do Vaticano. A indicação foi aprovada pelo Senado por 81 votos a 13. Poucas objeções foram ouvidas.

Nunca antes houve tanta pressão sobre o governo para que imponha leis religiosas. Os protestantes fundamentalistas costumavam insistir na separação entre Igreja e Estado. Agora, organizações como a Maioria Moral estão exigindo regulamentações morais patrocinadas pelo governo. Em cumprimento à profecia, vemos os Estados Unidos começando a exercer o seu poder político para impor uma religião que se oponha aos Dez Mandamentos.

Exerce toda a autoridade da primeira besta: As pessoas são levadas a adorar a primeira besta. A palavra "adorar" vem do verbo grego kuneo, que quer dizer "eu beijo". Esta adoração significa submissão à autoridade e decreto daquele a quem se presta reverência. Este é o retrato que a profecia fornece da adoração dedicada ao papado pelos chamados protestantes.

13 Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante dos homens.


Os Estados Unidos têm sido chamados de terra das maravilhas, terra da ciência, da invenção e da produção em massa, o mundo do aprendizado, da cura, da velocidade e do glamour insuperável. Mas estamos vendo maravilhas no mundo religioso, bem aqui. Jesus disse:

Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos (Mateus 24:24).

O espiritismo moderno nasceu no lado oeste de Nova Iorque, no século 19, com as irmãs Fox. Foi através de médiuns americanos que o espiritismo se espalhou pelo mundo. Por meio do movimento da Nova Era, ele vem penetrando o cristianismo, tanto o protestante quanto o católico (ver Living Lies about Death and the Hereafter [Mentiras Vivas Acerca da Morte e da Existência Pós-vida]).

14 Seduz os que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta, dizendo aos que habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu;


Uma imagem à besta: Uma imagem é algo que lembra muito bem uma outra coisa. Se um jovem tem a mesma imagem do pai, é porque ele se parece muito com o pai. A besta-leopardo recebeu autoridade do grande dragão. Houve uma união da Igreja e do Estado que destruiu a liberdade religiosa. Vemos poderes em atividade para restringir nossas liberdades. Pessoas religiosas estão clamando que os Estados Unidos são um país muito secular. Essas pessoas pensam que o remédio é uma federação de igrejas com poder governamental. Se a igreja não pode salvar o povo por meio da pregação do evangelho, ela vai tentar conseguir isso através da política e da força.

15 e lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta, para que não só a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos não adorassem a imagem da besta.

16 A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhes seja dada certa marca sobre a mão direita ou sobre a fronte,

17 para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta ou o número do seu nome.

18 Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis.


666: Este número místico representa um sistema, em vez de um indivíduo. Como é usado num sentido simbólico, ele não pode ser uma marca literal.

Os antigos diziam que Deus opera pela matemática. Sua religião era uma mistura de religião, astrologia, alquimia, ciências físicas e mentais, e matemática. A astrologia antiga dividia o céu estrelado em 36 constelações. Estas eram representadas por diferentes amuletos chamados Sigilla Solis, ou o selo solar. Os amuletos revelavam a veneração que os amigos tinham pelo deus-sol.

Vicarius Filii Dei é um titulo muito comum para o papa. Note estas palavras de uma publicação católica:

O título de papa de Roma é Vicarius Filii Dei, e se você tomar as letras do seu título, as quais representam numerais latinos, e então somá-las, o resultado será 666 (Our Sunday Visitor, 15 de novembro de 1914).



Outros títulos trazem resultado semelhante. A língua sagrada da igreja tem sido o latim. A palavra do grego antigo para "homem que fala latim é lateinos. Eis o cálculo, tendo a numerologia grega como base:



A igreja também tem sido chamada de "O Reino Latino". Em grego, O Reino Latino é:



Quando o braço italiano da igreja cristã forçou a sua ascensão ao poder e buscou controlar a igreja, ele tornou-se a Igreja Católica Romana, ou a igreja da Itália. Em grego, ela foi chamada ITALlKA EKKLESIA.



Nota: Eruditos gregos testaram nomes de cerca de 400 outros reinos, nenhum dos quais apresenta a soma de 666.

Quando Babilônia é mencionada na palavra de Deus, o número 6 é estranhamente destacado. A imagem de ouro de Nabucodonosor tinha 60 côvados de altura e seis côvados de largura (Daniel 3:1). Havia seis instrumentos musicais diferentes na sua banda (Daniel 3:5 e 15). Em Daniel 4, a árvore que representava o poder babilônico é mencionada seis vezes. Belsazar teve o seu destino selado enquanto adorava as deuses de ouro, prata, bronze, ferro, madeira e pedra, um total de seis (Daniel 5:4). Em Apocalipse, o nome Babilônia ocorre seis vezes.

No desafio de Lúcifer a Deus, o pronome pessoal "eu" e o possessivo "meu" são usados seis vezes (Isaias 14:13 e 14). Na história da construção torre de Babel, ou Babilônia, o pronome "nós" é usado seis vezes.

Os judeus acreditavam que havia uma maldição no número seis, mesmo estando ele sozinho. Repita-o três vezes (coloque 3 números 6 – unidade, dezena e milhar - como no quadro abaixo) e ele terá uma potência para o mal impossível de ser superada. Para os judeus, seis era o número da intranqüilidade; sete, o da perfeição; oito, a numero da vitória. Se um número era repetido três vezes (como no quadro abaixo), o resultado indicava a eternidade da coisa simbolizada:

666 = intranqüilidade eterna
777 = perfeição eterna
888 = vitória eterna


A marca da besta: Apocalipse 7 indica que o selo ou sinal de Deus é a observância do sábado do quarto mandamento. Em contraste, o sinal de fidelidade ao poder da besta é a guarda do domingo. A Igreja Católica Romana, falando da mudança do sábado para o domingo, diz que o poder da igreja e provado:

... pelo próprio ato de trocar o sábado pelo domingo, com o que os protestantes estão de acordo; e, portanto, eles nitidamente se contradizem ao guardar estritamente o domingo, e quebrantar outras festas ordenadas pela mesma igreja (An Abridgment of the Christian Doctrine).

Sobre a mão direita ou sobre a fronte: Esta marca na Mão ou na fronte pode indicar que não apenas o trabalho (a mão) mas também a crença (a fronte) são afetados.

Comprar ou vender: Esta severa medida será tomada num esforço para que haja conformidade com os ditames da imagem. Os cristãos enfrentarão um boicote de alcance mundial. Os que se recusarem a alinhar-se com essa confederação político-religiosa serão considerados dissidentes. A eles serão negados emprego e sustento. Mas Deus cuidará deles.